Chapéu verde de Edward de Bono: o que ele nos ensina?

O chapéu verde incentiva o pensamento criativo. Edward de Bono o escolheu porque essa cor representava o crescimento das plantas, das novas oportunidades que germinam quando superamos a inércia.
Chapéu verde de Edward de Bono: o que ele nos ensina?
Valeria Sabater

Escrito e verificado por o psicólogo Valeria Sabater.

Última atualização: 21 Dezembro, 2021

“As escolas desperdiçam dois terços do talento inato das crianças e as universidades destroem o resto.” Essa frase foi frequentemente dita por um dos pensadores mais audaciosos do século XX. Trata-se do psicólogo e filósofo Edward de Bono, que sempre lembrava aos seus alunos na faculdade que, quando eles estivessem paralisados e estressados, deveriam colocar o chapéu verde.

Agora, o que ele quis dizer com colocar o “chapéu verde”? Se Edward de Bono era conhecido por algo, foi por contribuir e desenvolver teorias para melhorar as habilidades e atitudes de análise, criatividade e transformação pessoal. Seu famoso livro Os seis chapéus do pensamento, publicado em 1985, foi uma revolução no campo do pensamento e da inovação.

Esse método foi o maior avanço no pensamento humano nos últimos 2.300 anos, de acordo com o próprio Bono. Isso foi o que ele escreveu no prefácio, e era nisso que ele acreditava de fato. Não era propriamente um homem humilde, mas a verdade é que a intenção era nobre; ele aspirava, nem mais nem menos, que dar maior potencial e liberdade às pessoas através da criatividade e da capacidade de resolver problemas.

Vamos descobrir qual foi o chapéu mais importante para Edward de Bono dentro da teoria criada por ele.

“Não há dúvida de que a criatividade é o recurso humano mais importante de todos. Sem criatividade não haveria progresso e estaríamos sempre repetindo os mesmos padrões.”

Edward de Bono-

Edward de Bono, criador da teoria dos 6 chapéus do pensamento.

Características do chapéu verde de Edward de Bono

Edward de Bono, médico, psicólogo, filósofo e até inventor, chegou a dizer que a forma como as escolas educam as crianças apenas as incentiva a desistir em algum momento. A educação rígida e padronizada, dizia ele, faz com que o aluno acredite que é burro quando, na realidade, os mais jovens chegam ao mundo com um potencial de inovação insuperável.

Ele mesmo evidenciou isso na década de 70, em um estudo que foi reunido no livro Children Solve Problems (Crianças Solucionam Problemas em tradução livre) de 1972. Neste trabalho ele mostrou as respostas que meninos e meninas deram a uma série de perguntas que ele mesmo lhes fez: como projetar uma máquina para dormir, outra para pesar elefantes, criar um sistema para construir uma casa e outro para projetar um foguete.

A criatividade é algo inato no ser humano, mas a educação tradicional a enfraquece. Paramos de pensar fora da caixa e isso é um problema sério. Por esta razão, ele projetou o método dos Six Thinking Hats (Os seis Chapéus do Pensamento). E foi um sucesso. Tanto é verdade que grandes empresas como Motorola, IBM e Boeing relataram uma redução pela metade no tempo de reunião ao aplicá-lo.

Assim, entre todas essas estratégias para pensar de forma original, o chapéu verde é a que melhor simboliza este objetivo. A seguir vamos nos aprofundar nas táticas que Edward de Bono nos deixou.

Quando você se sentir estagnado ou bloqueado, é hora de colocar o chapéu verde para quebrar velhos padrões de pensamento e visualizar novas perspectivas.

E você, já usa o pensamento lateral?

Muitos de nós já ouvimos falar de pensamento lateral, mas nem todos se lembram de que quem cunhou esse termo foi Edward de Bono. Segundo ele, essa forma de raciocínio se distancia da lógica “vertical” e mais ortodoxa na hora de resolver os problemas.

Ou seja, nessa estratégia cognitiva optamos por buscar opções inovadoras, fazer perguntas a nós mesmos, pensar de forma desafiadora, usar analogias, charadas, etc.

Pensar de forma provocativa

Quando colocamos o chapéu verde de Edward de Bono, é proibido utilizar convenções. Não vale oferecer ideias ou soluções simplesmente para agradar aos outros. Nem em propor opções que, embora originais, não mudem muito a realidade.

É necessário se atrever a desafiar o pensamento estabelecido para alcançar a excelência por meio da inovação. Algo assim só é alcançado quando somos críticos e desafiadores com as ideias predominantes.

Encontre alternativas, quantas mais melhor

Se você se depara com um problema ou encruzilhada pessoal ou profissional, não pense em uma solução; proponha cinquenta delas. Ao buscar uma solução para o desafio que temos pela frente, o ideal é contar com várias estratégias, e não apenas uma.

Promova o senso de humor

O senso de humor alivia o estresse, acalma a mente e traz novas perspectivas inovadoras aos nossos olhos. Esse estado emocional é muito propício à criatividade, por isso é sempre bom incentivá-lo.

Para isso, Edward de Bono criou uma palavra que poderíamos inserir em nossas propostas para induzir o humor e o pensamento inovador. O termo mágico era “po”.

  • Os executivos da empresa Po são nossos concorrentes e temos que criar uma nova estratégia Po de marketing.
  • A estratégia Po será a melhor sucedida porque (…)
Amigos pensando com chapéu verde.

É importante usar os outros chapéus

Como bem sabemos, o chapéu verde é o que devemos colocar para termos ideias inovadoras e criativas diante de qualquer problema. No entanto, não podemos nos esquecer de que a inovação só será possível quando tivermos dominado as outras abordagens de pensamento propostas pelo modelo dos seis chapéus do pensamento.

Controlar as emoções, avaliar os riscos ou considerar todas as informações disponíveis é decisivo para alcançar originalidade e criatividade. Portanto, nunca é demais lembrar a função dos outros cinco chapéus propostos por Edward de Bono:

  • Chapéu azul: ajuda a direcionar o processo de pensamento e a valorizar cada avanço.
  • Chapéu branco: permite que nos concentremos nas informações que temos.
  • Chapéu vermelho: um dos mais importantes, que nos ajuda a usar as nossas emoções a nosso favor e não contra nós.
  • Chapéu amarelo: facilita o pensamento positivo.
  • Chapéu preto: é fundamental para avaliar os riscos, perigos ou obstáculos.

Para concluir, não importa quanto tempo se passou desde que Edward de Bono nos apresentou este modelo. Ele continua sendo de grande utilidade e deve estar presente em cada escola, empresa, biblioteca particular…

Pode interessar a você...
A técnica dos seis chapéus para pensar, de Edward de Bono
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
A técnica dos seis chapéus para pensar, de Edward de Bono

Talvez essa técnica dos seis chapéus seja conhecida por muitos, e é provável que a maioria das pessoas tenham sido ajudadas por ela na hora de reso...



  • de Bono, Edward (2012) Seis sombreros para pensar. Paidós.
  • de Bono, Edward (1967) El pensamiento lateral práctico. Paidós.
  • Sternberg, R. J. & Lubart, T. L. (1999). “The Concept of Creativity”, in ed. Sternberg, R. J.: Handbook of Creativity. Cambridge University Press.
  • Moseley, D., Baumfield, V., Elliott, J., Gregson, M., Higgins, S., Miller, J., Newton, D. (2005). “De Bono’s lateral and parallel thinking tools”, in ed. Moseley, David: Frameworks for Thinking. Cambridge University Press.