O circuito de Papez

A aparência do cérebro na parte média inferior, quando dissecada, se assemelha a uma margem, fronteira, ou limbo. É por isso que Paul McLean, o influente fisiologista e psiquiatra americano, preferiu batizar o circuito de sistema límbico.
O circuito de Papez

Última atualização: 06 Julho, 2021

James Papez trabalhou com a anatomia das emoções e foi assim que descreveu seu circuito, o circuito de Papez, em 1937. É constituído principalmente pelo hipocampo, tálamo e cíngulo. No entanto, parece que essa ideia já havia sido cogitada antes que Papez a expusesse.

Autores como Paul Broca e Paul McLean acrescentaram outras estruturas ao circuito da emoção. Entre estas estavam o septo, a amígdala e o hipotálamo, formando o sistema límbico. De maneira complementar, o neurologista Paul Ivan Yakovlev propôs um circuito emocional que incluía os núcleos orbitofrontal, temporal anterior, insular e outros do tálamo.

Assim, verificou-se que o circuito de Papez pode estar relacionado, além das emoções, com a memória e os danos causados pelos males de Parkinson, Alzheimer, pela síndrome de Korsakoff, pela demência semântica e amnésia global.

Engrenagens do cérebro

Quem foi James Papez?

O neurocientista americano James Papez (1883 – 1958) foi o pioneiro no estudo da neuroanatomia comparada. Ele identificou um circuito no cérebro dos mamíferos que serve à experiência emocional. Este circuito carrega seu sobrenome e está firmemente estabelecido no vocabulário médico.

Papez trabalhou em um laboratório isolado na Cornell University. Lá, ele estava praticamente imerso na prática de examinar lâminas ao microscópio. Isso permitiu que ele identificasse o circuito com bastante precisão.

Como o circuito Papez é formado?

O circuito de Papez começa com a formação do hipocampo, conhecido como subículo. Em seguida, passa pelos corpos mamilares. Em seguida, atravessa o trato mamilo-talâmico, muitas vezes conhecido como trato Vicq d’Azir, e faz sinapses no núcleo talâmico anterior. A partir daí, ele passa pelo cíngulo, atravessa o córtex entorrinal e retorna à formação hipocampal, tendo aproximadamente 350 milímetros de comprimento.

Uma proposta para o mecanismo da emoção

Papez publicou suas observações em 1937, num artigo chamado “Uma proposta para o mecanismo da emoção”, na revista Archives of Neurology and Psychiatry. Isso é o que Papez descreveu:

“O processo emocional central, de origem cortical, pode ser concebido como uma configuração na formação do hipocampo que é transmitido ao corpo mamilar e, depois, ao trato Vicq d’Azir. Daí, percorre os núcleos talâmicos anteriores ao córtex do giro cingulado… É evidente que o mecanismo proposto de emoção terá que passar no teste de experimento e experiência clínica para ser útil na ciência … O hipotálamo, o núcleo talâmico anterior, o giro cingulado, o hipocampo e suas interconexões constituem um mecanismo harmonioso que pode elaborar as funções da emoção central e participar da expressão emocional”.

Antes de Papez

Como já dissemos, o conceito de substrato anatômico para a emoção não começou com as publicações de James Papez. Em 1907, o neuropatologista Christfried Jakob (1866 – 1956) se atentou ao cérebro visceral e constatou a presença de um cérebro interno que apresenta mecanismos emocionais das vísceras. Este cientista baseou suas hipóteses em experimentos com cérebros de macacos e cães falecidos, bem como em materiais do cérebro humano provenientes de autópsias (2).

A aparência do cérebro na parte média inferior, quando dissecada, parece uma margem, ou um limbo. É por isso que Paul McLean, o influente fisiologista e psiquiatra americano, preferiu chamar o circuito de sistema límbico. Outros pesquisadores o chamaram de circuito Papez-McLean.

O circuito de Papez e a memória

Além do papel do circuito de Papez no campo da emoção, alguns autores encontraram evidências de que a memória também tem suas raízes ali. Eles apontam para uma forte sincronização das ondas theta no hipocampo e no tálamo ventral anterior. Como essas ondas lidam com problemas como memória e aprendizado, vários pesquisadores sugeriram que o circuito de Papez poderia estar envolvido em funções mnemônicas. Alguns cientistas até o reduziram ao domínio da memória espacial e episódica (3, 4).

Portanto, parece que o circuito de Papez é tanto um sistema emocional quanto um sistema que tem a ver com a memória. Embora esta descoberta já tivesse sido mencionada antes, coube a James Papez uma delimitação mais precisa que foi decisiva para a neuroanatomia da emoção.

Pode interessar a você...
A neuroanatomia das emoções
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
A neuroanatomia das emoções

Na neuroanatomia das emoções, a regulação das respostas emocionais é realizada pelo córtex pré-frontal. Saiba mais sobre o tema neste artigo.



  • Bhattacharyya, K. B. (2017). James wenceslaus papez, his circuit, and emotion. Annals of Indian Academy of Neurology, 20(3), 207.
  • Triarhou, L. C. (2008). Centenary of Christfried Jakob’s discovery of the visceral brain: An unheeded precedence in affective neuroscience. Neuroscience & Biobehavioral Reviews, 32(5), 984-1000.
  • Vertes, R. P., Albo, Z., & Di Prisco, G. V. (2001). Theta-rhythmically firing neurons in the anterior thalamus: implications for mnemonic functions of Papez’s circuit. Neuroscience, 104(3), 619-625.
  • Aggleton, J. P., & Brown, M. W. (1999). Episodic memory, amnesia, and the hippocampal–anterior thalamic axis. Behavioral and brain sciences, 22(3), 425-444.