O círculo dourado de Simon Sinek

· setembro 15, 2018

O círculo dourado de Simon Sinek é um princípio que podemos aplicar a uma empresa para procurar entender em que objetivos ela deve focar seus esforços e como deve fazê-lo.

Essa teoria, popularizada pelo comunicador inglês Simon Sinek, afirma que, ainda que muitas empresas saibam o que estão fazendo e a que estão se dedicando, e inclusive ainda que conheçam que processos e etapas são realizadas para conseguir alcançar seus objetivos, mesmo assim não têm claro por que o fazem – ou seja, sua missão.

É nessas ideias que o círculo dourado de Simon Sinek se baseia, de forma que este trata de explicar as três perguntas que toda empresa deve responder para a alcançar a realização de seu trabalho profissional. Cumprindo esse princípio, a inspiração e os benefícios dentro da empresa aumentarão.

As perguntas do círculo dourado de Simon Sinek

As três perguntas nas quais o círculo dourado de Simon Sinek se baseiam são as reproduzidas a seguir:

  • Ao que a empresa se dedica ou o que a empresa faz? – é o “o que”, ou “what” em inglês
  • Como o trabalho é realizado ou que processos o trabalho tem? – é o “como”, ou “how” em inglês
  • Qual é a missão da empresa ou por que faz seu trabalho? – é o “por que” ou “why” em inglês

A terceira das três perguntas é a que, segundo Simon Sinek, muitas empresas não conseguem responder quando questionadas. Quando alguém trabalha com equipes comerciais, ajudando-as a definir seus planos de negócio, fazer um uso frequente de “por quê?” e de “para quê?” pode trazer grandes resultados e ser uma arma muito importante para identificar os pontos fracos de um plano de ação.

Desse modo, uma iniciativa nunca vai ser boa ou ruim por si só, intrinsecamente; o que poderá ser bom ou ruim é o fato de que ela se aproxima ou se afasta da empresa e da meta que quer alcançar.

Como resolver problemas

Desse modo, diante de, por exemplo, uma questão de se deveríamos incluir ou não nossa nova linha de produtos na loja online, seria uma insensatez responder imediatamente com um sim ou com um não. Para que um especialista em negócios decida, e o trabalho daquele que dá assessoria consiste em ajudar a identificar se essa ação que está propondo está alinhada com a missão do negócio, várias questões devem ser avaliadas.

Desse modo, a pergunta na verdade seria “para que ou por que incluir esses produtos na loja online?”. Por trás de uma intensa rodada de perguntas, e baseando-se no círculo dourado de Simon Sinek, seremos finalmente capazes de responder a nós mesmos.

As premissas do círculo dourado de Simon Sinek

Para aplicar as ideias do círculo dourado de Simon Sinek, vamos nos colocar no lugar de pessoas que estão recebendo a notícia da implementação de um novo projeto. Dessa forma, poderemos pensar em como são, no que os motiva, o que importa para eles, e também em quais são os seus valores e suas crenças.

A partir daí, poderemos nos conectar com eles para explicar exatamente o porquê e o para que de seu projeto. O porquê de uma ideia surge do nosso cérebro mais primitivo, onde estão baseados os nossos instintos e que nos conecta com uma sensação conhecida de segurança.

Essa é a mensagem da qual muitas marcas tentam fazer uso, já que tratam de tentar conquistar nossa vida e nos transformar em seus seguidores, entendendo que diante de uma boa caracterização estaremos dispostos a nos identificar com elas e compartilhar todos os valores que elas propõem.

A seguir, passaremos a buscar ideias de como vamos alcançar os objetivos de um projeto. Aqui comentaremos as vantagens e os benefícios que a implementação de novas ideias supõe, e dissiparemos as possíveis dúvidas sobre a sua viabilidade. Explicaremos os processos, as ações e a tomada de decisões pelas quais as pessoas passarão durante todo o desenvolvimento do projeto.

Homem pensando em ideias inovadoras

A materialização da ideia

Finalmente, passaremos a mostrar o que iremos obter a partir da materialização desse projeto. E então, nesse último ponto, finalmente colocaremos a equipe a par dos detalhes da meta final. Essa última fase do círculo dourado de Simon Sinek se conecta com a parte mais racional de nosso cérebro, que dá direção às nossas ações.

Além disso, será também a medida do êxito e do sucesso, e a que nos permitirá saber se nós realmente cumprimos ou não com nossos objetivos, reativando nossa motivação por meio da sensação de satisfação e de recompensa após o trabalho realizado.

Definitivamente, com essas diretrizes podemos reorganizar a forma como organizamos um projeto dentro de uma empresa, partindo do sentido que ele terá por si mesmo, em vez de começar tratando de materializar uma ideia que carece de um sentido desde o ponto inicial.