Código bushido: conheça os 7 princípios do vencedor

maio 23, 2019
O código bushido foi desenvolvido pelos antigos japoneses para dar um conteúdo humano e honroso às lutas dos guerreiros samurais. Não é considerado uma lista de mandamentos, mas um processo a ser desenvolvido.

O código bushido é um antigo catálogo de princípios que nasceu no Japão e foi originalmente praticado estritamente pelos samurais. O termo bushido significa “o caminho do guerreiro” e deu origem à realização de um filme com o mesmo nome.

Para os guerreiros japoneses, o código bushido não era simplesmente uma lista de preceitos que deveriam ser seguidos ao pé da letra. Como a tradução aponta, trata-se de um “caminho”, isto é, um processo. Em outras palavras, ele era entendido como um propósito para “se tornar”, não como um mandato inquestionável.

O principal objetivo do código bushido era formar guerreiros capazes de lutar pelo que se propuseram a fazer, mas sem perder sua essência humana. Também saber como liderar os outros, ajustando-se a valores que eram mais importantes do que a luta em si. Estes são os sete princípios que compõem esse código.

“Levante-se sobre as massas de pessoas que temem agir”.
-Código bushido

Princípios do código bushido

1. Honestidade e justiça no código bushido

O código bushido identifica a honestidade como o ato de celebrar pactos honestos com os outros e cumpri-los. Isso inclui ser fiel à palavra e às promessas. De um modo ou de outro, as relações humanas são isso: um pacto contínuo.

Por sua vez, os samurais subordinavam o conceito de justiça à sua consciência. Não era uma lei externa que determinava o que era certo e o que não era. As pessoas devem ser fiéis, acima de tudo, a seu critério. Por sua vez, eles apontam que não há tons cinza, e sim branco ou preto.

2. Coragem heroica

A coragem heroica é simplesmente estar disposto a enfrentar os riscos para alcançar o que se busca. O código bushido diz que o guerreiro não deve se esconder em uma carapaça como as tartarugas.

Pelo contrário, o samurai se arrisca e assume o perigo. Não o faz cegamente, mas com respeito e cautela. Isso lhe permite viver de maneira plena e maravilhosa.

3. Compaixão

Ao contrário dos guerreiros contemporâneos, os samurais cultivavam a compaixão. Eles a viam como uma expressão de força interna e externa. Não acreditavam que uma batalha excluísse a solidariedade com o outro ou perdesse a capacidade de se colocar em seu lugar. Pelo contrário, a compaixão tornava seus esforços e conquistas mais legítimos, e desfrutar da dor dos outros era degradante e indigno.

4. Cortesia

A cortesia está intimamente relacionada à compaixão e significa evitar qualquer expressão de crueldade ou demonstração desnecessária de força.

Para o verdadeiro guerreiro, não ser educado na batalha é equivalente a se tornar um animal. O código bushido aponta que a cortesia surge tanto da ousadia na batalha quanto do respeito que deve ser mostrado ao inimigo, especialmente quando este é derrotado.

5. Honra, um valor fundamental no código bushido

Quase todo o código bushido gira em torno da honra. Para os samurais e para os japoneses em geral, esse é um valor supremo. Ser honrado significa agir com retidão, seguindo princípios éticos e cumprindo o dever.

Aqui, novamente, os samurais dão um valor especial à sua própria consciência. Cada pessoa deve assumir a responsabilidade pelas decisões que toma e pelas ações que realiza. Não importa o que os outros digam ou o que está escrito em outro lugar. Cada um responde, fundamentalmente, por si mesmo.

6. Sinceridade absoluta

Este princípio reitera o enorme valor que os samurais dão à palavra. Eles literalmente apontam que “falar e fazer são a mesma ação”.

É uma norma de comportamento que aposta na coerência total. “Dar a palavra” e fazer uma promessa são atos transcendentais. Um verdadeiro guerreiro sabe que a palavra é também uma arma, porque dela emanam o respeito e a autoridade.

Explicando o código bushido

7. Dever e lealdade

O dever não é algo que é imposto, mas sim escolhido. Portanto, cada um deve aderir estritamente ao seu cumprimento. Se não o fizer, desonra a si mesmo e envergonha aqueles que lidera ou estão sob seus cuidados.

Por sua vez, o verdadeiro guerreiro deve ser absolutamente leal a aqueles que o seguem. Suas palavras e ações são os traços que os outros seguirão. É por isso que ele tem uma grande responsabilidade com os outros e deve assumi-la se pretende ser honrado.

Como você pode ver, o código bushido também tem aplicação no mundo atual. No dia a dia e na vida em geral, passamos por muitas vicissitudes que despertam o guerreiro que temos dentro de nós. Precisamos que esse guerreiro seja corajoso, compassivo e honrado, como nos ensinaram os velhos samurais.

  • Yuzan, D. (1998). El Código del Samuray: El espíritu del Bushido japonés y la vía del guerreo. Edaf.