Eu quero que você saiba coisas sobre mim que talvez você não goste

Eu quero que você saiba coisas sobre mim que talvez você não goste

26, janeiro 2017 em Psicologia 1821 Compartilhados
Eu quero que você saiba coisas sobre mim que talvez você não goste

Se você quer me conhecer, vamos em frente. Eu sou o tipo de pessoa que nunca pedirá perdão por ser quem é. Agora, eu quero que você saiba tudo sobre mim, até aquelas coisas que talvez você não goste ou que o incomodem.

Estou me referindo a essas coisas que as pessoas chamam de defeitos e são classificados de acordo com o ponto de vista de quem os analisa. Quero que você conheça os meus defeitos para escolher com consciência entre ir e ficar. E se você decidir ficar comigo, espero poder ser eu mesma, sem me esconder e sem me arrepender de nada.

Os meus defeitos

Você ainda não sabe como eu sou porque acabou de chegar na minha vida, então vou lhe falar o que conheço sobre mim. Eu levei um bom tempo para me conhecer melhor: trilhei caminhos com rosas e com espinhos. Estou orgulhosa, porque consegui superar os obstáculos e não fiquei presa nas armadilhas do caminho.

mulher-rosa-vermelha-no-cabelo

Não esqueço o passado, ele está cada dia mais integrado à minha história de vida. O que um dia foi ferida, hoje é uma cicatriz. Eu sou muito reflexiva, sensível e compreensiva. Choro por qualquer coisa, erro três vezes por dia, sou indecisa e acredito nos sentimentos, sejam eles quais forem; o tempo se encarrega de dar-lhes um sentido próprio e verdadeiro.

“Porque a chave do amor, como disse certa vez meu psicanalista, está em reconhecer os defeitos do outro e se perguntar sinceramente se podemos tolerá-los sem ficar o tempo todo reclamando, e ser feliz apesar deles”.
– Gabriel Rolón –

Acredito que o amor é um sentimento sem limites, de qualquer tipo e para sempre. Neste ponto, preciso admitir que sou romântica até a medula, mas odeio o “dia dos namorados” e as flores que servem como chantagem ou para não reconhecer um erro.

Como você já deve ter percebido, eu sou um pouco confusa, contraditória, e quero lhe pedir para entender as minhas nuances. E não é só isso, acho que sou pouco arrogante, geralmente teimosa e às vezes, caprichosa. Existe algo que sou muito parecida com as outras pessoas: os dias em que me comporto mal e sou injusta são aqueles nos quais eu mais preciso de carinho.

Eu esqueço a data do aniversário das pessoas, a senha do cartão de crédito e as mensagens do WhatsApp que li no dia anterior. No entanto, você poderá não ouvir falar de mim durante algum tempo e mesmo assim chamará por mim se algo acontecer, porque eu gosto de ouvir, de aprender, de aconselhar e de ser surpreendida.

A perfeição dos relacionamentos imperfeitos

Admiro os relacionamentos que são como as crianças; se machucam, fazem um curativo com água oxigenada, band-aid e continuam brincando.

Seguindo essa linha contraditória, defendo os relacionamentos imperfeitos por serem perfeitos; aqueles que têm altos e baixos ou discussões para se chegar a um acordo. As pessoas são diferentes, mas se complementam; formam uma boa equipe.

casal-bicicleta

Dentro deste tipo de relacionamento, defendo o espaço de cada um; uma boa parte do meu tempo não será para você. Juntos iremos ao cinema, faremos viagens, viveremos grandes aventuras. Mas também faremos muitas coisas sozinhos. Acredito que todas as pessoas têm segredos inconfessáveis e nós temos o direito de decidir se queremos compartilhá-los ou não.

Por outro lado, o diálogo é muito importante. Eu não sou capaz de manter uma conversa sem sentido com alguém por muito tempo e adoro aqueles temas que aparecem do nada e discutimos sobre ele durante dias. Você se surpreenderá com a minha capacidade de aprender, e quero que você aprenda para me ensinar.

“(…) De qualquer forma, a perfeição não pode servir de base para um relacionamento,

porque você não pode construir nada sobre ela.

A vida é qualquer coisa, menos perfeição.”

 – Laurent Gounelle –

Eu preciso de um relacionamento imperfeito, onde existam características complicadas de alcançar e superar. Por exemplo, há coisas difíceis de aceitar: tenho um mau humor terrível que dura dez minutos e há semanas em que a ansiedade e o estresse acabam comigo. Então você perceberá que sou dessas mulheres que encontram a solução para tudo isso em um chocolate ou um abraço.

Quero ser eu mesma com você

Por tudo isso, não quero renunciar a ser eu mesma com você. Aquele “eu” bagunceiro, mas que sabe o lugar de cada coisa em meio ao caos e que fica louca se alguém mudar algo de lugar; aquele que perde tudo, até os papéis que guardamos para recordar belos momentos e outras histórias que provavelmente você também esqueceu. Dessa forma, sempre terei alguma coisa para lhe contar, infinitas cartas como prova de amor.

Eu quero que você saiba que gosto de tomar café ou cerveja com os amigos e cada vez menos das festas que se estendem até a madrugada. Que eu odeio cabeleireiros e adoro academia de ginástica, gosto de assistir dança, mas não sei dançar. Gosto de ler, de videogames, de assistir TV de vez em quando e não me aborreço.

Você não saberá o meu valor até conhecer tudo o que sou”.
– Gregorio Marañon –

Eu espero que tudo o que eu sou se encaixe com tudo o que você é: a arte, a leitura, um passeio pelo mundo gastronômico: sorvete de chocolate com laranja, passas ou coco. E que nós dois possamos ser nós mesmos sem restrições.

Agora, considerando tudo isso, reflita e decida se todas essas coisas sobre mim são defeitos ou virtudes e tome a sua decisão. Mas me diga logo o que achou.