Como dizer adeus a alguém?

Muitas vezes, as pessoas evitam despedidas porque é mais confortável para elas. No entanto, adotar esse hábito pode ser muito perigoso para nossa saúde emocional e a dos outros.
Como dizer adeus a alguém?

Última atualização: 14 Janeiro, 2022

Dizer adeus a uma pessoa pode ser uma experiência difícil por vários motivos, e há até quem prefira evitá-la. O problema é que as despedidas são necessárias para fechar ciclos ou episódios da nossa vida.

Assuntos inacabados podem deixar traços emocionais que continuam a nos afetar, independentemente de quanto tempo passe. Por isso, entender como se despedir de alguém é necessário para terminar e superar situações importantes.

Felizmente, esta é uma habilidade que pode ser aprendida através da prática. Neste artigo, apresentaremos algumas ideias para ajudá-lo a se despedir de maneira saudável. Embora não seja fácil, sempre será benéfico para sua saúde emocional.

A importância de saber se despedir de alguém

Relacionamentos familiares, de amizade ou parceiros podem terminar em algum momento por vários motivos. Dependendo da proximidade do vínculo, essa quebra pode nos afetar de várias maneiras. Romper os laços com uma pessoa é um evento que inicia um processo de luto pela perda de uma conexão emocional.

Nesses casos, acontece a mesma coisa que acontece quando um ente querido morre. Nesse sentido, foi demonstrado que, quando o luto não é processado de forma saudável, pode acarretar outras alterações. Por exemplo, o paciente pode experimentar um ataque de ansiedade ou episódios depressivos. Dessa forma, aprender a se despedir de alguém é necessário para encerrar essas experiências.

Schwörer, Krott e Oettingen (2020) publicaram um estudo sobre as consequências de não se despedir corretamente. Os resultados mostraram que dizer adeus de forma saudável reduziu as emoções negativas, o arrependimento e facilitou a aceitação da mudança. Portanto, pode-se dizer que as despedidas são necessárias.

Porém, para algumas pessoas, a ideia de se despedir do outro é complicada, e gera rejeição. Dizer adeus está associado a emoções desagradáveis, como tristeza ou raiva. Mas adiar o adeus indefinidamente impede que esses sentimentos sejam processados e continuem a afetá-lo mesmo depois de perder o relacionamento.

A seguir, mostraremos como se despedir de alguém por meio de recomendações específicas. Dessa forma, você poderá fechar os ciclos necessários para seguir em frente e viver novas experiências.

Homem sentado em um balanço sozinho

1. Não aja por impulso

Terminar um vínculo com alguém é algo que devemos pensar com cuidado. Não é uma boa ideia fazer isso quando estamos sentindo certas emoções, como raiva ou decepção. É importante avaliar se terminar esse vínculo é o melhor para nós. Se depois de pensar nisso, você concluir que o relacionamento só lhe causa dor e não há como corrigi-lo, talvez seja hora de dizer adeus.

2. Encontre a hora e o lugar certos

Para que a despedida ocorra da forma mais tranquila e saudável, é preciso escolher o momento e o local certos. É essencial ter tempo para falar com calma e fazê-lo em um local onde não haja interrupções. Não é apropriado ter esse tipo de conversa se estivermos muito ocupados ou em lugares lotados onde não há privacidade.

3. Seja honesto e assertivo

Outro aspecto fundamental de como se despedir de alguém tem a ver com a honestidade. Com isso, não estamos falando apenas de ser sincero ao conversar com o outro, mas também conosco. É aconselhável reservar um tempo para refletir sobre como nos sentimos sobre a situação. Assim, saberemos o que precisamos dizer à outra pessoa para terminar o relacionamento.

Por outro lado, a assertividade permite que nos expressemos com respeito, tanto em relação a nós mesmos quanto ao outro. É possível comunicar uma mensagem com clareza, sem transformá-la em insulto ou ataque. Fazer o último pode gerar reações do outro que podem levar a uma discussão. Por sua vez, isso daria origem a outros sentimentos e processos que dificultariam a superação do luto.

4. Aceite suas emoções, mesmo as desagradáveis

Dizer adeus a alguém pode parecer libertador no começo. Embora, mais tarde, outras emoções como raiva e tristeza possam surgir, que fazem parte do luto. Esses tipos de sentimentos, embora não sejam agradáveis, precisam de seu espaço.

Não tente reprimir suas emoções ou ignorá-las, pois isso pode trazer outras complicações. Problemas de controle da raiva, sintomas depressivos ou crises de ansiedade estão relacionados ao conflito não processado.

5. Reserve um tempo

O duelo requer tempo e espaço para poder superá-lo da melhor maneira. Não tente agir como se as coisas tivessem mudado da noite para o dia ou como que tudo está perfeito. Embora possa ser a melhor decisão, mesmo assim, não é fácil se adaptar à nova realidade. Tente dar a si mesmo o tempo necessário para aceitar as mudanças e seguir seu próprio ritmo.

Mulher preocupada olhando pela janela

6. Vá à terapia se precisar

Despedidas podem ser complexas. Por exemplo, quando não é possível dizer adeus a uma pessoa porque ela não está fisicamente presente. Nesses casos, um psicólogo ou psicoterapeuta pode usar diferentes técnicas para permitir que você consiga se despedir desse relacionamento. Além disso, também é útil para aprender estratégias para ajudar a gerenciar a dor emocional da despedida.

Para concluir, pode-se dizer que saber se despedir de alguém é um fator fundamental para a saúde mental. A vida é cheia de momentos em que é preciso se desapegar e se despedir, negar essa realidade só nos causa sofrimento. Em vez disso, aceitá-la como algo natural e fazê-lo adequadamente contribui para o desenvolvimento pessoal.

Pode interessar a você...
A você, que se foi quase sem dizer adeus 
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
A você, que se foi quase sem dizer adeus 

A você que se foi quase sem dizer adeus, que depois de tanto (ou pelo menos eu acreditava nisso) reduziu tudo ao insignificante.



  • Schwörer, B., Krott, N. R., & Oettingen, G. (2020). Saying goodbye and saying it well: Consequences of a (not) well-rounded ending. Motivation Science, 6(1), 21.