Como falar sobre seus defeitos em uma entrevista de emprego

Uma maneira de nos testarmos é nos perguntarmos sobre nossas fraquezas. A seguir, contaremos como responder em uma entrevista de emprego sobre seus pontos fracos.
Como falar sobre seus defeitos em uma entrevista de emprego

Última atualização: 17 janeiro, 2022

É quase inevitável que o recrutador pergunte sobre seus pontos fortes e fracos em uma entrevista de emprego. Agora, não há truques misteriosos para ter sucesso.

A chave é a honestidade porque é a maneira mais simples e direta, já que não há nada razoável em dar respostas inventadas.

O recrutador procura testar sua capacidade de reação

A honestidade é essencial para explicar seus defeitos em uma entrevista de emprego. Se o recrutador perguntar sobre eles, seja cauteloso e mantenha a calma; ele só quer analisar suas reações e, principalmente, a consciência que você tem de si mesmo.

Tente mostrar a ele que, mesmo com seus defeitos, você tem as melhores condições e características profissionais que os demais candidatos.

Além disso, tenha em mente os seguintes pontos sobre o que um recrutador procura em um candidato.

Entrevista de trabalho

1. As perguntas do recrutador

Durante as entrevistas de emprego, é comum o recrutador perguntar sobre os defeitos do candidato: “me conte três defeitos característicos da sua personalidade”, “qual é o seu maior defeito?”, “quais pontos fracos você acha que tem como trabalhador?”, entre outras questões que apontam sempre para a mesma coisa. Ele quer testar sua capacidade de reagir, quão honesto você é e se você tem a capacidade de ser fiel a si mesmo.

Segundo Jaume Masip Pallejá e María del Carmen Herrero Alonso, doutores em psicologia, há evidências de que mentir exige mais esforço mental do que ser honesto.

A verdade na memória facilita a tarefa do entrevistado, pois será ativada e “será mais fácil transmiti-la”; situação que dificulta a postura do mentiroso, pois quanto mais presente e ativa a verdade estiver na memória, maior será o esforço para inibi-la.

2. Não dê respostas do tipo “sou muito perfeccionista”

Evite dar respostas comuns, como “Sou muito estruturado”, “Sou viciado em trabalho”, “Trabalho demais”, “Sou muito perfeccionista” etc.

Se eles perguntarem sobre seus defeitos, responda honestamente. Tente não invertê-los e apresentá-los como pontos fortes, pois o recrutador pode pensar que você não é sincero e, portanto, que você esconde suas fraquezas.

3. Defeitos como aspectos a melhorar

Nada é perfeito; todos nós temos falhas, planos em que há uma boa margem de melhoria. Tente responder as perguntas que o entrevistador faz e não que você quer.

Depois de expor seus defeitos, você pode completar sua resposta com o que está fazendo para melhorar. Não é uma tarefa fácil, pois defeitos, sendo em muitos casos um padrão de comportamento, levam tempo.

4. Pense antes de falar

Responder com sabedoria é um sinal de pensar antes de falar. Não se apresse ao falar sobre suas fraquezas em uma entrevista de emprego; verbalize suas observações, compartilhando suas considerações.

Evite preenchimentos como “bem”, “se eu me fizer entender”, “isto é”, etc. É importante mencionar o que você aprendeu com suas deficiências e destacar sem exagerar o processo que você realizou para transformá-las em pontos fortes.

Como responder quando perguntado sobre seus defeitos

Ao expor seus pontos fracos, explique brevemente quando eles aparecem e o que você está fazendo para melhorá-los, por exemplo:

  • Sou tímido; no entanto, estou ciente disso e me esforço para fazer um balanço positivo das situações sociais e tomar a iniciativa de dialogar quando julgo necessário.
  • Em muitas ocasiões, sinto-me ansioso para obter um resultado imediato. Como vi que isso não me favoreceu em nada, decidi ter paciência com o que não posso controlar ou administrar de imediato, posição que me ajudou muito a me regular e não me apressar.
  • Um dos meus pontos fracos é que não tenho experiência, mas aprendo rápido e me adapto bem às mudanças. Terei que passar por um pequeno período de adaptação, mas não acho que demore muito para cumprir as responsabilidades associadas ao meu cargo e fazê-lo de forma independente.
  • Eu gosto de trabalhar sozinho. Sinto que tenho mais controle. A experiência me ensinou que as pessoas são extremamente importantes para alcançar os objetivos, assim como eu posso ser essencial para o que o outro precisa de mim, pois os princípios de solidariedade e cooperação são absolutamente necessários.
Garota falando sobre suas deficiências em uma entrevista de emprego

Outros aspectos a considerar

A essência da entrevista, além de como você responde as perguntas do recrutador sobre seus defeitos, está também na sua linguagem corporal, pois nela é transmitida muita informação sobre quem somos. Assim, será essencial que seus gestos sejam naturais e fluidos. Acompanhe sua linguagem não verbal com boa atitude e disposição.

A educação em uma entrevista de emprego mostra o quão viável você é para o ambiente de trabalho de qualquer empresa; Além disso, um vocabulário bem utilizado evitará confusão e duplo sentido nos conceitos a serem discutidos na entrevista.

Para concluir, use o senso de humor, mas não force. Por exemplo, você pode contar uma anedota sobre como seus defeitos o fizeram passar por momentos que pareciam embaraçosos para você, então você aprendeu a não agir dessa maneira em circunstâncias semelhantes.

This might interest you...
Você trabalha em um bom ambiente de trabalho? 10 pistas para saber
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Você trabalha em um bom ambiente de trabalho? 10 pistas para saber

O ambiente de trabalho é um elemento fundamental para o bom funcionamento de qualquer organização. Descubra algumas chaves.



  • Bravo, L.; García, U.; Hernández, M. & Ruiz, M. (2013). La entrevista, recurso flexible y dinámico. Investigación en Educación Médica, 2(7), 162-167. https://acortar.link/92cZYX
  • Masip, J. & Herrero, C. (2015). Nuevas aproximaciones en detección de mentiras II. Estrategias activas de entrevista e información contextual. Papeles del Psicólogo, 36(2), 96-106. https://acortar.link/pqja5H
  • Terol, E. (1997). Buscar Empleo. Todo sobre tu curriculm y las entrevistas de trabajo. EOI Escuela de Organización Industrial.