Como falar sobre sexo com um adolescente

· maio 19, 2016

Falar sobre sexo com um adolescente é um tema delicado, porém necessário. Para as pessoas que os educam, especialmente para os pais, pode ser algo aterrador. No entanto, o que é realmente preocupante é não saber de onde e em que condições um jovem recebe este tipo de informação.

Embora possa ser difícil, a sexualidade é um tema sobre o qual temos que falar. Os adolescentes querem saber mais sobre sexo, mas na maioria das vezes eles se sentem desconfortáveis em falar sobre isso com os adultos, especialmente com os seus pais e educadores. Enfrentar a questão de forma correta tem muitas vantagens para todos.

Falar com os adolescentes sobre sexo permite que eles tenham informações sobre os riscos físicos e emocionais e concede-lhes uma base sobre como devem começar a explorar sua sexualidade.

Sentir-se bem falando de sexo

Falar sobre sexo não deveria ser um tema incômodo. Embora inicialmente seja difícil, este desconforto deveria ir desaparecendo. Os jovens têm dúvidas, ouvem informações contraditórias e estão expostos a uma multiplicidade de experiências. Na realidade, os adolescentes estão desejando ter alguém com quem falar abertamente sobre sexo. 

Se os jovens se acostumarem a falar sobre sexualidade com os adultos, serão capazes de falar sobre isso com os seus parceiros, sobre o que gostam e o que não gostam, sobre o que desejam e que não desejam. Em outras palavras, isso irá facilitar a comunicação, reforçará a sua autoestima e os fará menos vulneráveis.

Mãe falando com sua filha

Além disso, falar sobre sexo é uma forma de eliminar tabus e fomentar uma sexualidade saudável e honesta. Também permite transmitir os valores familiares a partir de uma perspectiva baseada na compreensão e assimilação conscientes, e não a partir da imposição forçada, baseada no medo e no castigo.

Diretrizes para falar sobre sexo com um adolescente

Embora cada caso seja único, os seguintes conselhos vão ajudá-lo a encontrar o jeito certo de falar sobre sexo com um adolescente. Tenha em conta que neste momento os jovens têm preocupações e necessidades.  Tanto a proibição quanto a dissimulação ou as ameaças são mais um incentivo para eles, por isso o melhor é procurar uma abordagem aberta ao diálogo.

Inicie a conversa

Vá em frente e inicie a conversa sobre sexo. Talvez o adolescente se sinta desconfortável no início, especialmente se for seu filho, sobrinho ou se você for o educador dele. No entanto, quando você se antecipa, você tem a oportunidade de mostrar que está disposto a falar sobre o que o preocupa.

Iniciar uma conversa sobre sexualidade não costuma ser fácil. Para facilitar as coisas, você pode promover uma discussão a partir de alguma notícia de imprensa ou de algum livro. Também pode provocar a situação colocando algum vídeo ou assistindo um filme.

Compartilhar leituras e filmes com o adolescente é uma boa maneira de se antecipar às perguntas dele, e facilita a conversa sobre temas mais delicados. 

O sexo não é um jogo de números

O sexo não é um jogo de números: essa é uma das primeiras mensagens que você deveria transmitir a um adolescente. Fenômenos como o Tinder ou sites de encontro distorcem a visão dos adolescentes sobre a sexualidade e as relações, para não falar da quantidade de vídeos e publicações que estão ao alcance deles.

Os adolescentes devem saber que o sucesso das relações sexuais não está na quantidade de pessoas com quem já estiveram, e sim que se trata de algo muito mais profundo. Na verdade, a quantidade, em termos de sexo, é muitas vezes um fator de ansiedade nos adolescentes.

Uma forma de contornar este jogo de números é perguntar ao adolescente sobre a quantidade de doenças sexualmente transmissíveis que as pessoas que tanto “admiram” contraíram, assim como gestações indesejadas, experiências desagradáveis, etc.

Ensine-lhe como usar um preservativo

Uma vez iniciados os diálogos sobre sexo, explicar a um adolescente para que serve um preservativo é a parte mais fácil. O que se pode tornar mais incômodo é colocar o preservativo nas suas mãos e explicar-lhe como se usa.

Mas se você quer que um adolescente use preservativos, você mesmo deve oferecê-los e explicar como são usados, para que ele se sinta seguro e os use. Muitos podem pensar que esta é uma maneira de incentivar o sexo na adolescência, porém isso não é verdade. 

Ensinar um adolescente a usar um preservativo lhe dá a oportunidade de pensar em todos os riscos que existem e na importância de fazer as coisas de forma consciente.

Preservativo

Explique que “não” é uma palavra poderosa

Explorar a própria sexualidade é algo natural, todavia isso não obriga ninguém a fazer algo contra a sua vontade. Explique que ele não é obrigado a realizar as necessidades de outra pessoa por medo, que tem direito de decidir.

Aprender que o “não” é uma palavra poderosa irá lhe ensinar que também deve respeitar os desejos da outra pessoa e que qualquer relação sexual deve ser baseada em respeito mútuo.

Responda a todas as dúvidas

Quando for falar com um adolescente sobre sexo, você deve esquecer tabus e palavras politicamente corretas. Se o adolescente tem dúvidas sobre sexo, responda a elas sem cair em dogmatismos, de forma aberta e sincera. E não o julgue.

Nunca julgue um adolescente pelas preocupações dele sobre a sexualidade, sejam elas quais forem.

Desta forma você vai conseguir se transformar no conselheiro dele. É inevitável que ele procure mais informação ou que explore por conta própria, mas pelo menos você lhe dará a oportunidade de ter alguém com quem falar quando as dúvidas e os medos aparecerem.