Como lidar com situações estressantes?

fevereiro 11, 2020
As situações estressantes podem significar uma crise, mas não deixam de ser oportunidades de crescimento. Neste artigo, falamos sobre algumas estratégias que podem ajudar a gerenciar o estresse.

Existem momentos na vida que causam um grande impacto. No entanto, cada pessoa reage de maneira diferente diante das adversidades. Como todos nós precisamos lidar com situações estressantes em algum momento, queremos oferecer conselhos sobre o assunto.

Ao longo deste artigo, falaremos sobre como lidar com uma situação estressante. Além disso, compartilharemos algumas estratégias para ajudá-lo a enfrentá-las.

Situações estressantes: o que as define?

Situações estressantes: o que as define?

O estresse pode ser definido como a “tensão causada por situações intensas que originam reações psicossomáticas ou transtornos psicológicos”. 

Assim, uma situação estressante tem a ver com o que nos atordoa e que, além disso, pode nos causar desconforto, seja físico, psicológico ou social. No entanto, se a sua saúde será afetada ou não, isso dependerá de vários fatores.

As causas do estresse podem ser diversas. A seguir estão algumas delas:

  • Sobrecarga e insatisfação no trabalho.
  • Enfrentar uma doença.
  • Problemas com seu parceiro, sua família ou com seus colegas de trabalho.
  • Provas.
  • Mudanças.
  • Não saber dizer não.
  • Não ter tempo livre.
  • A morte de um ente querido.
  • Falta de tempo para se dedicar ao lazer.
  • Acúmulo de tarefas.
  • Engarrafamentos.

Embora possa parecer que todas as causas são mentais, existem algumas causas físicas. Por exemplo: esforço excessivo, má postura, falta de sono, fome, variações incomuns de peso, dores de cabeça frequentes, dermatite atópica, entre outros.

Estratégias para lidar com situações estressantes

Existem diferentes maneiras de lidar com situações estressantes. Ao aprender a lidar com elas, aumentamos nosso bem-estar e, como resultado, melhoramos nossa qualidade de vida. No entanto, essas estratégias exigem dedicação. Vejamos algumas delas.

Comunicação para lidar com situações estressantes

Nós nos comunicamos constantemente. No entanto, a questão é: fazemos isso de forma assertiva? Esse tipo de comunicação requer que tenhamos consciência da mensagem que queremos transmitir e que gerenciemos nossas emoções e pensamentos para nossa mensagem chegar à outra pessoa da maneira mais eficaz possível.

Por outro lado, quando falamos de comunicação, não nos referimos apenas ao que comunicamos através da linguagem escrita ou falada, mas também ao que projetamos através da linguagem corporal. Portanto, a comunicação assertiva implica que devemos considerar todas essas áreas.

Por que a comunicação pode nos ajudar a assumir uma situação estressante? Porque, ao transmitir a mensagem de forma adequada, evita-se qualquer tensão que possa ser gerada por não manifestarmos o que pensamos. Além disso, também é uma boa maneira de pedir ajuda, acrescentando força para enfrentar um determinado desafio.

Gestão emocional

A gestão emocional é algo essencial quando se trata de lidar com situações estressantes. No começo, pode ser complexo, mas quando aprendemos como expressar nossas emoções e qual é o momento certo para fazer isso, tudo fica mais fácil.

Imagine que você esteja se sentindo muito estressado e irritado no trabalho e que gostaria de dizer para todos como está se sentindo. O mais correto nessa situação seria não fazê-lo, para que não saia do seu controle. No entanto, você pode encontrar outro momento para expressar o que sente. Por exemplo, através da meditação.

Resiliência após uma situação estressante

Todos nós somos capazes de desenvolver a resiliência. Trata-se de superar os problemas e seguir em frente quando as adversidades estão contra nós.

Além disso, a resiliência tem a ver com o apoio que uma pessoa tem, tanto humano quanto material, bem como a atitude ou experiência de priorizar atividades.

Organizar o tempo

Podemos nos sentir sobrecarregados ao pensar que não temos tempo suficiente para fazer tudo o que queremos. Vale a pena pararmos para pensar sobre quais são nossas prioridades e, de acordo com elas, estabelecer um cronograma de atividades.

A ideia é que, de fato, sigamos esse cronograma. Para isso, é essencial não estabelecermos objetivos tão altos e sermos disciplinados. Isso nos ajudará a não nos autossabotarmos.

Seguir uma rotina

A rotina faz com que o desgaste cognitivo diário diminua. Tomamos uma decisão e aplicamos o resultado, e isso significa que não precisamos passar pelo mesmo processo de tomada de decisão sempre. Isso torna mais fácil dedicar recursos a outras decisões, para transformá-las em situações menos ameaçadoras e estressantes.

A rotina nos dá segurança, porque temos claro o que vamos fazer. Além disso, nos ajuda a organizar nosso tempo e, se tivermos hábitos saudáveis, isso vai favorecer o nosso bem-estar.

Deixar fluir

Isso significa não se prender a uma situação. Existem problemas que podemos resolver e outros que não. Em muitos casos, o difícil é distinguir um do outro.

Deixar fluir também significa não nadar contra a corrente. Precisamos aprender a nos adaptar e aceitar o que não podemos mudar. Ser rígido, em muitos casos, apenas aumenta a tensão que temos de suportar, até chegar a um ponto em que rompemos.

Estratégias para lidar com situações estressantes

Viver o momento presente

Quando ficamos pensando sobre o que teria acontecido se tivéssemos falado ou feito algo diferente, estamos dando muita importância ao passado. Como resultado, em muitos casos acabamos nos fazendo mal, porque alimentamos emoções como a vergonha, a tristeza ou a culpa.

Embora as emoções possam ter o seu valor, nem sempre são fáceis de classificar como boas ou más. Por outro lado, seu efeito sobre nós e sua maneira de condicionar nosso humor depende, em grande parte, de como as gerenciamos. Uma das piores maneiras de gerenciá-las é mastigar os pensamentos, como se fossem chicletes.

Algo semelhante acontece quando focamos no futuro o tempo todo. Ao fazer isso, alimentamos a ansiedade, que pode nos causar um grande desconforto. Pensar no futuro não é algo ruim, o que é prejudicial é nos ancorarmos a esse lugar.

Mindfulness

Para cultivar o momento presente, podemos recorrer a técnicas de mindfulness que nos incitam a desenvolver a consciência plena. De fato, existem pesquisas que apoiam o valor de praticá-las.

Shapiro, Carlson, Astin e Freedman, em seu artigo publicado no Journal of Clinical Psychology, nos mostram a eficácia do mindfulness para tratar tanto os sintomas físicos quanto os psicológicos.

No entanto, devemos ter em mente que, como nem sempre podemos lidar com tudo, pedir ajuda não é uma má ideia. Profissionais especializados, como os psicólogos, podem nos ajudar nesses tempos difíceis.

Existem milhares de situações estressantes, e elas causam mais ou menos desconforto, dependendo de diferentes variáveis. Algo fundamental é considerar algumas estratégias para evitar que nos prejudiquemos. É preciso entender que as emoções negativas fazem parte da jornada e que não é ruim senti-las, mas sim contê-las ou ignorá-las.

Shapiro, S.L. Carlson, L.E., Astin, J.A., & Freedman, B. (2006). Mecanisms of mindfulness. Jounral of clinical psychology, 62 (3), 373-386.

Paris, L., & Omar, A. (2009). Estrategias de afrontamiento del estrés como potenciadoras de bienestar. Psicología y Sañud, 19(2), 167-175.