Como parar de fumar em 5 passos

· janeiro 3, 2017

Parar de fumar é uma decisão muito pessoal que a maioria dos fumantes já pensou em tomar em algum momento de suas vidas. Mas muitos não se veem capazes e, inclusive, já tentaram, mas não tiveram sucesso, principalmente se já fumam há muito tempo.

Evitar do sofrimento a curto prazo é o caracteriza a sociedade atual e, nas drogas, o paralelismo a esta dinâmica se encontra em fazer todo o possível para evitar os sintomas da síndrome de abstinência, que no caso do tabaco são físicos e psicológicos. Por isso são necessárias diferentes estratégias na hora de enfrentar o processo de parar de fumar.

Os passos que você vai ler a seguir fazem parte de um guia para que deixar de fumar seja um processo mais simples. No entanto, não se esqueça de que largar uma droga é um processo muito complicado, e que pode ser necessário ter mais ajuda para conseguir fazer isso. Dessa forma, você tem que estar aberto a qualquer recurso que exista ao seu redor e que possa dar uma mãozinha ao processo.

maos-cigarro-coracoes

Não existem receitas mágicas que ajudam a largar uma droga sem esforço, e se estão lhe vendendo algo assim, certamente é mentira. Por isso, sabemos que deixar o cigarro é difícil, mas não é impossível. Se você seguir os passos, será mais fácil alcançar seu objetivo:

Passo 1. A motivação é essencial

Eu sei que dizer que quer parar de fumar é mais simples do que fazer, pois como tudo, requer muito esforço. Por essa razão, antes de começar com o processo de parar de fumar, recomendo que você faça uma lista com duas colunas, nas quais inclua as razões contra e a favor desta decisão.

Depois disso, dê valores para cada razão de cada coluna, segundo sua ordem de importância; por exemplo, de 1 a 10, obtendo o que chamamos de balanço de decisão. Se estiver equilibrado e as razões que te fariam parar de fumar estiverem em maior quantidade e forem mais fortes do que as que te fazem continuar no vício, você está preparado para começar.

Se não for assim, revise os motivos e assegure-se de que existe uma verdadeira motivação intrínseca antes de começar o processo. Esta é uma etapa essencial. Parar de fumar depende de você, não do que os demais dizem.

mulher-fumaca

Também é aconselhável que você tenha um recurso que te lembre o motivo pelo qual você iniciou o processo, pois ele vai te ajudar nos momentos de fraqueza; pode ser uma carta escrita para a pessoa que você mais ama, por exemplo. Essa carta deve estar sempre com você, dessa forma você pode recorrer a ela sempre que precisar.

A carta deve começar assim: “Querido filho, hoje decidi que vou parar de me matar lentamente, hoje decidi que vou parar de fumar…” e continue expondo os motivos refletidos na coluna dos prós que você havia escrito antes.

Passo 2. Aprender respirar vai ajudá-lo a deixar a ansiedade para trás

Uma vez assegurada a motivação, antes de deixar de fumar, é aconselhável que você aprenda alguma técnica de relaxamento para ajudá-lo a superar os momentos de maior ansiedadeSe você já domina alguma, você deve utilizá-la; se não souber, é melhor aprender a respirar.

A respiração pelo diafragma é a mais aconselhável nestes casos, já que é similar ao tipo de respiração que você faz quando fuma. Inspire lenta e profundamente e expire devagar, diminuindo, assim, seu ritmo cardíaco.

maos-coracao

Passo 3. Parar de fumar é um processo individual

Não podemos nos esquecer de que cada um de nós tem suas próprias circunstâncias, de maneira que o melhor tratamento vai sempre ser o que melhor se adaptar as nossas condições particulares. Assim, é uma boa ideia que um psicólogo adapte qualquer tratamento geral a você.

Há pessoas que se veem mais capazes de acabar com o hábito de forma mais radical, e outras que se veem com mais força de acabarem com ele através de um processo gradual. De uma forma ou de outra, a abstinência biológica sempre vai ser menos dura se o consumo de nicotina for reduzido de forma gradual.

A dinâmica deste processo gradual consistiria em reduzir progressivamente a nicotina do organismo, para que a abstinência e a ansiedade sejam menores. Uma vez começado o processo, vá deixando para trás os cigarros que são menos importantes diariamente para você, até que você acabe eliminando o que é mais imprescindível.

Passo 4. Se você não tem armas, não vá à guerra

Se você não tem armas, não vá à guerra, porque sem elas você não sairá vitorioso. No caso do tabaco, quando você começar a parar de fumar, deve se desfazer de tudo aquilo que se relacione ao tabaco. Isso quer dizer que você deve jogar fora todos os cinzeiros da casa e também os isqueiros.

Além disso, é aconselhável que, na medida do possível, você evite aquelas situações nas quais fumar um cigarro seria muito comum. Assim, se você é propenso a fumar enquanto descansa após comer, com a eliminação do hábito, elimine também estes momentos de descanso. Uma boa ideia pode ser substituir tal momento por um pequeno passeio pela rua.

cabeca-fumaca

Passo 5. Nenhum cigarro resolveu meus problemas

Pela minha experiência, posso dizer que nenhum cigarro resolveu meus problemas. Quando paramos de fumar costumamos perceber que a nossa mente está em desordem por conta da ansiedade. Uma falta de ordem que, por sua vez, impede a concentração e nos torna mais dispersos nos primeiros dias após a interrupção do hábito. No entanto, não podemos nos esquecer de que voltar atrás não é uma solução e que, pouco a pouco, se persistirmos na abstinência, vamos recuperar as sensações positivas.

Fumar é o problema, não a solução. Fumar envenena o nosso cérebro e faz com que vivamos pior. Diante disso, aprender técnicas de solução de problemas nos dará recursos que são realmente efetivos para enfrentar nosso dia a dia.