Como superar a síndrome do impostor?

A síndrome do impostor surge quando pensamos que o sucesso que obtivemos ao longo da nossa trajetória é produto da sorte. Saiba como superá-la!
Como superar a síndrome do impostor?

Última atualização: 24 Setembro, 2021

Como superar a síndrome do impostor? O que exatamente é essa síndrome? Você conhece este conceito? Para saber se você sofre dela, estas são algumas pistas: você sente que a sua vida “não lhe pertence”, que é protagonista da vida do outro, que as suas conquistas não dependem de si mesmo, mas da sorte, que você não merece ter sucesso…

Você pode estar enfrentando a síndrome do impostor. E agora, o mais importante: como podemos combatê-la? A seguir, compartilharemos alguns conselhos baseados, sobretudo, na reflexão pessoal.

O que é a síndrome do impostor?

A síndrome do impostor foi descrita pela primeira vez em 1993 por Pauline Rose Clance, que publicou uma pesquisa sobre ela.

Essa síndrome caracteriza aquelas pessoas que sempre têm a sensação de “estar tendo um golpe de sorte”, principalmente no ambiente de trabalho ou acadêmico. Assim, acreditam que suas conquistas não dependem das suas habilidades e esforços, mas da sorte. Elas também têm a sensação de que não merecem o que têm e, de certa forma, que sua vida não lhes pertence. É como se fossem impostores da própria vida (daí o nome da síndrome).

As consequências dessa síndrome são inegáveis, pois colocam a pessoa em um estado quase permanente de desamparo aprendido (“Não posso fazer nada para mudar minha situação”), mesmo que esteja vivendo uma situação ideal ou boa.

Mulher triste pensando

Como superar a síndrome do impostor?

Você está vivendo esta situação? Como superar a síndrome do impostor? Não perca estas sete dicas:

1. Identifique a síndrome (ou não)

O primeiro passo será determinar se você se sente ou não identificado com a síndrome. Você realmente sente que não valoriza seus sucessos? Ou melhor, você os atribui à sorte, ao acaso ou a outras variáveis, e não a você?

É importante que você analise a sua situação pessoal, observe seu diálogo interno e a forma como você se trata. Se você realmente sente que pode estar sofrendo com isso, pode passar para o próximo ponto.

2. Reconheça suas próprias emoções

Outro passo para superar a síndrome do impostor é reconhecer as suas próprias emoções. Identifique-as, observe-as, aceite-as e, acima de tudo, permita-se senti-las.

Reconheça que talvez você esteja se autossabotando e que o fato de não reconhecer suas próprias habilidades tem uma série de efeitos emocionais, como frustração, tristeza, desamparo…

3. Analise de onde vêm as suas realizações

Observe suas realizações e pergunte-se de onde elas realmente vêm. Tenha a coragem de questionar suas velhas crenças, suas idéias fixas… Tudo que você conquistou realmente vem da sorte?

Experimente fazer um exercício de probabilidade: qual é a probabilidade real de que TUDO que você alcançou dependesse da sorte? Até que ponto a sorte influencia sua vida e suas realizações?

5. Observe seus medos

Outra ideia-chave para superar a síndrome do impostor é analisar seus próprios medos. Pergunte a si mesmo: do que você realmente tem medo? De se destacar? De se decepcionar ou decepcionar alguém? A quem? De falhar?

Muitas vezes, por trás desse medo de se destacar, existe o medo de não ser suficiente, além daquela sensação de ser um impostor da própria vida.

6. Cuide do seu diálogo interno

O diálogo interno é muito importante para o nosso bem-estar e para a definição do nosso autoconceito, pois reforça ideias previamente estabelecidas ou nos leva a outras, e todas elas impactam nossas emoções e comportamentos.

Portanto, verifique seu diálogo interno (o que você diz a si mesmo). Como você fala consigo mesmo? Você faz isso com amor? Qual é a primeira coisa que você diz a si mesmo quando atinge uma meta?

Tomar consciência de tudo isso o ajudará, aos poucos, a superar a síndrome do impostor, pois você começará a cuidar das suas palavras e entender para quais emoções elas o conduzem.

7. Aceite-se

Não é nada fácil se aceitar, porque isso implica se conhecer e, às vezes, essa situação pode ser assustadora. Por esse motivo, é importante cultivar o autoconhecimento, porque isso nos aproxima de aceitar também as nossas deficiências e defeitos, reconhecendo-os e tomando consciência deles.

O que isso tem a ver com superar a síndrome do impostor? Para “superar” características que nos definem ou formas de abordar ou interpretar nossas experiências, é importante aceitar que elas estão aí. Porque assim lhes damos luz e, de certa forma, lhes damos também a oportunidade de mudar.

Mulher olhando para o reflexo no espelho

Como começar a trabalhar a síndrome do impostor?

Você acha que sofre da síndrome do impostor? Para superá-la, primeiro será essencial descobrir se você realmente sofre dela. Por outro lado, a aceitação das emoções (e de si mesmo) também é fundamental. Portanto, encorajamos você a observar suas emoções, seus comportamentos e se deixar guiar pela intuição.

Acima de tudo, comece a se valorizar. Você verá como, se fizer isso, aos poucos vai tirar essa síndrome da sua vida e vai acabar se sentindo o protagonista (e merecedor) da sua própria história, com todas as suas luzes e também suas sombras.

“Aspire à perfeição mesmo sabendo que não vai alcançá-la, e alcançará a excelência.”
-Emilio Valcarcel-

Pode interessar a você...
A síndrome do impostor
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
A síndrome do impostor

Alguma vez você já sentiu que de alguma forma você é uma fraude? Este sentimento é mais comum do que imaginamos e pode caracterizar a síndrome do i...



  • Valerie, Y. (2013). The secret thoughts of successful women : why capable people suffer from the impostor syndrome and how to thrive in spite of it. Crown Business. ISBN 978-0-307-45273-3OCLC 869741509.
  • Zubillaga, K. (2020). Síndrome del impostor, regulación emocional y apoyo social percibido en adultos de CABA y Provincia de Buenos Aires. Editor Institucional: Universidad Argentina de la Empresa.