Como um boato se espalha

· outubro 11, 2018

Um boato é um fenômeno social que precisa de pelo menos uma pessoa para criá-lo e disseminá-lo, e de muitas outras para modificá-lo e transmiti-lo. Portanto, entender como um boato se espalha é a chave para evitá-lo.

Muitas das conversas que mantemos diariamente estão cheias de trocas de boatos. Eles estão imersos na sociedade. De fato, é algo fugaz porque tenta se esconder através do disfarce da informação verdadeira.

Assim, a veracidade do boato está em dúvida, ou melhor, não pode ser corroborada. Normalmente, eles são gerados e transmitidos de boca em boca, embora seja verdade que, às vezes, eles também podem ser propagados pela mídia.

Os boatos geralmente surgem para condicionar o pensamento ou o comportamento das pessoas com um propósito específico. Embora, pelo menos no início, você não possa confirmar a sua veracidade, os comentários não demoram muito para se espalhar. Isso porque eles tendem a ser chocantes ou polêmicos.

Por exemplo, uma grande empresa pode lançar boatos sobre a situação financeira de outro concorrente. Isso criaria insegurança entre os clientes e trabalhadores, com o objetivo de gerar um clima negativo e prejudicar o seu concorrente.

É necessário enfatizar que, com a expansão das novas tecnologias, os rumores correm como pólvora pelas redes sociais.

Como um boato se espalha

As características do boato

Antes de nos aprofundarmos em como um boato se espalha, explicaremos quais são as suas principais características para entendermos adequadamente esse fenômeno e tudo o que ele implica.

Interesse público

O boato deve ter um certo grau de interesse público. Caso contrário, ninguém se incomodaria em transmiti-lo, nem perderia tempo ouvindo e, portanto, logo seria esquecido.

Para obter um maior impacto, a mensagem transmitida deve ser curta, simples e relevante para o destinatário. Este conceito é fundamental para entender como um boato se espalha.

O seu objetivo é convencer

Um boato pretende ser aceito como uma explicação. O seu objetivo é convencer. É transmitido para ser acreditado e, portanto, é protegido pela autoridade do comunicador, que por sua vez exige confiança em sua veracidade.

Por outro lado, a fonte original do boato é geralmente atribuída a alguém importante para torná-lo tão verdadeiro quanto possível.

Espalhar um boato é compartilhar uma crença, uma verdade pertencente a quem parece ou afirma ser uma testemunha.

A informação não é confirmada

Como dissemos antes, a informação que é transmitida com um boato não foi confirmada. Dessa forma, nos contentamos com a crença de que a fonte é confiável.

A abordagem que adotamos para acreditar em um boato é de que nem todas as informações que recebemos todos os dias foram verificadas e confirmadas; e mesmo assim, na maioria dos casos, elas estão corretas.

O boato como balão de ensaio

O boato também pode ser usado de uma posição de poder como “balão de ensaio”. Antes de tomar uma decisão importante, informações incompletas e breves são lançadas para que cheguem à base e retornem enriquecidas com as opiniões dos diferentes níveis da sociedade.

Por exemplo, como resultado da forte crise econômica sofrida na última década, muitos governos lançaram mensagens de austeridade econômica e perda de direitos trabalhistas dos trabalhadores, apenas para ver a resposta da população e como essa decisão afetaria os seus eleitores.

Como um boato se espalha e se origina

Existem certas condições básicas que causam o nascimento de um boato. Por um lado, o conteúdo da mensagem transmitida deve ser caracterizado pela sua ambiguidade informativa e, por outro lado, captar imediatamente a atenção das pessoas.

Se você decidisse estudar como um boato se espalha para depois criar o seu, a primeira coisa seria ter uma boa história que chamasse a atenção do receptor. Além disso, é importante misturar um pouco de verdade com um pouco de exagero, e depois acrescentar tantos detalhes quanto acharmos apropriados para garantir a veracidade.

No entanto, não podemos esquecer que na transmissão de informações serão adicionados novos conteúdos, alguns serão incluídos e outros serão esquecidos. Dessa forma, a mensagem original será modificada.

Entender como um boato se espalha é a chave para identificá-lo.

Mulheres fofocando

A transmissão de um boato

Como resultado das pesquisas de Allport e Postman, as seguintes leis básicas de transmissão de boatos foram desenvolvidas:

  • A lei do nivelamento: conforme o boato é transmitido, ele tende a diminuir e se tornar mais conciso. A omissão dos detalhes não é acidental, mas há uma certa predisposição para omitir alguns detalhes mais do que outros.
  • A lei da acentuação: consiste na percepção, retenção e narração seletiva de um número limitado de detalhes dentro de um contexto maior. Alguns detalhes particulares são mantidos durante toda a comunicação.
  • A lei da assimilação: as pessoas reorganizam os conteúdos, dando-lhes uma “nova forma” de acordo com os seus interesses.

Muitas das nossas conversas diárias são feitas a partir de um grande número de boatos. Todos os assuntos, desde o comportamento moral de um colega de trabalho até o destino da nação, atraem o interesse através de boatos perturbadores.

Assim, quando os dados exatos e completos sobre um problema não estão disponíveis, os boatos são frequentes. Isso pode arruinar completamente a reputação das pessoas, desacreditar causas e minar a moral. A sua manipulação é usada como um instrumento de propaganda. No entanto, se estivermos alertas, poderemos detectá-los efetivamente.