O que é contradependência e por que ela afeta tantas pessoas?

· janeiro 11, 2019
Aqueles que são vítimas da contradependência geralmente têm uma vida social muito ativa e uma vida muito dinâmica em geral. É uma forma de não estreitar os laços com ninguém e não permitir que sua vulnerabilidade e solidão sejam visíveis.

A contradependência é uma nova palavra que foi criada para nomear um fenômeno que também é relativamente novo: a tendência ao distanciamento afetivo devido ao medo.

Há poucas décadas, o que se considerava “normal” era fortalecer os laços com os outros. Os vínculos familiares eram protegidos e cultivados, assim como os laços com a comunidade.

Atualmente, essa proximidade ainda é mantida em cidades pequenas, embora não com tanta força quanto antes. Em contraste, especialmente nas grandes cidades, parece haver uma epidemia de contradependência.

Muitas pessoas não querem que ninguém interfira em sua vida. Os relacionamentos são considerados efêmeros ou circunstanciais. A vida solitária é privilegiada.

“Estou sozinho e não há ninguém no espelho”.
-Jorge Luis Borges-

Mesmo assim, a queixa contra a solidão também é frequente. Muitos gostariam que as coisas fossem diferentes, mas também não estão dispostos a mudar decisivamente.

É como se desejassem que o outro estivesse ali, mas sem as inconveniências e contradições que essa alteridade incorpora. Ninguém quer admitir a dependência, nem pagar o preço da contradependência. Esse é o paradoxo.

Características da contradependência

Ao contrário do que se pode pensar em um primeiro momento, as pessoas que têm problemas de contradependência não são solitárias, nem se isolam ou estão acostumadas a ter um pequeno círculo de amigos. Pelo contrário.

O medo da intimidade os leva ao outro extremo. São aqueles que vão de reunião em reunião, de festa em festa. Eles estão “em tudo”.

Amigos se divertindo

A principal característica da contradependência é a dificuldade de se conectar profundamente com outro ser humano. Além disso, há também outros traços que a identificam:

  • Estabelecem relacionamentos facilmente, mas logo param e não avançam.
  • Dizem se sentir “presos” se alguém quer ficar íntimo deles.
  • Afastam-se dos outros sem qualquer aviso prévio.
  • Sentem simpatia por pessoas que se mostram carentes ou necessitadas.
  • Estão quase sempre “ocupados”.
  • Não pedem ajuda, embora precisem.

Fugir antes de sofrer

A lógica de alguém afetado pela contradependência é baseada na ideia de que você deve evitar sofrer, a todo custo e a qualquer preço. A pessoa sente que estreitar os laços com alguém é um problema que envolve grandes riscos.

O afetado teme se sentir vulnerável e ser abandonado. Por isso, se arma com uma carapaça para não sentir e abandona antes que o deixem.

Mulher independente

Os contradependentes raramente entram em conflito com os outros. Um conflito requer um certo grau de intimidade e vínculo, que é precisamente o que eles evitam.

Para os outros, sua atitude pode ser muito estranha e incompreensível. Um dia desaparecem, sem que haja um inconveniente e sem dar qualquer explicação.

Dizem estão mais focados no sucesso, ou em seus projetos, do que em ter um relacionamento. Consideram este último algo não muito sério ou de pouco valor. Também têm um ar de aparente superioridade. Sentem que são evoluídos demais para que os outros os compreendam, ou pensam que outros querem tirar proveito de suas muitas virtudes.

Um mundo interior invadido pelo medo

Por trás das pessoas que se enquadram na contradependência existe o medo, com todas as suas letras. Essa atitude de evitação provavelmente nasce de experiências passadas que não foram completamente superadas. Particularmente, de lutos inacabados ou experiências traumáticas durante a infância.

São pessoas que foram feridas ou abandonadas e que decidiram parar de sentir para não passar por tanta dor novamente.

O problema é que acabam acreditando em sua própria mentira. Não acreditam que têm um problema, pelo contrário: acham que são melhores que os outros. É um mecanismo de compensação para superar sua própria vulnerabilidade.

Geralmente são muito duros consigo mesmos e muito severos quando se trata de julgar seus próprios erros.

As consequências da contradependência

Os contradependentes ficam muito tensos em situações muito pessoais ou íntimas. Se sentem que precisam de outra pessoa, sentem vergonha e se recriminam. Também são muito desconfiados. Em geral, acham que outras pessoas têm intenções escondidas ou uma agenda oculta.

No fundo, os contradependentes sofrem muito. Sentem o vazio e a solidão, mas, como são marcados pela prevenção, preferem renunciar a serem mais felizes, mesmo que tenham a oportunidade de construir relacionamentos positivos com os outros.

O que fica claro é que essas pessoas precisam de compreensão, carinho e talvez ajuda profissional para quebrar a carapaça que as prende.