3 chaves para conversar sem perder o interesse do outro

3 chaves para conversar sem perder o interesse do outro

Março 17, 2018 em Psicologia 161 Compartilhados
Conversar sem perder o interesse do outro

Winston Churchill disse que “Uma boa conversa deve esgotar o assunto, não seus interlocutores”. Sem dúvidas, um homem que negociou tanto quanto ele devia conhecer bem as chaves para conversar sem perder o interesse do outro, embora seja muito improvável que as tenha escrito no papel e deixado para a posteridade.

No entanto, nós vamos fazer isso, ou pelo menos tentar. Nós somos seres sociais, e nossa vida se desenvolve em torno de relacionamentos com outras pessoas. É por isso que é importante saber como gerar boas conversas.

Dicas para conversar sem perder o interesse do outro

Você já sentiu alguma vez que, enquanto estava falando, o outro ou os outros interlocutores estavam tentando conter um bocejo? Você percebe como seu público perde o interesse pelo que você está falando, apesar da importância do seu discurso? Seus alunos dormem na aula? Se você sofre de qualquer um desses casos, ou algum outro, estas chaves para conversar são do seu interesse, já que lhe permitirão se conectar emocionalmente com outras pessoas e resgatar seu interesse.

Discussão amigável e produtiva no trabalho

Antes de entrar plenamente no assunto, há uma ideia que deve ficar muito clara: o que você diz deve estar bem exposto. Ou seja, o seu discurso deve ser claro e coerente. Se você tem um bom conteúdo, falta apenas a forma de expressá-lo para que o público não perca uma única vírgula.

“Os beijos estão relacionados às palavras, e o amor pode ser uma conversa perfeita”.
-Ángeles Mastretta-

Explique uma pequena e breve história

Você já teve um professor de história que contava a lição como se fosse um conto ou uma aventura? Você conhece alguém com quem aconteceu isso? A maioria das pessoas que tiveram um professor assim agora se lembram dessas aulas com carinho, como a imersão em um mundo maravilhoso ao qual adorariam voltar.

Então, quando você falar com alguém, não coloque uma lista de tarefas de forma monótona. Introduza seu interlocutor na história, explique como a ideia surgiu de uma forma que ele compreenda melhor os objetivos.

O tom com o qual falamos é primordial. Então, se nós usarmos um estilo direto, mas não seco, frio e monótono, com breves explicações que contextualizam o que queremos dizer, é mais fácil que a outra pessoa não perca o interesse no que lhe dizemos.

Conheça seu interlocutor

Esta é uma chave totalmente lógica para conversar. Devemos conhecer bem nosso interlocutor para saber o que podemos falar e como fazê-lo. Uma criança não é igual a um adulto, para dar um exemplo simples.

É essencial saber com quem estamos falando. Por isso, é bom saber o seu nível cultural, os seus gostos, preferências… Caso contrário, se entrarmos em assuntos que o outro desconhece, nos quais é fácil se perder, e se nós usarmos uma terminologia muito técnica, é bem possível que acabemos ficando sozinhos no discurso.

Seja como for, de acordo com sua idade, gostos e nível cultural, você terá que adaptar seu discurso às necessidades do interlocutor. Ou seja, faça o que precisar para que ele entenda a mensagem e a ache interessante. Contextualize, responda suas perguntas, use a didática…

Conversa entre amigas

Procure referências populares

Usar referências populares é um recurso muito útil para não perder a atenção do público. Então, se você precisa explicar algo longo e complexo, adicione analogias compreensíveis, ditados populares, metáforas divertidas…

Em suma, você deve basear seu discurso em elementos da cultura geral que a outra pessoa já conhece. Assim, quanto mais claras forem as ideias e melhores imagens puderem criar enquanto você fala, maior carga emocional você irá transmitir e menor será o risco de que você perca a sua atenção.

Outras chaves interessantes para conversar

Essas chaves para conversar sem perder o interesse do seu público são as mais básicas, mas há outras que também são úteis:

  • Fazer pausas. As pausas criam expectativas no interlocutor e conferem profundidade dramática e expressiva à mensagem. Certifique-se de que elas não sejam excessivas, ou você vai acabar entediando os outros.
  • Use a empatia. Desta forma, você poderá adotar a perspectiva do ouvinte e saberá melhor o que ele gostaria de ouvir.
  • Observe a linguagem não verbal. Isso lhe dirá muito sobre o seu público, e você pode adaptar a maneira como se expressa ao feedback que os demais estão lhe dando.

Agora, uma vez que você conhece essas chaves para manter uma boa conversa, você pode tentar colocá-las em prática. Espero que elas possam ajudá-lo a se tornar um grande conversador. Horas e horas de entretidos debates esperam por você.

“O silêncio é uma das maiores artes da conversa”.
-William Hazlitt-

Recomendados para você