Correr atrás de mudanças – A mente é maravilhosa

Correr atrás de mudanças

março 2, 2015 em Emoções 8 Compartilhados

Seja obediente, estude, case-se tenha filhos, compre uma casa, assista à TV, consuma e enfeite a sua casa no natal. E acima de tudo: NUNCA questione o que te disserem para fazer.

A sociedade e a tradição exercem, desde o dia em que nascemos, uma poderosa influência sobre nós. Somos ensinados a obedecer normas e diretrizes predeterminadas pela maioria e a negar, sistematicamente, novas ideias.

É desanimador fazer parte de uma vida pré-fabricada, mas associamos qualquer tipo de tentativa de mudança com o fracasso. Parar para pensar em mudar nossa mentalidade e tomar as rédeas da nossa existência é assustador, pois batemos de frente com o medo que sentimos da liberdade.
Desfrutamos de mecanismos que garantem a paralização psicológica da sociedade:

O medo: quanto mais medo e insegurança tivermos, mais precisaremos de proteção (o Estado e as Instituições se tornarão nossos aliados).

O auto-engano: mentimos para nós mesmos, para assim, não precisarmos enfrentar os temores e as inseguranças inerentes a qualquer processo de mudança. Alcançar o auto-engano é muito simples, basta olhar para o lado e mergulhar nas infinitas formas de entretenimento disponíveis, assim ficaremos livres de nós mesmos durante as 24 horas do dia; assim viveremos entorpecidos.

A resignação: esgotados física e mentalmente, decidimos nos conformar com tudo, sentenciando que “a vida que levamos é a única vida possível”. Assumimos ser vítimas das circunstâncias, utilizamos a arrogância e o cinismo contra as pessoas que pensam diferente de nós, para que possamos nos defender, caso sejamos questionados. E nos tornamos completamente céticos, dessa forma podemos justificar a vida de segunda mão que levamos.

Por último, o mecanismo de defesa mais cruel:

A preguiça, cujo significado é “tristeza de ânimo de quem não faz, com a sua vida, aquilo que sua intuição pede, ou sabe que poderia realizar”.

“Fazemos parte de uma sociedade tão doente que aqueles que desejam a cura, são estranhos, e os normais são tachados de loucos.”

Jiddu Krishnamurti

Ninguém disse que seria fácil, mas para começar a mudar, só é preciso dar o primeiro passo.

Recomendados para você