O cuidado das pessoas dependentes

novembro 26, 2019
O objetivo principal do cuidador é melhorar a qualidade de vida das pessoas que precisam, proporcionando um apoio para que suas necessidades vitais sejam satisfeitas.

O cuidado das pessoas dependentes é uma questão importante em muitos âmbitos: social, familiar e individual. Mais especificamente, estamos falando das pessoas que se dedicam a cuidar daqueles que precisam.

Nesse sentido, o que significa cuidar? Que tipos de cuidadores existem? Entende-se por cuidar “proporcionar ajuda a pessoas dependentes de modo que sintam que suas necessidades físicas, sociais e afetivas sejam satisfeitas” (IMSERSO, 2009).

Cabe mencionar que existem dois tipos de cuidadores principais: o cuidador formal e o informal. O cuidador formal se refere aos profissionais que se dedicam, como atividade de trabalho, a esse âmbito.

São principalmente os técnicos em atenção básica e os auxiliares de enfermagem. Os cuidadores informais são geralmente os familiares, amigos ou até mesmo vizinhos em alguns casos.

Rogero define que o cuidado informal é o cuidado e atenção fundamentalmente dado por familiares e outras pessoas próximas, mas também por agentes de atenção que, de maneira altruísta, se dispõem a cuidar das pessoas que apresentam algum grau de incapacidade ou dependência.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (1999), os cuidados de longa duração são realizados majoritariamente por cuidadores informais – ou seja, familiares, amigos ou vizinhos – profissionais de saúde ou por ambos, com o objetivo de que a pessoa idosa que é dependente possa ter a melhor qualidade de vida possível, atentando sempre para suas preferência individuais, para a autonomia do idoso e, por último, mas não menos importante, para a dignidade humana.

“Com frequência o cuidado é algo invisível, porque cuidar é se preocupar com alguém, acreditar em alguém, reforçar suas capacidades, permitir renovar a esperança, acompanhar a experiência da saúde e da doença estando presente”.
-Collière-

Filha vendo fotos com mãe idosa

O papel do cuidador no cuidado das pessoas dependentes

Fomenta as atividades básicas da vida diária

Quando pensamos no conceito do cuidador, talvez a primeira coisa que nos vêm à mente sejam as atividades básicas da vida diária. O cuidado de pessoas dependentes costuma ser dirigido a ajudá-las a realizar algumas tarefas simples, como comer, ir ao banheiro, tomar banho e se vestir.

Nesse sentido, o cuidador cria um plano personalizado de atenção e cuidado em função das necessidades particulares, dado que o grau de dependência e as circunstâncias pessoais podem variar de uma pessoa para a outra.

Cria um clima de confiança

A confiança é a segurança que alguém tem em relação a outra pessoa, a como ela vai agir em determinadas situações. Consiste em ter a certeza de como o outro vai se comportar.

Desse modo, perceber um clima no qual a pessoa se sente confiante, tranquila e cuidada é um fator fundamental para quem recebe a ajuda e também para os seus familiares.

Definitivamente, o cuidador gera no ambiente uma sensação de confiança e segurança, tanto para a pessoa que recebe os cuidados, que se sente segura e protegida, quanto para os familiares ou para as outras pessoas da família quando falamos do cuidador informal.

Como consequência, o familiar pensa “sei que ele está em boas mãos”, “se acontecer algo com ele, vão perceber rapidamente e vão agir imediatamente”.

“Cada lugar onde nos sentimos seguros é um presente”.
-Jan Jansen-

Oferece carinho e apoio

O cuidador proporciona companhia e apoio emocional para a pessoa cuidada. Em um mundo no qual o trabalho ocupa grande parte do nosso dia, as pessoas que se encontram acompanhadas por alguém que cuida delas não sentem tanto a solidão e a ausência de pessoas queridas.

Como consequência, os cuidadores oferecerem essa companhia que a família não pode dar todas as horas do dia.

A confiança, o profissionalismo, o carinho, a empatia e a vocação para cuidar são fatores indispensáveis para as pessoas que cuidam.

Favorece a manutenção da autonomia

Ainda que exista um grau de dependência na saúde de uma pessoa, é importante que o trabalho do cuidador se dê no sentido de permitir que a autonomia seja mantida ao máximo em todas as atividades nas quais isso for possível.

Para isso, o cuidador deve animar e motivar a pessoa para que ela faça tudo aquilo que pode fazer, entendendo que para conseguir a pessoa pode, em alguns momentos, precisar fazer um grande esforço.

Mão de idoso dada com mão de jovem

Mantém o vínculo com o ambiente externo

Dependendo do grau de independência, o cuidador ajuda a pessoa a manter, aproveitar e cuidar das suas relações sociais, algo que é imprescindível para evitar o isolamento.

Com a ajuda das novas tecnologias, os cuidadores podem manter o idoso ativo em seu ambiente, ajudá-lo a participar de algumas atividades e a se relacionar com seu grupo familiar, suas amizades ou vizinhos da sua cidade.

Melhora a qualidade de vida

Para concluir, é necessário destacar que o cuidado das pessoas dependentes respeita a integridade e a dignidade das mesmas, fomentando a sua autonomia.

Os cuidadores, dia após dia, realizam um trabalho fundamental como suporte da nossa sociedade. Fazem uma função que, infelizmente, nem sempre é reconhecida.

Por esse motivo, hoje tentamos, neste artigo, ressaltar a importância dos cuidadores, tanto no âmbito profissional quanto familiar. De certo modo, eles se tornam os pilares daqueles que precisam de ajuda, melhorando sua qualidade de vida e bem-estar.

A todas as pessoas que cuidam, ajudam e colocam todo o seu carinho e respeito nesse trabalho, obrigado.

  • Murphy, E. (2000). Jóvenes y mayores: promoviendo una Actitud Positiva hacia el Envejecimiento y las Personas Mayores. Dublin. Consejo Nacional de Envejecimiento y Personas Mayores.
  • Neugarten, B.L., Havighurst, R.J. y Tobin, s.S. (1961). Medición de una vida satisfactoria. Periódico de Gerontología, 16: 134-43.