Cuidado! Não desperdice o seu talento

Cuidado! Não desperdice o seu talento

13, maio 2015 em Psicologia 0 Compartilhados

O que é talento e qual a sua natureza?

Existe uma corrente dominante que caracteriza o talento como sendo algo que se adquire e que tem a ver com a obtenção de conhecimento e inteligência. A partir desse ponto de vista, o talento é resultado do esforço para adquiri-lo e do treinamento para desenvolvê-lo.

Por trás desse conceito, nasce a ideia de que todas as pessoas são iguais, e portanto cada um de nós pode fazer qualquer coisa igualmente bem. Terá melhores resultados o que fizer mais esforço. Então, as pessoas competem gastando energia para adquirir maior capacidade. Esse é o conceito tradicional. É aqui que o talento que pudemos polir, descobrir e, sobretudo, desenvolver, se perde, pois queremos ser melhores que os outros ou estar no seu nível, quando muitas vezes isso não é possível.  Nem todos têm as mesmas habilidades, dons e talentos.

É aqui que perdemos a oportunidade de desenvolver nosso verdadeiro talento. Vamos imaginar a criança que quer tirar a mesma nota que seu amigo, e fica tão obstinado até se perder na busca daquela qualificação, deixando para trás talentos que não são feitos só de tirar uma excelente nota. Por isso, o talento deve ser trabalhado desde a infância. Precisamos nos livrar dos estigmas de uma igualdade que nem sempre temos, posto que nem todos têm as mesmas capacidades.

Mas, nos últimos tempos, surgiu um novo conceito de talento, que o define como uma capacidade inerente à pessoa e que, portanto, não deve ser adquirido, por ser intrínseco. Ou seja, está dentro de nós mesmos. Você simplesmente precisa dar espaço e liberdade para que ele aflore. Sem complicar a vida, querendo competir e se estressar por isso, já que não podemos forçar algo que não está dentro da nossa natureza e do nosso ser.

Então, todos nós temos talento para alguma coisa… todos temos o mesmo talento de espécie, mas que difere de uma pessoa para outra. Todos nós temos talento humano, mas ele não é igual em cada pessoa. As pessoas não são iguais, mas semelhantes, ou seja, todos podemos fazer de tudo.

Mas há coisas que uma pessoa – pela sua própria natureza – está em condições de realizar melhor do que outras. Temos uma tendência natural, um talento que nos torna mais aptos para o cumprimento de determinadas tarefas e funções.

Existem vários tipos de talento

Sim. O conceito de talento não tem a ver só com inteligência, com movimento (como por exemplo com os esportistas), com a comunicação/emoção e com a criatividade. É possível detectar essas qualidades inatas.

O talento é um padrão de capacidade interno, invisível aos olhos. Só é possível enxergá-lo sob certas condições. Uma pessoa pode demonstrar, pela sua experiência e pelos seus títulos acadêmicos, que é, por exemplo, um economista; mas talvez o seu talento real não esteja nessa profissão, porque é algo que foi adquirido e não é inato.

Portanto, para ver uma pessoa realmente sem se enganar, sem condicioná-la a opiniões dos outros ou dela mesma, é necessário suspender a razão.

“O talento é essa capacidade que conecta a uma vocação, e essa vocação dá um sentido de vida”.