Depressão outonal: o outono é o domingo do nosso ano

Depressão outonal: o outono é o domingo do ano

dezembro 5, 2017 em Curiosidades 93 Compartilhados
Mulher sofrendo de depressão outonal

Você conhece a depressão outonal? Muitas vezes não percebemos que as mudanças de estação do ano requerem que nosso organismo faça um importante processo de adaptação. A falta de luz solar presente em estações como o outono ou o inverno, por exemplo, incide diretamente em nosso humor. Você tem mais ou menos vitalidade depois de uma semana de chuva e céu cinza?

Existem outros fatores característicos do outono que causam em nós severas altas e quedas de humor. O mais decisivo de todos eles é, sem dúvidas, nossa atitude na hora de enfrentar a transição para o inverno. Como podemos conseguir chegar ao 100% na época mais fria do ano?

A influência do outono em nosso bem-estar

Ao começar o outono, seja no hemisfério norte (outubro) ou no sul (março), as pessoas costumam manifestar diversas mudanças no estado de humor. Mesmo que cada um possa sofrê-las de forma distinta e em diferentes graus, no geral esta mudança de estação gera apatia, anedonia e/ou fadiga.

Homem sofrendo de depressão outonal

No verão os dias são mais longos e as horas parecem ser mais aproveitadas. Além disso, como costumamos ter algumas semanas de férias para descansar e desfrutar com nossas famílias, nos encontramos mais relaxados e tranquilos. Notamos que temos menos responsabilidades do que no resto do ano, vivemos sem pressa e sem sofrer a monotonia e o estresse constante do dia a dia de trabalho.

No entanto, ao começar o outono esta situação muda radicalmente: os dias cada vez mais curtos, as noites mais longas, reduzem as horas de luz e o bom tempo é substituído pela chuva e pelo frio.

A queda de temperatura nos convida a permanecer em casa e a passar menos tempo ao ar livre e inclusive nos isolar socialmente. Da mesma forma, a mudança de tempo pode nos trazer resfriados que nos fazem sentir mais fracos e vulneráveis. Ver cair as folhas das árvores e estas ficarem no chão também nos transmite nostalgia e tristeza.

Por outro lado, costumamos transformar nosso armário na rigidez personificada. Passamos de vestir roupas de tonalidades alegres e luminosas a usar uma gama cromática mais sombria e escura.

A revolução hormonal

Estes fatores externos e, em particular, as mudanças climáticas e a redução da luz solar, geram uma série de mudanças hormonais que fazem oscilar nossa energia ao longo do dia:

  • Aumento da produção de melatonina: seu aumento no sangue faz com que nos sintamos sempre cansados e tenhamos mais vontade de dormir e repousar.
  • Redução da serotonina: diminui ao aumentar a melatonina, porque desequilibra os ciclos de sono, as mudanças de humor e o estado de ânimo.
  • Redução da dopamina: provoca perda de atenção e desinteresse generalizado.

Mulher com guarda-chuva no outono

O surgimento da “depressão outonal”

Se a redução do estado de humor é muito aguda e persistente, podemos estar sofrendo com a conhecida “depressão outonal” ou “de inverno”. Mas, fique tranquilo! É uma situação passageira que pode ser evitada se forem tomadas as medidas adequadas.

Seus sintomas são uma falta excessiva de energia e de interesse pelo que nos rodeia, desânimo, irritabilidade e mau humor, dificuldades para pegar no sono e problemas de concentração. Em alguns casos, se caracteriza também por sensações fortes de solidão, reais ou irreais.

Como combatê-la

Estes tipos de transtornos de humor devem ser consultados com especialistas, mas podemos melhorar sua sintomatologia introduzindo pequenas mudanças na alimentação e mediante a realização de algumas atividades cotidianas.

A nível nutricional, é bom manter a ingestão adequada de vitaminas C e B e de minerais como o cálcio e o magnésio, essenciais para a produção de neurotransmissores. Como complementos, podemos ingerir valeriana e passiflora para relaxar e aumentar a qualidade do sono.

Às vezes acreditamos que com as férias se acaba o tempo que podemos dedicar a nós mesmos. Mas isso é um erro. Devemos seguir encontrando esses espaços de ócio e entretenimento e nos encher com atividades que nos gerem prazer. Por exemplo, praticar esportes. Mesmo que o tempo não permita fazê-lo ao ar livre, dedicar-se a algo indoor é uma boa forma de recuperar e manter a atitude positiva.

Além do corpo, podemos cultivar o bem-estar da mente mediante a leitura, visitas ao teatro, ao cinema ou a museus; escutar música, manter uma boa conversa com amigos ou compartilhando um momento especial com nosso parceiro ou filhos.

Deixar de fazer essas pequenas atividades que nos fazem felizes gera uma perda de reforços e um aumento paulatino de nossa apatia. No final, isso produz uma queda em nosso estado de ânimo e altos níveis de estresse.

Menina triste no outono

A depressão outonal não é síndrome pós-férias

A depressão pós-férias é o estado em que se encontra um funcionário quando fracassa em seu processo de adaptação entre seu período de férias e sua volta à vida de trabalho.

Seus sintomas são muito parecidos com os da depressão outonal, mesmo que possam vir acompanhados de importantes mal-estares físicos, como dores musculares que contribuem para a redução do rendimento.

Além disso, esta síndrome pode aparecer ao longo de todo o ano, no momento que a pessoa volta de suas férias, independentemente da estação.

No entanto, a depressão outonal está ligada a um período concreto do ano: o fim do verão e a chegada de uma nova estação. Por outro lado, a síndrome pós-férias afeta principalmente pessoas jovens, no geral com menos de 45 anos; enquanto a depressão outonal torna vulneráveis principalmente os adultos mais velhos.

Como você pode comprovar, existem diversos fatores no outono que colocam em risco nosso bem-estar físico e psicológico. Mas isso não é razão para impedir que esta estação se converta na melhor estação do ano. Basta aprender a tirar proveito dela!

Recomendados para você