Depressão pós-sexo: características e causas

maio 28, 2019
Algumas pessoas sentem tristeza depois de ter relações sexuais. Este fenômeno é chamado de depressão pós-sexo, e é completamente normal quando se dissipa rapidamente e não adquire uma alta intensidade.

Alguns estudos indicam que 10% das pessoas sofrem de depressão pós-sexo. Trata-se de uma sensação de tristeza inexplicável depois de fazer sexo. No entanto, esta situação não tem nada a ver com a forma como ocorreu a relação sexual. Por mais prazerosa que tenha sido, no final a pessoa se sente deprimida.

Na verdade, a depressão pós-sexo não é considerada um transtorno nem uma disfunção ou algo parecido. Na maioria dos casos, nada mais é do que um desconforto emocional que não tem significado. No entanto, se esse estado for mantido por muito tempo, pode indicar um problema mais profundo.

“A luxúria merece ser tratada com piedade e desculpa quando é exercida para aprender a amar”.
-Dante Alighieri-

Até agora, a ciência não desvendou completamente por que esse estado emocional surge. Existem várias teorias sobre isso. Também deve ser dito que nenhuma delas pode explicar todos os casos. O que se aplica a algumas pessoas não se aplica a outras. A depressão pós-sexo pode ser decorrente de muitos fatores.

Depressão pós-sexo: características e causas

O que é a depressão pós-sexo?

O Journal of Sexual Health publicou um estudo que detalhou as características da depressão pós-sexo. Embora possa variar de uma pessoa para outra, o elemento central é a presença de um sentimento de tristeza, que aparece logo após o término da relação sexual. Essa sensação é definida como inexplicável, pois não mantém correlação com o prazer vivenciado.

O mais comum é que esse estado de tristeza seja mantido por alguns minutos e depois desapareça sem deixar rastros. No entanto, há aqueles que mantêm essa sensação por várias horas. Há também casos de pessoas que permanecem vários dias sofrendo de depressão.

A sensação experimentada é descrita como um tipo de vazio existencial. Há um desejo de chorar, mas a pessoa não sabe por quê. Também sente irritabilidade, mau humor e vontade de se isolar.

As razões fisiológicas

Segundo os médicos Brian Bird, Robert Schweitzer e Donald Strassberg, que estudaram exaustivamente este assunto, durante o sexo há uma espécie de revolução hormonal. Mais tarde, ocorre algo como uma tentativa repentina de estabilização após o clímax. Essa dinâmica faz com que os níveis de hormônios caiam bruscamente, favorecendo o surgimento da depressão.

O Dr. Richard A. Friedman, diretor da clínica de psicofarmacologia da Weill Cornell Medical College, explica que durante o orgasmo há um forte declínio da atividade da amígdala cerebral. Esta área tem a ver com o processamento do medo.

O que acontece, então, é que durante as relações sexuais se reduzem significativamente o medo e todos os sentimentos associados. Após o clímax, o cérebro quer recuperar rapidamente esses sentimentos, já que eles são essenciais para a sobrevivência. É por isso que há um ressurgimento dessas emoções, o que gera a sensação estranha de vazio.

As razões psicológicas

O ser humano não é apenas biologia. O que acontece conosco não pode ser explicado apenas em termos de hormônios e neurotransmissores. Se este fosse o caso, basicamente todos os casos de depressão pós-sexo seriam iguais. No entanto, sabe-se que existem variações notáveis ​​em torno desse aspecto. Isso porque o tema também envolve elementos simbólicos que são traduzidos em sentimentos.

Alguns psicólogos têm apontado que a intensidade da depressão pós-sexo é maior e mais duradoura naqueles que têm sentimentos mistos em relação ao sexo. Às vezes eles se sentem culpados ao experimentar prazer sexual, devido a uma educação muito restritiva ou traços de personalidade que os induzem à culpa.

Da mesma forma, é possível que esse sentimento de depressão se origine na incapacidade de atingir o orgasmo pleno. A pessoa experimenta frustração e isso se manifesta como depressão pós-sexo.

Casal após a relação sexual

Quando a depressão pós-sexo é preocupante?

Como já observamos, a depressão pós-sexo é completamente normal na maioria dos casos. Sabe-se que sua incidência é um pouco maior nas mulheres. Se ela ocorrer, mas se dissipar depois de alguns minutos, não há nada com o que se preocupar.

A duração desse estado é um fator definitivo, assim como a intensidade. Se durar muito tempo e for experimentado intensamente, provavelmente há outros problemas subjacentes. Esta poderia apenas ser a manifestação de um estado de depressão mais grave e, nesse caso, exigiria uma gestão profissional.

Da mesma forma, se a tristeza for derivada de relações sexuais desagradáveis ou por atitude do parceiro, a depressão se torna um sinal de alerta para o que acontece no relacionamento. Neste caso, é melhor recorrer a um profissional se o problema for mantido ao longo do tempo.

  • Araya Baltra, R., Rojas Castillo, G., & Fritsch Montero, R. (2000). Depresión y género en Santiago de Chile. Acta Psiquiatr Psicol Am Lat, 46(4), 325-35.