Detox das redes sociais: está na hora de você fazer um?

Está na hora de você fazer um detox das redes sociais?

Maio 21, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Detox das redes sociais: está na hora de você fazer um?

O primeiro a falar sobre um detox das redes sociais foi o escritor americano Jake Reilly. Inicialmente ele fez um experimento para entender o que mudaria em sua vida sem esses conteúdos digitais, e logo a experiência se transformou em um artigo muito famoso que foi lançado com o nome ‘Obesidade e Dieta Digital’, em tradução livre para o português.

Tudo começou quando Reilly se deu conta de que não conseguia ficar um minuto desconectado da internet. Ele começou a prestar atenção e contabilizar suas ações, e notou que estava enviando mais de 1500 mensagens eletrônicas em um mês. Seus posts no Twitter superavam o número mensal de 250, e ao mesmo tempo falava pelo telefone por mais de 900 minutos. Foi então que pensou em fazer um detox das redes sociais.

“O Twitter é um bom lugar para dizer ao mundo o que você está pensando antes mesmo de ter tido a oportunidade de pensar a respeito.”
-Chris Pirillo-

Jake Reilly falou também do conceito de “obesidade digital”. Inclusive criou uma fórmula para verificar se havia algum excesso, como a balança que indica excesso de peso. Consistia em um sistema de pontos que contabilizava a quantidade de dispositivos que uma pessoa usa, o número de vezes que acessa a internet no dia a dia e a quantidade de mensagens enviadas, além de outros índices. Ao final, se a soma ultrapassava uma certa pontuação, dizia-se que a pessoa estava e-obesa.

Sem chegar a esses extremos, cada pessoa pode verificar seu termômetro interno que também indica se está havendo algum excesso. Algumas das medidas que podem ser observadas são os estresse e a angústia por estar a toda hora com vinte janelas abertas no computador, olhando para todas elas ao mesmo tempo com a sensação de haver algo que você deveria estar vendo e não está. Claro que não há como ver todo o conteúdo disponível nas redes sociais, e um detox das redes sociais pode fazer cada um refletir e chegar a conclusões para si, e estas podem ser similares as que Jake Reilly encontrou, assim como muitos outros que tentaram fazer a mesma experiência depois. Vamos vê-las a seguir.

O nível de estresse diminui ao fazer um detox das redes sociais

Não nos damos conta de quão tensos podemos ficar ao nos colocarmos sob a influência do conteúdo da internet o tempo todo. Isso se deve ao fato de haver muita informação e o cérebro ficar em atitude de alerta máximo. A sensação é que algo está acontecendo a todo segundo, e há uma expectativa do que irá acontecer a seguir. Mas o que irá acontecer é apenas mais uma postagem, mais uma notícia, mais uma foto.

Cérebro humano

Quando fazemos um detox das redes sociais de ao menos 30 dias, o nível de atividade do cérebro sofre uma diminuição. No começo há uma grande tensão similar à provocada pela abstinência de uma droga. Com o tempo, porém, pouco a pouco é possível se sentir mais tranquilo, mais em paz e com um maior bem-estar interior.

Não estão acontecendo tantas coisas como pode parecer

A internet faz parecer que estão acontecendo milhares de coisas importantes para nós ao mesmo tempo ao redor do mundo. Chegamos a sentir que se nos desconectarmos por muito tempo, perderemos algo importante e que isso nos deixará de fora da dinâmica social.

Mas conseguimos facilmente comprovar a falsidade desse pensamento ao fazer um detox das mídias sociais. A maioria dos conteúdos que circulam pela rede e pela web são absolutamente irrelevantes. Mais do mesmo, dizendo de forma simplificada. Se realmente quiséssemos apenas nos informar, poderíamos nos conectar uma vez ao dia, se muito, para ficar por dentro do que aconteceu de importante no dia.

Não temos tantos amigos quanto acreditamos 

Os amigos e seguidores online são, na maioria das vezes, uma grande ilusão. Não é por que alguém deu like em uma publicação nossa que essa pessoa é realmente uma amiga. Quando estamos imersos nas redes, no entanto, parece que sim, que nossas amizades são as que aparecem na nossa lista de seguidores.

Curtidas nas redes sociais

Quando fazemos um detox dos conteúdos digitais, descobrimos que não é exatamente assim. Se desaparecemos das redes, desaparecemos também da vida de muita gente. Eles conseguem outros amigos virtuais para dar likes em suas fotos. Para nós que estamos de dieta, voltamos a falar com aquelas pessoas com quem temos vínculos verdadeiros, tendo mais tempo para cultivar quem de fato é um presente para nós.

É por isso que as redes sociais causam vício. Não nos damos conta, mas quando estamos conectados, nosso cérebro libera pequenas quantidade de dopamina, e aí está o perigo. Esse é o início de todo tipo de vício. Queremos voltar mais e mais vezes, receber mais e mais interações online, para ter a mesma sensação novamente.

Temos que ter momentos para não fazer nada

Outra das coisas que acontecem conosco quando estamos sempre conectados à internet sem nem nos darmos conta é que acabamos imersos na dinâmica de ter que estar o tempo todo fazendo algo. Nunca estamos quietos. Nunca estamos sem estímulos.

Isso nos priva de algo maravilhoso, que é o prazer de ter momentos para não fazer nada. Sem nem notar, começamos a temer a inatividade. Isso é algo grave, pois é precisamente nesses momentos de não fazer nada que geramos nossas melhores ideias e aprofundamos as ideias existentes. As grandes conquistas do pensamento muitas vezes foram geradas em momentos de ócio.

Mulher observando pôr do sol na praia

É muito bom se desconectar sempre que der. Não é conveniente permitir que a internet mande na nossa vida ou a substitua. É claro que as redes sociais nos trazem muitas possibilidades, mas não podemos deixar a vida real de lado, a que se vive com todos os nossos sentidos e a que tem muito mais peso e relevância para a felicidade real.

Recomendados para você