8 dicas para viver melhor segundo o coaching zen

· março 14, 2018

O coaching zen é uma proposta que envolve a fusão de dois enfoques. Por um lado, a disciplina do coaching que se dedica a fazer acompanhamento, instruir e treinar as pessoas para que elas possam alcançar seus objetivos. Essa é uma construção do ocidente.

Por outro lado, o zen, um sistema filosófico milenar oriental que busca principalmente o despertar da consciência. Tal despertar se entende como o fruto de uma evolução individual subjetiva, cujo propósito é alcançar a paz e a harmonia.

O coaching ajuda a focar e a planejar objetivos motivadores para se superar e sair da zona de conforto, enquanto o zen equilibra a nível emocional e ajuda a viver no presente com plenitude.
-Javier Carril-

O coaching zen visa potencializar o desenvolvimento da mente e do espírito, com a finalidade de alcançar aqueles objetivos que nos fazem mais felizes. A partir desse enfoque, há 8 aspectos essenciais para entrar no caminho do crescimento. São os seguintes.

1. Desafiar os próprios preconceitos, algo indispensável no coaching zen

Todos estamos cheios de crenças infundadas. Nem os mais racionais estão a salvo disso. Lamentavelmente, muitos desses preconceitos se transformam em uma grande limitação para avançar na vida.

Desafiar nossos preconceitos não é nada fácil. Para fazer isso, primeiro temos que reconhecê-los, explorando aquelas “verdades” que sempre assumimos como óbvias ou incontestáveis. Depois, ter a disposição para avaliar a legitimidade das mesmas e de mudar de enfoque se não há razões para mantê-las.

Coaching zen

2. Tratar objetivos em três âmbitos

O coaching zen indica que você deve traçar objetivos em três dimensões: ser, fazer e ter. O âmbito do ser está relacionado aos valores, às habilidades e aos níveis de evolução que cada um deseja alcançar. O fazer tem a ver com as ações que se pretende realizar, com os resultados concretos que se deseja alcançar. O ter, por sua vez, se refere ao mundo material, ao que se deseja possuir.

É importante que todos esses objetivos sejam planejados de forma precisa e não geral. Também é fundamental que se estabeleça um prazo determinado para alcançá-los. Um mês, um ano, cinco anos, etc. A definição e o prazo são fundamentais.

3. Reconhecer a impossibilidade de mudar algumas coisas

A vida tem seus próprios limites. O primeiro deles é a morte, frente à qual não podemos fazer nada. Há outras barreiras completamente intransponíveis que devemos aprender a reconhecer e a aceitar.

Saltar no vazio

O coaching zen nos adverte que se não conseguimos identificar esses desejos impossíveis e renunciar a eles, é possível que sejamos muito infelizes. Gastaremos muita energia com foco em algo que não podemos conseguir. Isso nos afasta de muitas metas importantes que, na verdade, seriam alcançáveis.

4. Situar-se no presente

Situar-se no momento presente não significa perder a perspectiva. Todos viemos de um passado que nos moldou e fez de nós o que somos. Também atuamos em função de realizar projetos e metas para o futuro.

O que o zen coaching nos ensina é que no plano de ação, devemos focar o presente. O passado está na mente, assim como o futuro. A ação, por sua vez, está no aqui e agora. O presente é a vida como tal, por isso é indispensável estar nele.

5. Assumir a responsabilidade

Sempre ganhamos muito quando conseguimos assumir a responsabilidade dos nossos atos e da nossa vida, quando paramos de nos vitimar e de nos agarrar a pretextos externos para justificar o que não podemos ser ou fazer.

Mulher meditando

Assumir responsabilidade significa ser capaz de aceitar o fato de que a nossa vida é frutos dos nossos erros e acertos. De ninguém mais, apenas de nós mesmos. Embora não tenhamos controle sobre tudo o que acontece, podemos trabalhar a forma de lidar com os acontecimentos.

6. Aproprie-se do seu tempo

O tempo é o bem mais valioso que o ser humano possui. De alguma forma, é o único bem que possuímos de verdade durante a nossa vida. Muitas vezes não somos conscientes disso e o desperdiçamos de maneira irracional.

Apropriar-nos do nosso tempo é dar a ele o valor que lhe corresponde. Eliminar, sem compaixão, todas aquelas atividades irrelevantes ou que pouco contribuem. Dar um lugar a tudo o que há de importante ao invés de desperdiçá-lo inutilmente.

7. Colocar empenho no passo a passo

Quando entendemos que as grandes conquistas são construídas passo a passo, começamos o caminho de alcançar o que nos propomos. O coaching zen nos convida a ser conscientes, pacientes e disciplinados no caminho até o que desejamos.

Toda grande meta se compõe de pequenos passos. Cada passo é um degrau nessa longa cadeia de ações que nos levam ao nosso propósito. A forma como se consegue alcançar algo é aplicando o velho ditado: sem pressa, mas sem pausa.

8. Tomar decisões e passar para a ação

A incerteza é uma realidade permanente. Nunca saberemos ao certo se escolher um caminho é melhor do que escolher outro. No entanto, se passarmos muito tempo ponderando, o mais provável é que entremos em uma fase de paralisia. Por essa razão, o coaching zen insiste na importância de tomar decisões. Refletir é importante, mas em seguida é preciso passar para a ação. Muitas vezes somente os fatos podem esclarecer as nossas dúvidas.

Libertar-se das correntes

Todos esses aspectos nos levam finalmente à conclusão de que viver melhor não é tão difícil. O coaching zen nos ensina, principalmente, que trata-se apenas de aceitar a realidade tal como ela é, e de lidar com ela de uma forma construtiva. Todo o resto vem por acréscimo.