O que é a economia circular?

maio 6, 2020
A economia circular toma como ponto de partida o modelo cíclico da natureza. Este sistema defende o aproveitamento de recursos reduzindo a produção ao mínimo indispensável e reutilizando os elementos.

Antes de mais nada, é importante destacar a ideia de que o paradigma do atual modelo econômico de produção e gestão de recursos, bens e serviços baseado em “produzir, usar e descartar” pode estar obsoleto. Na verdade, há dados que servem de base para esta hipótese. A partir dela, hoje falaremos sobre a economia circular.

Vemos que o sistema atual, por muitas de suas dinâmicas, se choca com a ideia de desenvolvimento sustentável a longo prazo. Além disso, trata-se de um risco para a natureza, especialmente pelo fato de que na natureza não existe lixo. Todos os elementos têm uma função contínua, são aproveitados e reutilizados em suas diferentes etapas.

É assim que chegamos à ideia de economia circular, o novo paradigma que poderia substituir o atual. O objetivo deste artigo é o estudo das suas características, princípios, importância e benefícios. Vamos desenvolver o tema a seguir.

O que é a economia circular?

Em que consiste o conceito de economia circular?

A economia circular toma como ponto de partida o modelo cíclico da natureza. Este sistema advoga pelo aproveitamento de recursos reduzindo a produção ao mínimo indispensável e reutilizando os elementos.

Incentiva-se a produção de bens fabricados com materiais biodegradáveis para que estes possam voltar ao seu estado natural sem causar danos ao meio ambiente ou esgotar a sua vida útil.

No caso de não existirem materiais biodegradáveis, o objetivo será realizar uma separação na qual os componentes do produto possam ser reincorporados ao ciclo de produção. Se isso não for possível, eles devem ser reciclados de maneira respeitosa com o meio ambiente.

Assim, vemos que a essência da economia circular é reparadora e regenerativa. De fato, o termo “circular” tem uma relevância especial porque está sendo criado um ciclo contínuo de desenvolvimento positivo que conserva e melhora o capital natural.

Quais são os seus princípios?

A economia circular se baseia na reconstrução do capital financeiro, manufaturado, social, humano ou natural. Desse modo, garante uma melhora nos fluxos de bens e serviços. Este “círculo de valor” criado se baseia nos seguintes princípios:

  • Preservar e melhorar o capital natural. Potencializa o fluxo de nutrientes no sistema. Por exemplo, criam-se condições que melhoram a regeneração do solo.
  • Otimizar o uso dos recursos. Promove um giro dos produtos, componentes e materiais com o objetivo de conseguir a máxima utilidade dos mesmos a todo momento. Assim, reduz-se a velocidade de rotatividade dos produtos, aumentando a sua vida útil e fomentando a sua reutilização.
  • Fomentar a eficácia do sistema. Reduz os danos humanos, elimina as externalidades negativas.
Proteger a natureza

Quais são os seus benefícios?

Como já mencionamos, o sistema de produção linear que predomina na economia mundial atualmente é limitado no que diz respeito ao uso de recursos, além de ter um alto impacto social e ambiental.

Assim, inúmeros especialistas expressaram sua preocupação, argumentando que a redução do uso de recursos e a utilização de energias renováveis não serão suficientes para fazer frente aos desafios atuais do meio ambiente.

Os modelos lineares se baseiam em preços flutuantes e contribuem para a degradação do meio ambiente, o que afeta os princípios básicos do desenvolvimento. Desse modo, vemos que o enfoque da economia circular, baseado na inovação e na resiliência a longo prazo, traz incontáveis benefícios.

Em primeiro lugar, é vantajoso tanto para os usuários quanto para as empresas. As empresas que colocaram o sistema circular em prática comprovaram que reutilizar recursos é mais rentável do que criá-los do zero: os preços de produção diminuem.

Como consequência, o preço de venda também se reduz, beneficiando o consumidor em aspectos sociais e econômicos.

Na União Europeia, as medidas defendidas pela economia circular poderiam gerar economias de 600 bilhões de euros para as empresas da região. Na atualidade, a extração de matérias-primas tem consequências importantes para o meio ambiente. Estas empresas reduziriam entre 2% e 4% as emissões totais anuais de gases do efeito estufa.

Com o crescimento da população mundial, aumenta a demanda por matérias-primas, que são limitadas. A economia circular poderia ajudar a reduzir a pressão sobre o meio ambiente e melhoraria a segurança no fornecimento de matérias-primas.

O sistema também poderia levar a uma redução da dependência de outros países para a obtenção de determinadas matérias-primas.

Também aumentaria a competitividade, o crescimento, a inovação e o emprego. Calcula-se uma criação de até 580 mil empregos na União Europeia se a aplicação desse sistema fosse melhorada, bem como uma produção de bens inovadores e mais duráveis.

A eliminação da obsolescência programada poderia melhorar a qualidade de vida de todos.

  • Europarl, https://www.europarl.europa.eu/news/es/headlines/economy/20151201STO05603/economia-circular-definicion-importancia-y-beneficios
  • Ellen MacArthur Foundation, https://www.ellenmacarthurfoundation.org/es/economia-circular/escuelas-de-pensamiento
  • Sostenibilidad, https://www.sostenibilidad.com/desarrollo-sostenible/en-que-consiste-la-economia-circular/