Os 3 efeitos mais perigosos do estresse no ambiente de trabalho

março 19, 2019

Todos nós temos muitas exigências diárias provenientes de nossos empregos. Quando essas exigências são maiores que nossos recursos pessoais – ou pelo menos percebemos assim – podemos experimentar o estresse no ambiente de trabalho.

Este transtorno não tem efeitos negativos sobre a nossa saúde psicológica, desde que seja pontual ou por um curto período de tempo. Isso ocorre porque as pessoas têm mecanismos adaptativos (estratégias de enfrentamento) que nos permitem enfrentar desafios e exigências.

No entanto, se as demandas a que estamos sujeitos se alongarem no tempo, promovem um efeito de exaustão por estresse e os recursos que temos param de funcionar, porque já não são mais adaptativos. Em outras palavras, a mente entra em uma fase de exaustão que leva ao aparecimento da sintomatologia do estresse no trabalho, a pessoa fica bloqueada e não consegue iniciar suas estratégias de enfrentamento porque seu sistema psicológico está queimado.

Cabe destacar que o estado de esgotamento psicológico devido ao estresse no ambiente de trabalho é muito comum em nossa sociedade. Aproximadamente 60% dos casos tratados em terapia experimentam um nível muito alto de estresse no trabalho. De fato, à medida que a terapia progride e o paciente melhora, é necessário trabalhar estratégias de gerenciamento e controle do estresse.

Se o gerenciamento do estresse não for trabalhado, as mudanças não serão mantidas a longo prazo, pois os efeitos do estresse irão retornar. Assim, o quadro clínico do paciente voltará a ser negativo. Para aumentar a conscientização sobre este problema e tentar preveni-lo, neste artigo explicamos quais são os 3 efeitos mais perigosos do estresse no trabalho.

Os efeitos do estresse no ambiente de trabalho variam desde pequenos problemas de concentração e memória até sintomas de ansiedade e depressão.

Mulher estressada no trabalho

Problemas de concentração e memória

Entre os efeitos mais comuns do estresse no ambiente de trabalho está o desgaste neuropsicológico, ou seja, o grau de comprometimento das funções cognitivas, como a atenção, o raciocínio, a memória e a tomada de decisão resultante do estresse.

Agora, por que o estresse afeta as funções mentais? A razão está na constante realização das tarefas de supervisão e monitoramento ao longo do tempo por parte de nossa mente, devido à sobrecarga vivenciada e à necessidade de controle que deriva disso.

“Aquele que vive em harmonia consigo mesmo vive em harmonia com o universo.”
-Marco Aurelio-

Como o estresse no ambiente de trabalho prejudica os processos mentais?

Outro dos efeitos do estresse no trabalho é a diminuição da capacidade de direcionar a atenção sustentada (concentração). Na maioria das vezes, quando uma pessoa tem um alto nível de estresse em seu trabalho, adquire o hábito de realizar várias tarefas ao mesmo tempo, usando uma dinâmica de trabalho conhecida como multitarefa.

A multitarefa é muito prejudicial para a nossa capacidade de concentração, pois nos ensina a funcionar sob múltiplos estímulos. Quando queremos focar a atenção em um único estímulo, a mente tem o hábito de “saltar” de uma tarefa para a outra. Por isso, embora a ordem seja se concentrar em uma única tarefa, a força de um hábito como a multitarefa acaba ganhando a batalha e nos distraímos constantemente.

Neste ponto, é muito importante entender que a atenção é um processo de entrada de informação em nosso sistema psicológico. Se a atenção for alterada, a memória sempre será alterada. Em outras palavras, para lembrar, devemos prestar atenção: se a informação não entra corretamente em nossa mente, é muito complicado que seja retida (memorizada) de forma adequada. Portanto, o estresse no trabalho prejudica a memória por meio do desgaste da atenção e das dificuldades de concentração.

Ansiedade

O estresse faz com que nosso sistema nervoso simpático nos prepare constantemente para fugir ou lutar. Inclusive, embora o objeto do estresse não seja uma questão de vida ou morte, nosso corpo secreta hormônios como o cortisol (o hormônio do estresse), adrenalina e noradrenalina. Estes são hormônios responsáveis ​​por aumentar a frequência cardíaca, o estado de alerta, a sudorese e a respiração, entre outras funções.

Desta forma, se o nosso corpo é constantemente ativado, o resultado dessa ativação acumulada será a ansiedade. A preocupação constante junto com uma série de expectativas futuras fazem com que a ansiedade devido ao estresse no ambiente de trabalho seja sustentada ao longo do tempo e que esteja acompanhada por um sentimento angustiante de incerteza e desconforto, podendo se manifestar através de aperto no peito, dor de estômago e taquicardia.

Homem estressado e ansioso

Desânimo e sintomas depressivos

Os sintomas depressivos são o resultado de uma simples regra aritmética: momentos positivos – momentos negativos = estado de ânimo (alegria ou tristeza). O estresse no ambiente de trabalho carrega a mochila de momentos negativos. Se não temos ou não podemos inclinar a balança dos momentos para o lado positivo, a experiência pode ser a seguinte: “Me esforço, trabalho duro, me estresso e não tenho momentos de prazer”.

“O bem-estar e a saúde são um dever, de outra maneira não poderíamos manter nossa mente forte e clara.”
-Buda-

Além disso, o estresse nos faz secretar cortisol, e altos níveis desse hormônio estão diretamente relacionados à depressão. Não se sabe exatamente quem causa o quê, mas sabe-se que a depressão e o cortisol são direta e altamente relacionados. Portanto, se somamos um alto nível de demanda de trabalho, o senso de urgência e exigência para cumprir as tarefas nos sobrecarrega, não temos tempo para nos carregar de momentos positivos, e temos altos níveis de cortisol, temos a combinação perfeita para um estado de ânimo depressivo.

Finalmente, é muito importante entender que os efeitos mais perigosos do estresse no trabalho que explicamos neste artigo aparecem na ordem que mencionamos. Ou seja, primeiro aparecem os problemas de concentração e memória, em segundo lugar aparece a ansiedade e, finalmente, os sintomas depressivos.

Portanto, é muito importante aprender a gerenciar o estresse no ambiente de trabalho. Se você tentar e não conseguir, ou não souber como, recorra a um psicólogo. Os psicólogos têm uma infinidade de ferramentas para que você possa maximizar seu desempenho e minimizar o estresse.