Enurese: causas, sintomas e tratamentos - A Mente é Maravilhosa

Enurese: causas, sintomas e tratamentos

Fevereiro 18, 2018 em Curiosidades 0 Compartilhados
Menina na cama com enurese

A eliminação de resíduos corporais é uma função básica que é realizada instintivamente a partir do nascimento. Nos primeiros anos de vida, inicia-se um amplo desenvolvimento que levará a criança da dependência total à autonomia completa. Nesse processo de desenvolvimento, que geralmente se estende até o quarto ou quinto ano de vida, a criança deve adquirir uma série de conhecimentos. Essas aprendizagens acabam se consolidando como hábitos de autocuidado. No entanto, alguns problemas podem ocorrer nesse processo, como a enurese.

O controle do esfíncter geralmente segue uma sequência comum na maioria das criançasA primeira capacidade adquirida é a continência fecal noturna. Ou seja, o controle do esvaziamento intestinal durante o sono. Em segundo lugar, o controle fecal diurno geralmente é adquirido. Logo depois, a continência urinária diurna geralmente é alcançada. Finalmente, o controle noturno da urina é alcançado, que é o que geralmente leva mais tempo para se conseguir.

O sexo é uma variável que também influencia a idade do controle do esfíncter. Normalmente as meninas adquirem o controle antes dos meninos. Esse atraso pode variar de apenas alguns meses a 2 ou 3 anos. Apesar dessa variabilidade, é normal que o controle comece a ser treinado após 18 meses e esteja completo entre 3 e 5 anos. Após essas fases de desenvolvimento, a falta de controle urinário ou fecal é considerada problemática.

Não são poucas as crianças que, após 5 anos, ainda estão fazendo xixi enquanto dormem ou durante o dia. Essa é uma fonte de desconforto tanto para as crianças quanto para os pais.

Menina dormindo e fazendo xixi na cama

O que é enurese?

Tradicionalmente, a enurese é definida como uma descarga involuntária e persistente de urina. Essa descarga ocorre durante o dia, à noite ou em ambos os períodos, após os 4 ou 5 anos de idade. Em outras palavras, o termo enurese refere-se à emissão repetida e involuntária de urina em locais inadequados, como roupas de cama ou roupas, em crianças com mais de 5 anos de idade. Nessa idade, supostamente, a criança já deveria ter adquirido o controle urinário. Claro, desde que não haja nenhuma patologia que motive a incontinência.

A enurese noturna é um dos problemas mais frequentes entre as crianças. Isso se deve ao fato de que a micção ocorre durante o sono. Aproximadamente entre 10% e 20% das crianças com 5 anos de idade normalmente têm esse problema durante a noite.

Causas da enurese

Diferentes hipóteses foram formuladas para explicar a origem da enurese, mas nenhuma das variáveis ​​estudadas foi capaz de explicar o fenômeno por si só. Por essa razão, a hipótese mais aceita é a etiologia multicausal.

A etiologia multicausal refere-se à existência de vários fatores fisiológicos, maturacionais, genéticos e de aprendizagem. A interação entre uns e outros ajudaria a explicar, em maior ou menor grau, cada caso de enurese.

Fatores fisiológicos

Para adquirir o controle urinário, é necessário que a criança aprenda a identificar as contrações do músculo detrusor como um sinal de que a bexiga está cheia. Diante disso, a criança deve ir ao lugar certo para urinar.

O normal é que, durante a fase de enchimento, a bexiga esteja relaxada e que o detrusor só se contraia quando ela esteja completamente cheia. No entanto, em alguns enuréticos, uma alta hiperatividade do detrusor foi demonstrada. Isso causa contrações descontroladas antes que a bexiga esteja cheia.

Essa é a razão pela qual a criança mostra uma alta urgência de urinar que pode levar à incontinência noturna.  A hiperatividade do detrusor durante o sono pode ser responsável por cerca de um terço dos casos de enurese noturna.

Médicos examinando criança

Fatores genéticos

A existência de um fator familiar na enurese é um fato conhecido. Em aproximadamente 75% de todos os casos de enurese há um parente de primeiro grau com histórico familiar de enurese.

Da mesma forma, vários genes parecem estar envolvidos em problemas de enurese noturna. Ainda assim, os resultados não são totalmente conclusivos.

Fatores de aprendizagem

O controle voluntário da micção é um fenômeno complexo que exige que a criança adquira, sequencialmente, uma série de habilidades específicas:

  • Reconhecer sinais de distensão da vesícula biliar, ou seja, que a bexiga está cheia e ser capaz de comunicar isso aos outros.
  • Acordado e com uma bexiga cheia, aprender a contrair os músculos da pélvis para reter a urina até chegar ao lugar certo.
  • Relaxar os músculos para começar a micção.
  • Controlar o esvaziamento da urina com diferentes níveis de enchimento, podendo parar e reiniciar o processo.

Se essa sequência não for aprendida corretamente, não se tornará automatizada. Portanto, dificilmente será transferida para o período noturno para alcançar o controle noturno da micção.

Sintomas de enurese

Como vimos anteriormente, o principal sintoma da enurese é a liberação de urina, seja involuntária ou intencional. Ela se manifesta com uma frequência de 2 episódios por semana, durante um período de pelo menos 3 meses consecutivos.

A enurese causa desconforto clinicamente significativo ou comprometimento social, acadêmico ou em outras áreas importantes da atividade da criança . Em algumas crianças com enurese noturna, podem aparecer dificuldades para acordar e constipação.

Aparelho para tratamento da enurese

Tratamento da enurese

Para o tratamento da enurese existem várias opções que vão do tratamento farmacológico ao tratamento comportamental. Quanto ao tratamento farmacológico, um dos medicamentos mais utilizados é a imipramina, um antidepressivo tricíclico.

Nos últimos anos o uso de imipramina foi substituído por desmopressina, um análogo do hormônio antidiurético (vasopressina). Isso facilita a reabsorção de água pelos rins, de modo que há uma redução no volume de urina.

Em relação ao tratamento comportamental, podemos dizer que está consolidado na intervenção psicológica. Esse tratamento foi desenvolvido a partir de três procedimentos básicos: o método do alarme, treinamento de retenção de urina e treinamento em cama seca.

Então, se um de seus filhos sofre de enurese, é melhor consultar um psicólogo especialista. O tratamento comportamental é eficaz e os efeitos colaterais dos medicamentos podem ser evitados.

Bibliografia:

Comeche Vallejo, I., Vallejo Pareja, M.A. Manual de terapia de conducta en la infancia.Dykinson-Psicología. Madrid, 2012.

Bragado Álvarez, C. Enuresis infantil. Pirámide. Madrid, 2006.

Recomendados para você