Escuta consciente, um ato de generosidade

janeiro 17, 2019
Aprenda a desenvolver a escuta consciente e mostre que se interessa pelos outros ao colocá-la em prática de forma generosa.

Quando uma pessoa nos diz algo, ela espera que prestemos atenção, que por um momento deixemos nossas preocupações e nos disponhamos a encarar as suas. De certa forma, o que espera de nós é uma escuta consciente: um ato desinteressado no qual disponibilizamos nossos recursos cognitivos. Por isso, a escuta consciente é um ato de generosidade.

Você já passou por uma situação em que queria dizer algo importante para alguém e era interrompido constantemente com as frases “o que acontece comigo é…”, ou “você deveria ter dito ou feito isso”, ou “eu tive essa experiência quando…” ou inclusive faziam uma pergunta fora do assunto que você estava contando?

Nesses momentos você pode se sentir mal e pode ver construída na sua frente uma parede chamada frustração. Trata-se do sentimento, tão familiar especialmente na adolescência, de que o mundo é um lugar estranho sem qualquer contorno que corresponda ao seu. A consequência lógica é que você deixe de se esforçar para se comunicar, ou que seus esforços pareçam cada vez mais desesperados.

Também acontece frequentemente de você fazer o mesmo com outras pessoas, e isso tem as mesmas consequências desagradáveis. Se você quer melhorar suas relações e a comunicação com os outros, é essencial que pratique a escuta consciente.

O que é a escuta consciente?

O que é a escuta consciente?

Inmaculada Domínguez é uma psicóloga que estudou o assunto em profundidade. A seguir, nos concentraremos em suas pesquisas para tentar responder essa questão. Como o nome sugere, a escuta ativa é aquela que realizamos de maneira consciente e voluntária. Nela, entram em cena elementos como a empatia, o amor pela outra pessoa, o respeito e a atenção.

Trata-se de deixar o outro falar, de prestar uma atenção verdadeira no que ele diz, de não interromper, de fazer perguntas que demonstrem interesse pelo assunto para a outra pessoa se sentir verdadeiramente ouvida. De fato, isso representa um ato de verdadeira generosidade com o outro, de verdadeiro interesse por ele ou ela.

Deste modo, cedemos tempo e abrimos espaço tanto em nosso coração quanto em nossa mente para o nosso interlocutor, algo de que realmente precisamos, porque a falta de tempo, a cultura do imediatismo e o egocentrismo fazem com que, de maneira inconsciente, não dediquemos tempo nem escutemos os outros, algo que prejudica seriamente nossas relações sociais.

Por que a falta de escuta consciente pode prejudicar as relações sociais?

Precisamos ser ouvidos, uma necessidade que faz parte da nossa natureza como seres sociais. Se a escuta não for recíproca, a outra pessoa perceberá uma falta de interesse em seus sentimentos e em sua vida. Honestamente, ninguém gosta de estar com alguém que não se interessa.

Infelizmente, é algo que acontece com a grande maioria e que, além disso, tem aumentado com as novas tecnologias. Hoje vemos grupos de pessoas que não conversam porque estão presas ao celular. Então, por que se reúnem?

As pessoas estão concentradas no que acontece na internet, no que pensam, no que querem dizer, nas suas próprias preocupações, tarefas, etc. Elas nunca param, permanecem em silêncio e escutam o que os outros querem dizer, e isso também gera muitas confusões que podem terminar em discussões.

A falta de escuta consciente pode prejudicar as relações sociais

Como praticar a escuta consciente?

Se você quer melhorar sua vida, seus relacionamentos com os outros e com você mesmo, desenvolva este tipo de escuta, você notará a diferença:

  • Comece meditando. É uma maneira de parar a sua mente e estar ciente do aqui e do agora. Através da respiração e do relaxamento, você perceberá que é capaz de parar o turbilhão da sua mente e se concentrar em uma única coisa.
  • Escute com o seu corpo e não apenas com a sua mente. Corrija sua postura, adapte-a à da pessoa, aproxime-se dela, mas sem invadir seu espaço vital, posicione o tronco um pouco à frente, para que ela perceba seu interesse.
  • Não interrompa. Se você precisar fazer alguma pergunta relacionada ao assunto, aguarde o momento.
  • Observe seus gestos e a expressão de seu rosto; estes complementam a informação que o outro comunica com as palavras.

Praticar a escuta consciente é um ato de generosidade com seu interlocutor e consigo mesmo. Com o outro porque ele receberá um presente tão valioso como o seu envolvimento, e consigo mesmo porque esse desafio sempre representa uma oportunidade para crescer.