Estruturalismo: quais são as ideias-chave dessa corrente de pensamento?

O estruturalismo, como corrente de conhecimento, propõe que tudo que o ser humano diz, faz, pensa ou sente é apoiado por uma estrutura de regras comuns subjacentes. Mergulhe no estudo dessa interessante filosofia.
Estruturalismo: quais são as ideias-chave dessa corrente de pensamento?

Última atualização: 27 Maio, 2021

A análise da experiência humana, da linguagem e da cultura foi essencial para que nos conhecêssemos como espécie. Existem várias perspectivas que convergem nesse ponto e se esforçam para compreender as regras que governam o pensamento e a ação humana. Uma das mais importantes é o estruturalismo.

Esta é uma abordagem de pesquisa e reflexão nas ciências sociais que surgiu na Europa em meados do século XX. No entanto, costuma-se considerar que suas bases foram construídas em 1916, na obra Curso de Linguística Geral do filósofo Ferdinand de Saussure. Neste artigo, vamos ver as ideias mais importantes dessa corrente de pensamento.

“A ciência é uma exploração de questões muito difíceis.”
-Noam Chomsky-

A definição do estruturalismo

O estruturalismo é um movimento que está focado de uma forma especial na ciência – como a conhecemos – a partir de uma perspectiva social. Seus trabalhos se caracterizam por atribuir um papel fundamental à linguagem como espinha dorsal no desenvolvimento da nossa atividade.

O surgimento e a expansão do estruturalismo foram muito importantes para a constituição das principais correntes de pensamento no mundo atual. Embora não seja tão reconhecido quanto outros movimentos, é possível notar seu impacto em várias disciplinas, como a antropologia e a sociologia.

O impacto dessa disciplina não se limita apenas à esfera teórica; também tem importantes implicações na prática.

O linguista Ferdinand de Saussure estabeleceu as bases da perspectiva estruturalista ao considerar a necessidade de construir simulacros lógicos que nos permitissem compreender fatos da vida social. Ou seja, conjuntos de regras implícitas que governassem o funcionamento do humano, principalmente em relação aos significados da linguagem.

No entanto, suas ideias não foram totalmente desenvolvidas até a década de 1960.

Assim, como conclusão dessa seção, definiremos o movimento estruturalista como a abordagem metodológica e teórica que propõe a máxima de que em todo sistema sociocultural existem estruturas ou formas de organização que condicionam o que acontece dentro desse sistema.

O interesse dessa corrente nada mais é do que estudar tais estruturas específicas e analisar a conexão entre elas, observando como elas moldam os diversos sistemas socioculturais e a atividade que gravita em sua área de influência.

Ideias-chave do estruturalismo

Embora o termo e a sua abordagem possam nos assustar, quando conhecemos suas ideias-chave e fazemos um mapa das mesmas, entender as hipóteses trabalhadas não é tão difícil.

Basta olhar para a nossa sociedade e compará-la com outras para encontrar estruturas que as diferenciem. Uma das propostas centrais do Estruturalismo nesse contexto é que essas diferenças nos definem e são a origem de muito do que acontece ao nosso redor.

Observação

O principal método de pesquisa do estruturalismo é a observação.  No entanto, ela não tenta dividir a realidade em partes menores para poder vê-las melhor.  Ao contrário, tenta compreender a cultura como um conjunto, entendendo também as relações entre seus diferentes elementos.

A língua como sistema

Nessa teoria, a língua é um sistema formado por um conjunto de unidades articuladas entre si.  Ou seja, o idioma é entendido como um conjunto de elementos que possuem várias relações funcionais entre eles. Assim, os estruturalistas estudam a linguagem como algo mais do que a simples soma de suas partes, como um processo ’emergentista’.

Abordagem descritiva e método indutivo

Este movimento realiza estudos a partir de uma abordagem descritiva, e para isso analisa as estruturas sociais e as relações que se estabelecem entre elas, chegando, desse modo, a uma descrição das mesmas. Além disso, recorre ao método indutivo, propondo teorias com base em evidências encontradas na sociedade.

Grupo com as mãos unidas

Perspectiva metodológica do estruturalismo

O estruturalismo é capaz, por si só, de oferecer uma metodologia que fornece perspectivas e abordagens para outras ciências humanas.  Por isso a sua influência na linguística, na história e na antropologia cultural é tão importante.

Outro dos aspectos do contexto do movimento estruturalista está em seus antecedentes: na França, anteriormente, o existencialismo ganhava força – nas mãos de Sartre – fazendo abordagens totalmente diferentes. Mas algo mudou nos anos 1960, quando o filósofo gaulês De Saussure olhou para o marxismo e gerou a partir dele o contexto que levou ao nascimento do estruturalismo.

Desde então, importantes filósofos e antropólogos fizeram parte do movimento, como Noam Chomsky, Jean Piaget e Claude Levi Strauss, entre muitos outros.  Compreender seus trabalhos pode nos ajudar em nossa jornada, como seres humanos, para entender melhor o mundo ao nosso redor na atualidade.

Também não devemos esquecer que esse movimento nasceu em um contexto muito específico: em pleno auge do marxismo.  No entanto, este último mostra uma noção da ciência um pouco diferente da perspectiva do primeiro, e suas ramificações filosóficas também são diferentes.

Pode interessar a você...
Quem é o pai da psicologia?
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Quem é o pai da psicologia?

Alguns pensam que o verdadeiro pai da psicologia foi Sigmund Freud. Na verdade, há outra figura igualmente interessante. Conheça Winhelm Wundt.



  • J.M. Auzias, El estructuralismo, Alianza, 1970.