As três ferramentas de Dilts para transformar o seu mundo interior

As três ferramentas de Dilts para transformar o seu mundo interior

Fevereiro 25, 2017 em Psicologia 0 Compartilhados
As três ferramentas de Dilts para transformar o seu mundo interior

“Uma idéia é como um vírus, te possui”. Esta frase foi dita pelo personagem principal do filme “A Origem”, interpretado por Leonardo DiCaprio. Curiosamente, essa declaração é muito do agrado de Robert Dilts, escritor e especialista em PNL (Programação Neurolinguística), e será a base fundamental deste artigo. Você sente insatisfação com a sua realidade e acredita que há algo de errado no seu mundo? Talvez fazendo uma transformação em seu interior você consiga corrigi-lo.

Não se esqueça de que uma vez que processamos idéias, experiências e situações, as internalizamos e as tornamos nossas. Nesse momento estamos representando a nossa própria realidade. Dependendo de como sejam esses processos, representações e interpretações, construiremos uma definição própria.

Todos nós temos um sistema de crenças que nos define e nos ajuda a fazer uma representação própria do mundo. Dependendo de como for tal representação, vamos nos sentir mais ou menos identificados com uma ideia, evento ou ato. No entanto, algo de que não gostamos por ser de uma determinada maneira não necessariamente é ruim. Se acreditamos que podemos mudar para melhor, temos que tentar. É aqui que entram os níveis neurológicos de Robert Dilts.

As ferramentas de Dilts para transformar seu mundo interior

Robert Dilts propõe uma série de ferramentas que podem ser de grande utilidade para transformar o nosso mundo. Este escritor e consultor especialista em PNL lançou um conjunto de ideias poderosas que podem alterar a nossa forma de ver a realidade e compreender a nós mesmos.

Ampliação do ponto de vista

É uma tendência muito humana o fato de nos sentirmos muito especiais. Nós realmente somos, mas nem tudo o que acontece conosco é exclusivo. Isto é, muitas das situações que vivemos já foram experimentadas por outras pessoas. Se formos capazes de trabalhar a empatia, ganharemos em perspectiva e em compreensão do nosso mundo, e também do que nos rodeia.

pensar-juntos

Ou seja, como parte do mundo que somos, temos que tentar compreender os outros e nos colocar em seu lugar. Graças a este exercício de empatia conseguiremos alcançar uma perspectiva muito mais enriquecedora para o nosso próprio ser.

Um problema é uma oportunidade

Você deseja continuar reescrevendo todo o seu ser? Transforme cada problema em uma oportunidade. É verdade que pode parecer fácil falar, mas não tanto para colocar em prática. No entanto, não é impossível e cada dia mais pessoas conseguem.

Neste sentido, tudo depende de como nós interpretamos o fracasso. Podemos esmagar-nos pela nossa própria incapacidade, mas também temos a oportunidade de aprender com a experiência vivida. Nesse último caso, é bom explorar o que aconteceu e aproveitar as lições recebidas para melhorar.

Lembre-se, se após um fracasso você já pensa que é desastrado e inútil, está gerando uma ideia que pode ser como um vírus. A força a ressoar em sua mente acabará sendo uma realidade para você. Nesse caso, você não vai aprender nada com as suas experiências vividas e realmente se sentirá como uma pessoa fracassada.

Ampliação da visão temporal

Um grande citação atribuída a diversos escritores e autores diz que “o povo que não conhece sua história está condenado a repeti-la para sempre”. Se olharmos para a realidade do passado e presente como fotos individuais, não seremos capazes de seguir em frente.

filme-cinema

Na verdade, Dilts aconselha ver a realidade como um filme, não como peças de um álbum de fotos. Tudo o que acontece tem uma razão e é originado por uma situação particular. Então, se nós aprendemos e promovemos as nossas aprendizagens e habilidades de forma contínua, iremos obter grandes vantagens pessoais. Olhe para o seu mundo como um todo, não como experiências individuais independentes entre si.

Reescrevendo todo seu ser em ideias

Em suma, Dilts aposta em uma visão mais otimista do mundo. Ele considera que frases como “eu sou” ou “você é” têm muita força. De acordo com o que acompanha estas sentenças, podemos tomar um caminho pessoal ou outro.

homem-escrevendo

Por exemplo, se dizemos a nós mesmos “eu sou inútil”, por fim estamos gerando uma ideia que entra em nosso cérebro. Dessa forma, há muito mais chance de que você realmente pense que é uma pessoa inútil. No entanto, se dizemos “eu sou fantástico”, estamos a estabelecer uma ideia que nos confere caráter, otimismo e bem-estar.

Então, essa é a forma que Dilts acredita que podemos usar para reescrever todo o nosso ser. O poder das ideias e dos pensamentos é enorme. Se conseguirmos utilizá-los de maneira mais positiva, tudo isso vai afetar o nosso próprio bem-estar. Você já tem boas ferramentas; agora, trabalhe para se sentir melhor!

Recomendados para você