As 5 melhores frases de Miguel Delibes

Miguel Delibes, escritor espanhol de romances, nos deixou várias frases que nos convidam a refletir. Hoje vamos descobrir algumas delas.
As 5 melhores frases de Miguel Delibes

Última atualização: 03 Maio, 2021

Miguel Delibes foi um romancista espanhol que, atualmente, está presente em todos os livros que fazem uma revisão mais ou menos detalhada da história da literatura. Não só possui um vasto acervo de títulos, mas muitas de suas obras lhe renderam inúmeras conquistas, como os prêmios Nacional de Literatura (1955), Nacional de las Letras (1991) e Cervantes (1993). Por tudo isso, hoje coletamos algumas das melhores frases de Miguel Delibes que nos permitirão saber como ele pensava.

Antes de nos aprofundarmos em cada uma de suas frases, é necessário destacar que este renomado autor foi membro da Real Academia Espanhola, cargo que ocupou até 2010, ano em que morreu. A seguir, vamos descobrir algumas das frases de Miguel Delibes.

1. Frases de Miguel Delibes: o lado negativo da fama

“A fama não tem um lugar onde se segurar que seja realmente positivo”.

Miguel Delibes não era um romancista que gostava muito da fama. Na verdade, como podemos ver nesta frase, ele considerava que a fama não tinha um lugar positivo ao qual se ater. Ao alcançá-la, a tentação de cair nas garras do ego ou abusar do poder associado a ela seria maior.

Esta posição não deixa de ser um tanto paradoxal, uma vez que Miguel Delibes ganhou o Prémio Nacional de Narrativa (1999) com a sua obra El hereje, que o tornou famoso. Este trabalho recebeu inúmeras críticas positivas e capturou milhares de leitores. No entanto, Delibes continuou pensando o mesmo sobre a fama.

Livro de poemas

2. A linguagem do povo manda

“O povo é o verdadeiro dono da academia”.

O fato de ocupar um cargo na Real Academia Espanhola levou Miguel Delibes a pensar em quem é o verdadeiro dono da linguagem, o povo ou a academia? Nesta segunda frase, fica clara a opção que ele prefere… e na qual ele acredita.

Assim como as regras de grafia mudam, como aponta o artigo Novidades ortográficas da Real Academia Espanhola nos artigos da revista Medicentro Electrónica, o léxico também varia. Por exemplo, palavras como “selfie” ou “meme” já são reconhecidas mundo afora.

3. Despersonalização e guerra nas frases de Miguel Delibes

“Lembro-me daquele dia como vivido dentro de outra pele, desdobrado”.

Como os da sua geração, Miguel Delibes teve que viver a guerra civil. Uma experiência que ele expressou de forma bastante curiosa, como se sentisse que seu corpo não lhe pertencia. Essa sensação sugere algum tipo de estado de despersonalização.

A despersonalização é uma alteração de percepção que surge em um momento de ansiedade. A pessoa se sente separada (desdobrada) do seu próprio corpo. Isso é algo específico. No entanto, entendemos que, no campo de batalha, a ansiedade pode fazer com que esses tipos de sintomas apareçam.

4. A tristeza potencializa a criatividade

“A perda é um dos motores do escritor”.

Esta quarta frase de Miguel Delibes deixa claro que, para muitas pessoas, uma perda que envolve uma profunda tristeza pode ser, ao mesmo tempo, uma fonte de criatividade. Talvez por isso, em muitos casos, quando nos sentimos tristes, também apareça uma vontade de escrever, de se expressar.

A liberação emocional que percebemos quando colocamos no papel tudo o que está nos machucando e nos fazendo sofrer pode ser muito benéfica. Por isso, mesmo que a perda não seja um momento agradável, pode ser útil para o escritor.

Mulher na janela pensando

5. Todos nós podemos mudar

“Os homens se fazem. As montanhas já estão feitas”.

A última frase de Miguel Delibes permite-nos refletir sobre as ocasiões em que subestimamos a nossa capacidade de mudança. Independentemente do nosso ano de nascimento, se quisermos mudar a nossa forma de nos mostrar, de nos comportar, sempre teremos margem para caminhar nessa direção.

No entanto, conseguir isso requer uma grande dose de autocrítica e consciência. Na verdade, é muito melhor dizer “é verdade, eu estava errado e vou mudar isso” do que se esconder atrás da idade. Uma postura nos faz crescer. A outra, não.

Talvez você tenha lido algum livro de Miguel Delibes, como O Príncipe Destronado ou O Caminho. Em todo caso, as frases que apresentamos são apenas uma pequena amostra da sua narrativa. Portanto, a partir daqui, recomendamos que você transcenda este aperitivo e mergulhe em sua obra. É um autor que, pela vida, legado e amor à linguagem, vale muito a pena ler.

Pode interessar a você...
Biografia de Miguel de Cervantes, um criador universal
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
Biografia de Miguel de Cervantes, um criador universal

A biografia de Miguel de Cervantes foi repleta de experiências surpreendentes. Sua obra é uma das maiores da literatura mundial.



  • Alpízar, D. M. (2015). Enfermedad, muerte y duelo en Señora de rojo sobre fondo gris de Miguel Delibes. Estudios, (31), 691-703.
  • Barbado Hernández, F. J.. (2007). Medicina y literatura en la formación del médico residente de medicina interna. Anales de Medicina Interna24(4), 195-200. Recuperado en 27 de abril de 2019, de http://scielo.isciii.es/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0212-71992007000400010&lng=es&tlng=es.
  • Sierra-Siegert, M. (2008). La despersonalización: aspectos clínicos y neurobiológicos. Revista colombiana de psiquiatría37(1), 40-55.