Há tantas realidades quanto há pessoas

· dezembro 12, 2018

O impacto de qualquer situação depende do significado pessoal e, portanto, subjetivo, que a pessoa lhe outorga. Portanto, as mesmas situações podem ser vividas como diferentes realidades por diferentes pessoas.

Por outro lado, existem dificuldades para que as pessoas reconheçam a construção social das situações, inclusive na percepção de objetos e situações simples. Além disso, estas dificuldades têm consequências, como veremos a seguir.

As pessoas constroem suas realidades

O simples fato de lembrar é um processo construtivo. Assim, por  mais que sejamos bons lembrando, nossa memória é imperfeita. O certo é que a memória é inevitavelmente influenciada pelo contexto da recordação (conversas sobre a recordação, outros testemunhos…).

Silhueta de mulher com o pôr do sol

Loftus e Palmer demonstraram o “efeito da informação errada” através de um experimento chamado “Acidente de carro”. Este trabalho explica como diferentes pessoas, diante do mesmo acidente, construíram suas próprias realidades sobre o ocorrido dependendo de como eram questionadas sobre o assunto. Por exemplo, diante dos mesmos fatos, as pessoas que foram perguntadas sobre os carros que bateram definiram o acidente como mais leve do que aquelas que foram questionadas a respeito dos carros que se chocaram.

Diferentes funções levam a diferentes realidades

No planeta Terra existem diversas formas de estrutura, função e organização social da vida, e portanto realidades muito diferentes. Por exemplo, o conceito que temos de família não é o mesmo para uma tribo ou para um clã, ainda que elas sejam formadas para conseguir alcançar finalidades similares.

Por que é tão difícil entender completamente outras culturasSe olharmos um edifício em obras, não ficaremos surpresos com o modo como o constroem porque essa forma de construção é comum em nossa realidade. Em contrapartida, quando observamos uma catedral antiga, pode ser que seja difícil imaginar como foi seu processo de construção devido ao fato de que fez parte de outra realidade.

Consequências de não aceitar que existem realidades diferentes

Do mesmo modo que é fundamental assumir que a realidade é algo que construímos, também devemos ser conscientes de um dado: esta construção se une muito bem à parte objetiva que possa ter, de forma que não se reconhece facilmente. E se não se reconhece facilmente, quais são as consequências de não reconhecer essa subjetividade?

A principal consequência de não ter em conta a construção social é o “viés do falso consenso”. O viés do falso consenso (crença de que nosso julgamento é o mais comum e compartilhado pelos outros) conduz a vieses de atribuição (erros na hora de atribuir causas). As principais consequências de não reconhecer diferentes realidades explicam, por sua vez, o viés do falso consenso:

  • Acreditar que nossos julgamentos, escolhas, crenças e opiniões são relativamente comuns e apropriados às circunstâncias.
  • Não considerar que os demais estejam respondendo a uma situação diferente da nossa.
  • Superestimamos o grau no qual os outros compartilham nossas crenças, condutas e, portanto, confiamos excessivamente em nossas previsões (sobre nós mesmos e os outros).
  • Não levar em conta ou não considerar a perspectiva do outro da forma como merece.
  • As respostas alternativas que outras pessoas proporcionam diante das nossas crenças são consideradas como desviadas ou inapropriadas.
  • Não reconhecer que a realidade se constrói de forma diferente.

Perfil humano com folhas

A realidade é como a personalidade

Cada pessoa possui uma personalidade que é única e irrepetível, não é possível copiá-la e nem imitá-la 100%, e o mesmo acontece com a realidade. Se nos perguntarem como explicaríamos a um extraterrestre o mundo onde vivemos, cada um de nós daria uma resposta diferente.

O contexto e a aprendizagem vão esculpindo nosso ser desde que nascemos, mas nossa base de herança genética também faz parte de nós. Não podemos sentir, pensar, olhar, respirar, lembrar… exatamente da mesma maneira que os outros, e portanto a realidade será vivida de forma diferente.

Quantas vezes você ouviu ou disse que é preciso ser realista diante de uma determinada situação? Custa entender que a realidade em si mesma não existe e, em consequência, cada um possui sua própria verdade. Por isso temos a responsabilidade de respeitar e compreender as realidades alheias, sem imposições e nem juízos de valor.