Hipengiofobia: o medo da responsabilidade

O medo excessivo de assumir responsabilidades pode se tornar paralisante e afetar diferentes dimensões de nossas vidas. Dessa forma, pode se tornar o epicentro de um desconforto intenso.
Hipengiofobia: o medo da responsabilidade

Última atualização: 11 Novembro, 2021

A palavra “hipengiofobia” pode não ser familiar para você, mas seu significado provavelmente é. A hipengiofobia é um medo irracional e exagerado de ter que assumir responsabilidades, até mesmo de nos imaginarmos em uma situação na qual devemos tomar decisões ou ter algo sob a nossa responsabilidade.

Por exemplo, o medo das responsabilidades se estende a situações em que algo fica sob nossos cuidados, ou nas quais devemos responder por tarefas específicas do dia a dia. Em geral, poderíamos dizer que a hipengiofobia é um tipo de medo que nos impede de assumir a responsabilidade por qualquer tipo de atividade, decisão ou tarefa.

O medo de assumir responsabilidades pode ser o outro lado de um problema comum dos nossos tempos: a incapacidade de delegar responsabilidades. Há pessoas que acham que devem estar sempre encarregadas de tudo e para as quais é impossível abrir mão do controle. Desse modo, embora aprender a delegar e distribuir responsabilidades possa ser muito benéfico para a nossa saúde mental, não assumir nenhuma responsabilidade também pode acabar sendo uma fonte de grande e contínuo desconforto.

Neste artigo, vamos identificar as principais características da hipengiofobia, as formas como ela pode se manifestar e as alternativas de intervenção profissional da psicologia.

Mulher com medo das responsabilidades

Características da hipengiofobia

Talvez a característica mais importante dessa fobia seja a tendência a fugir de situações que exigem responsabilidade e que não representam, em geral, nenhum tipo de ameaça. Esse comportamento costuma ser acompanhado de enfermidades físicas, como náuseas, vômitos, sudorese excessiva, entre outros.

Como acontece com quase todas as fobias, essa resposta excessiva é involuntária e praticamente incontrolável. Isso, por sua vez, faz com que gere sintomas de ansiedade, ataques de pânico e afete negativamente a autoestima. Além disso, esse medo da responsabilidade pode estar na origem de problemas de adaptação laboral, acadêmica, financeira e, em geral, social.

O comportamento de evitação acaba se transformando em um círculo vicioso, ou seja, evitar responsabilidades gera um alívio momentâneo e breve, que é então substituído por um medo ainda maior da incapacidade percebida – é como se a resposta de evasão aumentasse a sensação de ameaça da próxima vez. Fugir de responsabilidades, no final das contas, só piora o quadro.

Por outro lado, aqueles que sofrem de hipengiofobia muitas vezes experimentam sentimentos de autoindulgência e tendem a sobrecarregar os outros com as suas responsabilidades, sendo muito duros com eles mais tarde, quando as coisas dão errado.

A origem dessa fobia não é clara. Pode estar associada a um evento traumático em que um objetivo proposto não foi alcançado, ou ter passado muito tempo sob um horizonte de demandas excessivas. De qualquer forma, pode ser muito paralisante, pois a maioria de nós enfrenta situações que exigem responsabilidade em nosso dia a dia.

Tipos de medos que podem aparecer na hipengiofobia

Dependendo das situações em que o medo da responsabilidade aparece, podemos identificar certos medos específicos que estão associados à hipengiofobia, como os seguintes:

Medo de estar errado

O medo de cometer erros é um dos principais medos derivados dessa fobia. O medo de estar errado faz com que as pessoas caiam na inércia, bloqueando a tomada de decisões ao mesmo tempo.

Medo de não atender às expectativas

O medo de não estar à altura das circunstâncias ou de que nosso comportamento não atenda aos critérios esperados aparece de forma recorrente. Muitas vezes essas expectativas são construídas pela própria pessoa e não são baseadas em critérios externos ou avaliações negativas externas.

Evitar julgamentos negativos

Na mesma linha, pode haver uma tendência a evitar julgamentos negativos. Isso faz com que, por sua vez, quem sofre dessa fobia evite responsabilidades ou abandone a execução de uma tarefa antes de terminá-la, para evitar uma avaliação negativa imaginária.

Medo de perder o controle

É possível que essa fobia esteja relacionada à percepção de não conseguir manter o controle de uma situação. Desta forma, uma pessoa pode evitar a responsabilidade pelo medo causado pela ideia de desmaiar em público ou de esquecer o que ia dizer.

Medo de passar despercebido

Em alguns casos, o medo de perder o afeto dos outros e de ser impopular também aparece. Outro medo relacionado tem a ver com o trabalho e o esforço que acabam não sendo valorizados.

Homem que se sente julgado

Tratamento da hipengiofobia

Para começar, é importante observar que, embora as fobias respondam bem aos tratamentos psicológicos, não existem soluções rápidas.

O acompanhamento profissional pode incluir técnicas como atenção plena, exposição gradual e reestruturação cognitiva. Este tipo de intervenção pode ser muito útil para aumentar a consciência das respostas corporais, para superar gradativamente situações estressantes e transformar pensamentos irracionais ligados à origem desse medo.

Pode interessar a você...
Responsabilidade pessoal: quando você é a pedra no seu sapato
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Responsabilidade pessoal: quando você é a pedra no seu sapato

Sem responsabilidade pessoal, não há progresso, conquistas ou vitórias. Essa dimensão psicológica tem um grande impacto no âmbito social.



  • Eski, Y. (2018) A fear of coercion and accountability? Security officers and the non-use of force, Policing and Society, 28:8, 985-998, DOI: 10.1080/10439463.2017.1340292
  • Manrique Tisnés, H., & Gil Congote, L. (2013). Azar, libertad y responsabilidad: aportes para una práctica psicológica. Pensamiento Psicológico11(2). Recuperado a partir de https://revistas.javerianacali.edu.co/index.php/pensamientopsicologico/article/view/589