Hiperidrose e seu impacto na nossa autoestima

· abril 27, 2019
A hiperidrose pode nos levar a limitar nossas atividades sociais. Existe uma solução para que ela deixe de ser um problema?

Suar é um processo fisiológico natural; no entanto, algumas pessoas sofrem de hiperidrose. Essa condição é considerada uma doença que causa transpiração excessiva: uma condição que muitas vezes provoca constrangimento em certas atividades sociais. Isso tem um impacto muito negativo na nossa autoestima.

Como bem destaca o artigo Simpatectomia por videotorascopia para tratamento de hiperidrose palmar moderada, esta doença faz com que o suor moderado apareça espontaneamente, sem que isso tenha qualquer relação com o clima (quente ou frio).

Isso tem um impacto no universo social, já que a pessoa se inibe no contato social e sofre as consequências. Normalmente, a hiperidrose está presente desde a infância.

Tratamentos para hiperidrose

O fato de a hiperidrose condicionar nossa vida física e mental, afetando elementos tão importantes quanto a autoestima, nos incentiva a intervir para minimizar seus sintomas e suas consequências. Para fazer isso, devem ser levados em consideração os seguintes pontos que mencionaremos abaixo:

  • Vá ao médico: é necessário colocar esse problema no conhecimento de um profissional que possa indicar possíveis opções de tratamento que só ele pode fornecer.
  • Mantenha a higiene ideal: tanto se a hiperidrose se manifesta em nossos pés, mãos, axilas ou outras partes do corpo, é essencial manter uma boa higiene. Isso significa que o banho deve ser realizado com mais frequência do que o habitual. Isso evitará maus odores e permitirá que nos sintamos mais autoconfiantes.
  • Medicamentos com ação sistêmica: o médico prescreverá o medicamento que melhor nos convier e nos monitorará para ver se precisa ser trocado, aumentar a dose, etc. Eles costumam ter bons resultados para casos leves.
  • Métodos cirúrgicos: fornecem uma cura definitiva, mas só são recomendados em casos moderados e graves. No entanto, se não pudermos passar por uma operação, há uma nova opção que consiste em aplicar correntes galvânicas nas áreas afetadas.

Essas intervenções permitem regular e manter o suor sob controle. Se este for excessivo, a cirurgia pode diminuir o nível basal para devolvê-lo a níveis comuns. Os bons resultados, sem dúvida, favorecerão de maneira especial as sensações da pessoa em situações sociais.

Hiperidrose nas mãos

Depoimentos sobre esta doença

O impacto que essa doença pode ter sobre a nossa autoestima pode fazer com que seja essencial buscar um profissional que nos ajude a aceitar nossa condição. Temos um exemplo de hiperidrose com o espanhol David Broncano, um personagem público, humorista que tem seu próprio programa, e que até mesmo brinca com sua hiperidrose palmar.

No entanto, há casos como o de um jovem engenheiro de 24 anos. Apesar de ter ido ao médico e ter recebido uma solução antitranspirante de cloreto de alumínio, no verão seu suor tornou-se mais evidente (menos camadas para ocultá-lo). O jornal El País publicou seu relato:

“Quando soube que uma operação eliminava a hiper-sudorese, pensei apenas nas vantagens. […] Todo dia eu tenho que manchar meu peito com um antitranspirante de cloreto de alumínio, e no verão tenho vergonha de sair para a rua porque minha camisa molha imediatamente”.

Para algumas pessoas com hiperidrose, é mais confortável estar em uma academia, já que é um lugar onde todos transpiram. No entanto, fora desse ambiente, muitas vezes se sentem pequenos e inseguros a ponto de tentarem esconder o problema de seus próprios parceiros.

Apesar de tudo isso, ficamos com uma frase que Violeta (outra pessoa com hiperidrose) deixou como testemunho: “O pior não é a doença, é que você foca sua vida em torno dela. As pessoas nem percebem isso. A preocupação é sua”.

Hiperidrose e seu impacto na nossa autoestima

Um problema estético?

A razão pela qual nossa autoestima é afetada quando sofremos de hiperidrose é devido a uma série de crenças que temos sobre a transpiração. Quando pensamos nisso, vêm à nossa mente palavras como “mau cheiro”, “sujo” ou “falta de higiene”.

No entanto, nem sempre que suamos cheiramos mal ou significa que não nos limpamos. É uma reação natural do nosso corpo que, devido a esta doença, pode ocorrer em excesso. Quando estamos praticando uma atividade física, isso não nos causa preocupação. Em outras situações, sim. Talvez porque não seja socialmente aceito?

A hiperidrose, felizmente, é um problema que hoje tem solução. Com a cirurgia podemos erradicar completamente esta doença e, caso não seja tão grave, controlá-la com certos medicamentos. E você, sofreu ou sofre de hiperidrose? Como é conviver com ela?

  • Hernández Gutiérrez, José Manuel, Salinas Sedo, Gustavo, & Nodal Ortega, Josefina. (2011). Hiperhidrosis esencial, recomendaciones para su tratamiento. Revista Cubana de Cirugía50(4), 597-601. Recuperado en 23 de enero de 2019, de http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&;pid=S0034-74932011000400023&lng=es&tlng=es.
  • Hernández Gutiérrez, J. M. (2008). Simpatectomía videotoracoscópica para el tratamiento de la hiperhidrosis palmar moderada. Revista Cubana de Cirugía47(3), 0-0.
  • Lorenzo, C. M., Moreno, B. E., Ríos, M. G., Fernández, M. F., Gutierrez, C. V., & Barrilao, R. G. (2004). Exploración y tratamiento fisioterapéutico de la hiperhidrosis palmar. Fisioterapia26(2), 105-113.
  • Vialat Soto, Vivian, Vázquez Merayo, León Alonso, Dania, & López Díaz, Vivian de la Caridad. (2014). Sudor compensador, un efecto no deseado secundario al tratamiento quirúrgico de la hiperhidrosis primaria infantil. Revista Cubana de Pediatría86(2), 207-214. Recuperado en 23 de enero de 2019, de http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&;pid=S0034-75312014000200009&lng=es&tlng=es.