Homem possessivo e controlador: características e atitudes

fevereiro 14, 2019

Apesar de, socialmente, não termos um estereótipo de homem possessivo e controlador, existem algumas características e atitudes comuns às quais podemos recorrer para defini-los. No entanto, é importante considerar que eles podem ser indivíduos muito diferentes entre si no que diz respeito ao status social e financeiro, idade, formação, crenças religiosas, tendências políticas e educação.

Pois bem, muito além das características que vamos explicar mais adiante, quase todos eles coincidem na sua forma de começar um relacionamento e mantê-lo por meio de comportamentos de domínio e autoridade. Às vezes, estas condutas estão disfarçadas de gestos sutis e amáveis, mas outras vezes são exercidas sem nenhum tipo de escrúpulo. A questão é que, pouco a pouco, elas vão criando uma prisão na qual vão encarcerando a outra pessoa.

Os primeiros sinais de alarme são as negativas, o desprezo e as rejeições direcionados à companheira disfarçados de falsa modéstia, com a desculpa de que são somente advertências para melhorar, junto com interrogatórios sobre cada detalhe do dia a dia.

O problema é que, pouco a pouco, a vítima vai perdendo a sua identidade e deixando de dar importância a qualquer comportamento que lhe provoque sofrimento e dor, enquanto começa a medir cada uma das palavras que pronuncia para agradar.

No começo do relacionamento, pode ser normal que o parceiro demonstre sua preocupação pelas atividades que ocupam o seu dia a dia, que ele envie mensagens para o seu celular ou ligue várias vezes durante o dia. Mas, onde está o limite?

O perigo aparece no momento em que o desejo de saber da outra pessoa se transforma em uma obsessão, e o interesse se converte em puro controle. O que acontece é que a personalidade controladora não costuma ficar evidente no começo do relacionamento, mas conforme passa o tempo, ela começa a despontar.

Apesar de este tipo de comportamento poder ocorrer tanto em homens quanto em mulheres, neste artigo vamos nos concentrar nos traços e características que descrevem os homens possessivos e controladores, indivíduos cheios de insegurança e desconfiança.

“Defenda a sua vida, lute pela sua independência, busque a sua felicidade e aprenda a se amar”.
– Izaskun González –

Quais são algumas das características do homem possessivo?

Homem possessivo ficando com raiva

Personalidade obsessiva

O homem possessivo e controlador se caracteriza por ter uma personalidade obsessiva. Ele tenta checar tudo aquilo que o rodeia e sempre parece assumir uma atitude defensiva. Ele se zanga com facilidade e, em alguns momentos, tenta conter a sua agressividade.

A obsessão por controlar onde a parceira está em cada momento, com quem ela fala ou as amizades que ela tem se transforma no primordial da relação. Inclusive, apesar de ela ter indicado o que ia fazer ou onde iriam se encontrar, ele vai tentar comprovar isso de uma forma contínua, seja através dela ou dos familiares e amigos, para confirmar que aquilo que ela diz é a verdade.

É importante considerarmos que cada um de nós é uma pessoa livre e que ninguém tem o direito de decidir com quem podemos sair e o que devemos vestir, já que isso seria uma falta de respeito, além de reprimir a nossa liberdade.

Ciúmes doentios

Os ciúmes surgem como resposta aos sentimentos profundos de insegurança e desconfiança em relação a si mesmo. Desse modo, eles costumam surgir quando alguém sente que o amor do outro está em perigo, ou quando sente o medo de deixar de ser o centro das atenções do ser amado, ainda que isso não seja verdade. Ou seja, a pessoa ciumenta costuma ter medo do abandono, além de uma dependência emocional e uma insegurança crônicas.

Apesar da maioria das pessoas serem capazes de relativizar este sentimento, os homens possessivos costumam sentir muitas dificuldades na hora de se controlar. Desta forma, os ciúmes vão acabar dominando-os, e eles vão expressá-los por meio de comportamentos críticos, controladores e, em alguns casos, até agressivos.

Controle das redes sociais e de dispositivos eletrônicos

Um homem possessivo e controlador, além de ligar e enviar mensagens várias vezes ao dia, costuma se zangar quando a mulher não responde de maneira imediata. Se isso acontecer no começo de um relacionamento, o recomendável é conversar sobre o assunto; se ainda assim ele não for capaz de entender, a recomendação é se afastar. Se isso acontecer em um relacionamento estável, é conveniente falar sobre essa questão ou consultar um psicólogo.

O importante é saber que o telefone celular é algo muito pessoal, e que ninguém deve controlar as nossas ligações e mensagens, já que elas fazem parte da nossa privacidade.

Manter a comunicação é importante, mas quando as ligações são persistentes, pode se tratar de um tipo de abuso com o propósito de saber onde você está, com quem está e o que está fazendo em cada momento.

Homem possessivo e controlador

Sentimento de posse

A convivência com um homem possessivo e controlador é praticamente insustentável, já que ele pode chegar a dominar e anular a outra pessoa.

Ele tem um sentimento de posse, trata a outra pessoa como a sua propriedade, e acredita que tem o poder de decidir sobre ela sem consultá-la, o que costuma levar a situações de maus-tratos psicológicos. Inclusive, a vítima pode chegar a ter graves problemas para ver a realidade de forma objetiva como resultado do seu autoengano.

O importante nestes casos é eliminar o conceito de posse no amor, assim como a crença de que os ciúmes são uma demonstração deste sentimento. O amor não tem nada a ver com a propriedade, a necessidade, nem o controle; tem a ver com a liberdade, o respeito e a confiança. Por isso, é importante estabelecer certos limites nos relacionamentos.

É necessário que gostem de você do jeito que é, mas, especialmente, que o valorizem e respeitem.

Exigir mudanças nos seus gostos e na sua forma de ser

Geralmente, o homem possessivo e controlador vai incentivar sua companheira amorosa a abandonar as suas atividades, os passatempos e as amizades. Ele desejará impedir que ela tenha interesses que ele não pode controlar.

Em casos extremos, os homens possessivos podem chegar à agressão verbal ou física para que a outra pessoa se comporte e faça tudo que ele espera e deseja. Nestas situações, o mais importante é pedir ajuda, tanto a profissional quanto a legal, o quanto antes.

Por último, não podemos esquecer que, em um relacionamento de casal, o amor, o respeito, e a vontade de ajudar a outra pessoa a crescer devem ser primordiais.