Homens que sofrem maus-tratos: uma realidade silenciada

Os homens que sofrem maus-tratos são uma realidade evidente, embora muito pouco visível. Quase não há dados ou informações sobre esse tipo de situação.
Homens que sofrem maus-tratos: uma realidade silenciada

Última atualização: 25 Março, 2021

Em 2004, foi aprovada a Lei Orgânica de Medidas Abrangentes de Proteção contra a Violência de Gênero na Espanha. Essa lei marcou um antes e um depois na justiça desse país: a partir deste momento, o termo violência de gênero passou a ser utilizado como uma forma de agressão dos homens para com as mulheres. No entanto, essa lei reflete todas as realidades possíveis? Como isso está relacionado aos homens que sofrem maus-tratos?

Infelizmente, os casos de violência doméstica têm crescido exponencialmente não somente no Brasil, mas também em diversos países. De acordo com a legislação atual, os maus-tratos às mulheres são punidos com muito mais severidade do que os maus-tratos aos homens. Isso se deve ao fato de que existem certas normas sociais que tornam as mulheres suscetíveis a danos físicos e psicológicos pelo simples fato de serem mulheres.

Entretanto, o que acontece com os homens que sofrem maus-tratos? Os casos existentes são pouco visíveis e, além disso, as penas são menos severas contra quem os ataca. Por isso, muitas pessoas consideram que estamos em uma situação de injustiça no plano legal. Neste artigo, veremos algumas das chaves mais importantes com relação a esse assunto.

Os homens que sofrem maus-tratos ​​realmente existem?

Muitas pessoas acreditam que a agressão do parceiro só ocorre de forma unidirecional contra as mulheres. No entanto, em alguns países existem inúmeras associações encarregadas de tornar visível uma realidade muito diferente: os homens vítimas de violência.

Na verdade, essas associações defendem a ideia de que o uso de violência física e emocional ocorre quase da mesma forma entre os dois sexos, independentemente da direção do abuso.

De acordo com as fontes que consultamos, entre 25% e 40% das denúncias de abuso são feitas por homens; a diferença no número de reclamações com base no sexo, portanto, não é tão grande quanto se poderia pensar. No entanto, ouvimos constantemente apenas sobre situações em que mulheres são abusadas.

O termo violência doméstica é aquele que engloba este tipo de abuso, que é exercido por meio de agressões físicas, insultos e desqualificação contínua contra os homens.

Homem desesperado

Por que há falta visibilidade?

Há uma evidente falta de informação sobre o problema dos homens que sofrem maus-tratos. Isso se deve a um conjunto de fatores, entre os quais se destacam:

  • Falta de credibilidade: muitos homens que se propõem a denunciar abusos são vistos com descrença por parte das autoridades.
  • Vergonha: alguns homens tendem a pensar que pedir ajuda os torna mais fracos. Além disso, outros podem se sentir envergonhados em sua masculinidade por terem sido agredidos.
  • Choque contra a narrativa atual: mesmo quando são feitas denúncias e registrados casos de maus-tratos a homens, a maior parte da opinião pública desconhece essa realidade. Isso se deve ao fenômeno psicológico conhecido como dissonância cognitiva. Como acreditamos que apenas as mulheres podem ser abusadas, simplesmente nos recusamos a ver as evidências conflitantes de que nem sempre é esse o caso.
  • Diferenças legais: a Lei da Violência de Gênero culpa os homens pelo fato de serem homens. Portanto, apenas com o registro de denúncia (BO), os homens que sofrem maus-tratos entram diretamente nas listas dos crimes com violência. Não existe uma categoria separada que cubra essa realidade problemática.
  • Falta de apoio: existem muitos recursos para ajudar mulheres agredidas; no entanto, os homens têm poucas associações ou organismos aos quais podem recorrer.

Consequências dos maus-tratos direcionados aos homens

Na maioria das vezes, a violência doméstica contra os homens não costuma resultar em mortes. No entanto, podem aparecer muitos problemas graves no homem agredido, como o aumento da possibilidade de desenvolver um transtorno mental.

Entre outras condições, esses homens podem acabar sofrendo de problemas psicológicos, como depressão ou ansiedade.

Em casos menos graves, os homens que sofrem violência nas mãos de suas parceiras sofrem uma grande perda de autoestima. Isso, além de levá-los a desenvolver um estado de espírito negativo, afeta o seu modo de viver a partir daquele momento.

Homem sofrendo

Conforme mencionado acima, o abuso psicológico geralmente não causa vítimas fatais, mas pode causar uma significativa deterioração social, acadêmica ou de trabalho na pessoa afetada. Isso leva a uma grave deterioração da qualidade de vida.

No extremo oposto, os casos mais graves de homens que sofrem maus-tratos podem terminar em suicídio; na verdade, o suicídio tem uma taxa de incidência mais alta em homens agredidos do que em mulheres agredidas.

A violência doméstica pode, sem dúvida, precipitar situações que levam a um possível suicídio. E isso não faz nada mais do que adicionar gravidade à necessidade de abordar esse problema com eficácia.

Proteger as mulheres é essencial em qualquer sociedade civilizada. No entanto, fazer isso não deve prejudicar a proteção que também deve ser dada ao sexo masculino. Embora o seu sofrimento seja diferente, os homens também têm o direito de se tornarem visíveis e de trabalhar pela erradicação dos abusos de que são vítimas.

Pode interessar a você...
Os homens também são vítimas da violência doméstica
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
Os homens também são vítimas da violência doméstica

Quando nos referimos à violência doméstica, vem automaticamente à nossa mente a imagem de um homem maltratando uma mulher.



  • Rojas-Andrade, R., Galleguillos, G., Miranda, P., & Valencia, J. (2013). Los hombres también sufren. Estudio cualitativo de la violencia de la mujer hacia el hombre en el contexto de pareja. Revista Vanguardia Psicológica Clínica Teórica y Práctica3(2), 150-159.
  • Romero, M. P. (2013). Hombres víctimas y mujeres agresoras. La cara oculta de la violencia entre sexos. Editorial Cántico.
  • Trujano, P., Martínez, A. E., & Camacho, S. I. (2010). Varones víctimas de violencia doméstica: un estudio exploratorio acerca de su percepción y aceptación. Diversitas: perspectivas en psicología6(2), 339-354.