Como a insegurança no trabalho afeta a saúde?

· agosto 3, 2018

Nos últimos anos, muitos países têm sofrido uma recessão econômica, fruto dos altos e baixos do sistema econômico. Um dos resultados mais frequentes é a insegurança no trabalho. A diminuição dos empregos fixos e o aumento dos contratos de meio período ou por hora afetam a população ativa que está em faixas etárias baixas e altas. Alguns são afetados pela falta de experiência, enquanto outros são discriminados por causa da sua idade.

Esta situação causa instabilidade na vida de muitas pessoas, impedindo, em muitos casos, o desenvolvimento profissional que desejam, ou atrasando a chegada dos filhos, da compra de uma casa ou de uma tão sonhada viagem. Na maioria dos casos, a frustração provocada pela insegurança no trabalho afeta a saúde, tanto física quanto psicológica.

O que causa insegurança no trabalho?

A insegurança no trabalho pode ser causada por diferentes fatores. Os baixos salários, em muitos casos, impedem de atender as necessidades básicas, levando a situações de estresse toda vez que é necessário enfrentar um gasto em dinheiro. A relação entre o trabalho e os interesses do trabalhador também é um fator importante, já que aqueles que não trabalham no que estudaram ou para o que são aptos consideram seu trabalho insatisfatório. Os contratos de baixa qualidade (curta duração, jornada de meio período ou até horários aleatórios) também afetam bastante a ansiedade do indivíduo.

Mulher estressada no trabalho

A ansiedade é o resultado da superexposição ao estresse ou de um número excessivo de expectativas negativas sobre o futuro. Isso se manifesta quando os níveis de cortisol no sangue aumentam significativamente de maneira mantida ao longo do tempo. Esta situação pode levar ao desenvolvimento de doenças, má qualidade do sono ou outros tipos de transtornos.

Por outro lado, o estresse pode ser uma consequência de más condições de segurança no local de trabalho. Os trabalhos relacionados à construção ainda apresentam uma alta taxa de mortalidade, o que causa estresse entre seus trabalhadores. Estes, em muitos casos, se sentem expostos a perigos que oscilam entre a carga de máquinas ou objetos pesados ​​e a exposição a agentes químicos ou muito quentes. Também podemos encontrar perigos na estrutura dos edifícios, onde não há equipamentos de segurança. Ou também em minas, onde os trabalhadores estão expostos a gases tóxicos e falta de oxigênio.

A solução para a insegurança no trabalho

É evidente que o financiamento correto de projetos que envolvem mais perigos é muito necessário. Esta injeção econômica se traduz em melhores máquinas, roupas adequadas às condições de trabalho ou sindicatos melhor financiados para o benefício dos trabalhadores.

Na maioria dos casos, especialmente quando se trabalha para os outros, o trabalhador dificilmente pode influenciar essas decisões econômicas, o que pode lhe gerar um sentimento de insatisfação ainda maior. Por isso, as afiliações a grupos sindicais relacionados ao trabalho realizado podem ser benéficas.

O que podemos contribuir para a situação?

Como indivíduos, não podemos exercer muita influência sobre questões econômicas, portanto, nosso âmbito de atuação é reduzido ao individual e coletivo. Assim como a nível coletivo o mais eficiente é formar um grupo que compartilhe as ideias quanto às necessidades e melhorias do espaço de trabalho, a nível individual, podemos lidar com o estresse ou a ansiedade vivenciados de maneira saudável.

  • Identificar a causa da insegurança: como vimos, nem todas as causas de insegurança no trabalho são iguais. Elas podem ser causadas por máquinas ineficientes, mas também por relacionamentos tóxicos ou até mesmo por assédio no local de trabalho. Antes de proceder, é importante identificar a causa da nossa ansiedade, pois irá exigir uma solução ou outra.
  • Estabelecer prioridades: os níveis de estresse de uma pessoa sujeita à insegurança no trabalho são mais altos que os de outros indivíduos. Tentaremos, então, evitar outras situações de estresse desnecessário. Existem elementos em nossa vida que não são necessários ou fundamentais, por isso devemos nos afastar deles para permanecermos calmos.
  • Não exagerar na autocrítica: há resultados em nosso trabalho que não dependem somente de nós. Aceitar que nem sempre é possível alcançar a perfeição irá nos ajudará a relaxar. Às vezes somos nossos piores críticos.

Mulher feliz com seu trabalho

O pensamento positivo nos ajudará a enfrentar situações como essa. Boa parte de nosso estresse é controlável se soubermos como fazê-lo. No entanto, se estivermos diante de uma situação extrema, talvez seja hora de considerar se vale a pena continuar perdendo qualidade de vida e pedir ajuda. Atreva-se a mudar para melhorar sua saúde!