A intervenção social em contextos educacionais

agosto 24, 2019
A intervenção social no ambiente escolar pode mudar o rumo dos alunos. Você quer saber por quê?

A fase escolar é uma época que pode ser muito difícil para os alunos e seus pais ou responsáveis. Bullying, notas baixas, absenteísmo, situações complicadas em casa, dificuldades de aprendizagem… Às vezes, a presença de um terceiro é necessária para resolver a situação. Portanto, a intervenção social em contextos educacionais pode ser de grande importância.

Os anos que passamos na escola e no colégio marcam as nossas vidas. Nesta fase, forjamos a nossa personalidade e poderíamos dizer que aprendemos a viver em sociedade. São anos em que compartilhamos muito tempo com os colegas.

Embora o contexto de cada aluno possa ser diferente, a escola deve ajudar os alunos, independentemente de sua origem social e cultural, a construir um autoconceito positivo.

Além disso, integrá-los na interação diária da instituição para que possam aproveitar as oportunidades educacionais disponíveis (Fernández e Fernández, 2011).

É importante ressaltar que o processo educativo visa assegurar que o aluno tenha uma situação que possibilite seu desenvolvimento livre e harmonioso.

Apesar disso, é verdade que, como disse Roselló (1998), esse processo deve ser concebido como um todo, envolvendo não apenas os educadores, mas também os demais profissionais que podem cobrir “lacunas” no sistema educacional.

Entre esses profissionais podemos encontrar psicólogos, assistentes sociais, fonoaudiólogos, psicopedagogos…

Profissionais educacionais reunidos

Intervenção social em contextos educacionais

Existem equipes de orientação educacional e psicopedagógica que têm a função de aconselhar, apoiar e colaborar com os professores para melhorar a qualidade da educação.

Acredita-se que o ambiente escolar seja o primeiro lugar em que problemas familiares e sociais podem ser detectados (F.I.T.S, citado em Roselló, 1998). Portanto, não podemos esquecer que qualquer problema detectado precocemente pode nos ajudar a prevenir ou mitigar os seus efeitos.

A intervenção social no campo educacional visa colaborar para que qualquer aluno, independentemente de sua origem, família ou campo social, tenha as mesmas oportunidades que o restante.

Isso pode ser alcançado trabalhando com o aluno e a sua família. É necessário orientar os responsáveis ​​pelos alunos para que também se envolvam para uma adaptação e sucesso plenos.

Pode-se dizer que a intervenção geralmente começa com a detecção dos problemas ou que essas intervenções estão ligadas à esfera privada. Isso significa que são associações ou empresas externas que fazem palestras formativas e informativas.

“Eduque as crianças e não será necessário punir os homens”.
– Pitágoras –

O que poderia ser feito a partir do campo educacional?

É necessário destacar a necessidade de orientar os alunos para uma vida saudável. Quando falamos de saudável, há um pensamento geral que orienta essa expressão para o físico, mas não devemos esquecer a importância da saúde mental.

A formação de jovens e adultos saudáveis, com habilidades sociais, com alternativas de lazer benéficas para o desenvolvimento da vida é essencial.

Mulher com agente social

Funções do assistente social nos contextos educacionais

A disciplina do trabalho social é desenvolvida em diferentes campos. Um deles é o ambiente educacional. Portanto, pode-se dizer que nesta área ainda há muito a explorar, embora seja um campo com muitas possibilidades para a profissão.

Dentro da intervenção social nos contextos educativos queremos distinguir algumas das suas funções: (Iglesias e Ortuño, 2017):

  • Colaborar na elaboração dos projetos dos centros educacionais, especialmente em relação às condições socioculturais do ambiente e aos aspectos sociais e familiares dos alunos matriculados.
  • Informação e orientação aos pais no campo de suas funções e no exercício da paternidade/maternidade.
  • Abordar e resolver situações individuais do aluno. Absenteísmo, baixo rendimento, problemas de relacionamento e comunicação, desajuste, convivência e conflitos…
  • Colaborar no desenvolvimento de programas de treinamento voltados para famílias.
  • Preparar e divulgar materiais e instrumentos úteis para os professores.
  • Fornecer ao centro educacional as informações necessárias sobre os recursos existentes na comunidade. Informar sobre necessidades educacionais e sociais, que possibilitem um planejamento educacional adequado.

O assistente social deveria ter uma maior importância no contexto educacional. Assim, como agente e profissional de mudança, cabe a ele desempenhar um papel fundamental na melhoria da convivência e bem-estar da comunidade educacional.

Por isso, não podemos esquecer que estabelecer uma boa base nas crianças que estamos educando hoje é plantar as sementes para um futuro melhor.

  • Fernández, I., & Fernández, C. (2011). La intervención social en el contexto educativo: funciones y expectativas de los PTSC en la Comunidad de Madrid. Revista Iberoamericana de Educación / Revista Ibero-americana de Educação.
  • Ortuño, E. I., & Muñoz, E. O. (2018). Trabajo Social y mediación para la convivencia y el bienestar escolar. Cuadernos de Trabajo Social31(2), 375-387.
  • Roselló Nadal, E. (1998). Reflexiones sobre la intervención del trabajador social en el contexto educativo. Alternativas. Cuadernos de Trabajo Social, N. 6 (octubre 1998); pp. 233-258.