Intolerância ao fracasso: 5 dicas para combatê-la

· março 13, 2018

Há pessoas que não conseguem tolerar o mínimo contratempo. Quando seus desejos não são satisfeitos, sentem um grande desconforto. Quando seus projetos são engolidos, podemos identificar neles uma marcada intolerância ao fracasso. Isso também acontece com eles quando experimentam sensações e sentimentos desagradáveis.

É normal que ninguém goste de se sentir frustrado ou fraco. No entanto, a vida não é perfeita. Todos gostaríamos que tudo acontecesse como prevemos, mas a realidade é diferente. Há uma frase que diz que “a vida não é como você quer que seja, a vida é como é”. No entanto, não importa quão bem-sucedida seja essa afirmação, há muitas pessoas que não pensam assim.

Nós queremos tudo para agora, sem esperas, imediatamente. Além disso, o que esperamos que aconteça deve acontecer de forma agradável ou satisfatória para os nossos interesses. Sim, nós acreditamos nisso. Ou, pelo menos, muitos pensam assim, e com essa maneira de pensar, constroem todos aqueles esquemas (representações do mundo) com os quais trabalham.

A vida não é como você quer que seja, a vida é como é

Todos ouvimos alguma vez que “você deve ser feliz” ou “você não deve se sentir triste”. Quando você usa o verbo “deve”, precisa ter muito cuidado. Por quê? Bom, porque nada deve ser de uma certa maneira. As coisas são como são, por mais que pensemos que deveriam ser. O dever pode motivar uma mudança ou desmotivá-la, mas em nenhum caso ele a produz.

Se pensarmos o contrário, passaremos nosso tempo pulando de insatisfação em insatisfação, de frustração em frustração. Pensemos, por exemplo, em como nossas vidas deveriam ser. A nossa vida deve ser perfeitamente agradável ou bem-sucedida? Não. Não deve ser pelo simples motivo de que, na verdade, não é. Podemos nos esforçar para chegar o mais próximo possível, mas tolerando que sempre haverá algo para enfrentar, aceitando-o como parte do jogo.

Homem consolando mulher

Nossas vidas se movem em torno de tons infinitos de cinza. Eles raramente estão em preto e branco, perfeitos ou terríveis. Se é assim, então por que continuamos pensando o contrário?

Dever, um inimigo perigoso

O que significa o verbo “dever”? De acordo com o dicionário, dever significa “estar obrigado a algo por lei divina, natural ou positiva”. Eu acho que o sol deve sair todos os dias, mas não acho que deva fazer sempre um bom tempo.

Quando dizemos que algo deve ser de uma certa maneira, estamos usando de alguma forma o imperativo. Estamos dizendo que nosso ambiente (pessoas, animais, objetos, etc.) deve obedecer de alguma forma a uma premissa, ao que dizemos, como se fossemos ditadores de leis universais. Mas a verdade é que, de longe, se mascararmos nossos desejos com este tipo de fórmulas (possibilidade-> obrigação), eles continuarão a ser cumpridos em uma porcentagem similar (a menos que implementemos outros tipos de mudanças).

E por quê? Porque, por mais que digamos, se o meio não reconhece a obrigação que impomos, é inútil. Isso nos torna mais frustrados ou nos sentimos menores e miseráveis. “Oh, o mundo não me obedece!”

Por outro lado, há pessoas que dizem “você deve ser uma boa pessoa” ou “você não deve sofrer por isso”. Atenção, perigo! Onde está escrito que devo cumprir os critérios que definem uma boa pessoa para você? Às vezes eu serei uma boa pessoa para você, mas às vezes não. Às vezes eu vou sofrer por alguma coisa, às vezes não.

O dever está na origem da intolerância ao fracasso

A intolerância ao fracasso é uma das causas pelas quais as pessoas passam dificuldades. Pense em uma criança que faz birra porque não recebeu o doce que ama tanto. Ela chora, chuta, grita, fica brava. Na mente da criança, ainda não está escrito que as coisas nem sempre vão sair como ela gostaria. É por isso que você tem que ensinar-lhe a canalizar suas emoções.

Como adultos, devemos aprender a tolerar a desobediência da realidade, o fato de que nem sempre ela estará em conformidade com nossos desejos, por mais nobres que sejam. Em si, a bondade ou a maldade de um desejo não aumentam as chances do mesmo ser cumprido.

Por outro lado, algumas pessoas foram educadas de tal forma que os imperativos como “você deveria …” reinaram em sua educação. Outras pessoas aprenderam a não tolerar o fracasso ou a frustração através de experiências, coisas que aconteceram com elas e as fizeram pensar assim de forma permanente.

O grande psicólogo Albert Ellis escreveu: “Enquanto a pessoa menos perturbada deseja fortemente o que ela quer e sente adequadamente e fica chateada se seus desejos não estão satisfeitos, a pessoa mais perturbada exige, insiste, reina ou ordena dogmaticamente que seus desejos sejam satisfeitos, e se tornam exageradamente angustiados, deprimidos ou hostis quando não estão satisfeitos “.

Como podemos ver, não há nada de errado em se sentir incomodado se algo não funciona da maneira que queremos. O que não é saudável é exigir, insistir ou ordenar como se fosse um dogma.

Casal discutindo

Crenças de pessoas com baixa tolerância ao fracasso

Pessoas com intolerância ao fracasso aprenderam a pensar e a se comportar de uma certa maneira. Eles têm uma série de crenças que condicionam sua maneira de ver o mundo e interpretar a realidade. Essas crenças são as seguintes:

  • Eles acreditam que é absolutamente necessário que a vida seja sempre fácil e confortável.
  • Eles confundem um desejo com uma necessidade.
  • Eles sempre devem obter tudo o que querem e para isso exigem, ordenam e insistem.
  • Eles pensam que qualquer dificuldade, atraso, falha, etc é muito horrível para aguentar.

As pessoas com intolerância ao fracasso exigem e ordenam, têm pouca paciência e confundem desejo com necessidade.

5 dicas para combater a intolerância ao fracasso

Embora tenhamos sido educados em termos de “dever” ou tenhamos crenças semelhantes às anteriores, existem algumas medidas que podemos tomar para combater a intolerância ao fracasso. São as seguintes:

Identifique suas crenças irracionais

Quando você se sente frustrado, tente analisar o que você está dizendo para si mesmo. Quais pensamentos você está tendo? Esteja ciente deles e escreva-os em um pedaço de papel.

É provável que, em seu diálogo interno, palavras como “deve”, “sempre”, “nunca”, “eu não posso suportar”, etc. apareçam. Estas, e não outras, são a causa do seu sofrimento.

Modifique suas crenças irracionais

Depois de identificar o que você está dizendo a si mesmo e que não te ajuda, é hora de falar com você de uma maneira diferente e mudar sua maneira de pensar. É um processo que exige muitas tentativas, mas vale a pena.

Para fazer isso, utilize palavras como “eu gostaria”, “é desconfortável, mas posso aguentar”, “às vezes”, etc. Trata-se de substituir suas crenças irracionais por outras crenças mais adaptativas.

Enfrente as situações que você não pode tolerar

Expor-se a situações que causam frustração pode ser uma boa estratégia. Faça uma lista dessas situações. Anote como elas o afetam.

Depois de identificá-las, comprometa-se a enfrentá-las. Para fazer isso, provoque essas situações e não faça nada para evitar o desconforto que geram. Com o passar do tempo, sua tolerância aumentará e você se sentirá cada vez melhor.

Mulher andando sozinha em estrada

Se possível, tome medidas para que não aconteça de novo

Isso pode parecer óbvio, mas às vezes não percebemos. Trata-se de propor soluções para que as situações não o dominem e não o frustrem.

Por exemplo, pare de olhar para o relógio; a pessoa com quem você marcou de encontrar está atrasada. Você pode fazer algo interessante enquanto isso. Em suma, trata-se de mudar o foco de atenção para reduzir o seu sentimento de frustração.

Diferencie desejo de necessidade

Uma coisa é precisar de uma casa maior, por exemplo, e outra é desejá-la ou ter certas preferências. Quando preciso de algo, se não o tiver, o desconforto aparece. Se eu preferir, posso sentir desconforto, mas será mais leve.

Há poucas coisas que realmente precisamos na vida. Diferenciar o que precisamos do que gostaríamos de ter ou o que acontece é essencial para evitar o sentimento de fracasso ou frustração.

Na vida é muito difícil evitar dificuldades e frustrações. Todos nós falhamos em algum momento. É parte da vida e é totalmente normal. Portanto, devemos aprender a gerenciar a frustração e nos dar permissão para falhar. Desta forma, teremos uma vida mais orientada para a realidade e nos sentiremos melhor.