Estamos juntos em cada pedaço, cada sonho e cada momento

Estamos juntos em cada pedaço, cada sonho e cada momento

junho 24, 2016 em Emoções 0 Compartilhados
Estamos juntos em cada pedaço, cada sonho e cada momento

Estamos juntos mas cada um tem seu próprio espaço, temos sonhos em comum, fechamos os olhos para vivê-los e lutamos a cada dia para que se tornem realidade. Aprendemos a ser honestos e a nos respeitarmos, a dizer a verdade, a saber que estamos juntos sendo dois, e não sendo um.

Sabemos que os beijos e os abraços, uma mensagem no meio da manhã ou um café preparado assim que acordamos nos unem. Aprendemos a falar sempre que algo nos preocupa e a dizer tudo o que pensamos com amor e delicadeza, aproveitar na cama o prazer do outro e demonstrar mutuamente o desejo e o carinho que sentimos.

“Fique com um amor que te dá respostas e não problemas. Segurança e não temores. Confiança e não mais dúvidas.”
-Paulo Coelho-

Mas, acima de todas as coisas, a vida nos ensinou que estar juntos não significa pertencer a outra pessoa ou que uma pessoa nos pertença. Ter um amor não quer dizer que desejamos tudo o que o outro deseja e esquecemos todas as outras pessoas importantes para nos concentrarmos unicamente em nosso par. Quando dizemos que estamos juntos, significa que temos um espaço compartilhado e um espaço próprio.

Por que estamos juntos: os segredos dos casais felizes

Admiramos os casais que seguem juntos depois de muito tempo e desejamos descobrir o segredo dessa união duradoura. O certo é que a maioria de nós, no fim, busca amar e ser amado, mas passamos de uma relação para outra com o coração quebrado sem termos aprendido as lições devidas.

“O que eu gosto do seu corpo é o sexo. O que eu gosto do seu sexo é a sua boca. O que eu gosto da sua boca é a língua. O que eu gosto da sua língua é a palavra.”
-Julio Cortázar-

Para descobrir os segredos dos matrimônios bem sucedidos e os erros dos casais que terminaram, um grupo de pesquisadores da The Open University entrevistou quase 4.500 britânicos entre 18 e 65 anos e analisou profundamente 50 casais, metade desses com filhos.

Tendemos a pensar que o sexo é a parte mais indispensável dos relacionamentos amorosos, e que se não se pratica sexo com frequência a nossa relação está fracassando. Mas quando os pesquisadores perguntaram para os entrevistados sobre o que mais gostavam nas suas relações, o sexo não aparecia nem entre as 10 primeiras respostas mais comuns.

rostos-coração

As respostas mais comuns entre os participantes foram as seguintes: rir juntos, dividir valores e interesses, serem melhores amigos um do outro, serem cuidadosos e sentirem-se apoiados, sentirem-se seguros, serem felizes, a confiança, compartilhar uma relação de proximidade, falar e escutar e estar apaixonado ou ser amado.

A importância de ter o próprio espaço

Muitas pessoas pensam que os verdadeiros casais devem fazer tudo junto e que a felicidade está em não se separarem em nenhum momento e compartilharem o espaço a todo momento. Mas na verdade o que vemos é que necessitamos de nossos momentos de solidão ou de individualidade, nosso espaço privado dentro da própria relação.

Para uma relação amorosa plena e feliz, recomenda-se que um aproveite um tempo e um espaço próprio. Isso não quer dizer que vivam vidas completamente diferentes, mas trata-se de buscar momentos afastados do outro para fazer atividades que, por exemplo, só um aprecie, ou ir às compras, fazer um esporte, ficar com amigos, viajar…

No momento em que deixamos de fazer as coisas que nos caracterizam, aquilo que é parte do nosso espaço pessoal, deixaremos de ser nós mesmos. Se seu par não lhe permite ver suas amizades ou praticar seus hobbies, cedo ou tarde você se sentirá frustrado e sua autoestima cairá.

mulher-paisagem

Às vezes, é complicado para nós confiar totalmente em outra pessoa. No entanto, permitir que seu par tenha seus momentos com outras pessoas e seus momentos de solidão, incentivá-lo para que cresça como pessoa, é demonstração de um amor profundo e de uma confiança que é necessária em toda relação.

“Amar é sofrer. Para evitar o sofrimento, só não amando. Mas então o sofrimento é por não amar. Logo, amar é sofrer, e não amar também é sofrer. Sofrer é sofrer. Ser feliz é amar. Ser feliz é, portanto, sofrer. Mas sofrer faz com que não sejamos felizes. Assim, para não ser feliz, se deve amar, ou amar para sofrer, ou sofrer de felicidade plena. Espero que esteja tomando nota…”
-Woody Allen-
Recomendados para você