Lágrimas de alegria: os 4 tipos de acordo com a ciência

03 Janeiro, 2021
Quando foi a última vez em que você chorou de alegria? Poucas experiências são tão curadoras, intensas e reconfortantes. Então, não se reprima. Existem quatro tipos de lágrimas que denotam felicidade, e vale a pena experimentar todas elas.

As lágrimas de alegria nos conectam com a vida, com as pessoas e com as nossas emoções mais enriquecedoras. Nos permitir vivenciar essas experiências e deixar que os olhos reluzam com o brilho dessas sensações intensas é um ato de bem-estar. Sendo assim, não devemos reprimir nem esconder a emoção provocada por coisas inspiradoras ou que nos conectam com alguém a quem amamos.

Quando foi a última vez em que você chorou devido a um instante de felicidade? Se sua memória precisou trabalhar muito para lembrar desse momento, você deveria fazer algumas mudanças. Isso porque as lágrimas de alegria são o êxtase do bem-estar, são a essência dos instantes positivos e enriquecedores. Promover estes instantes é um claro exercício de felicidade.

A ciência revela que podemos experimentar até 4 tipos de lágrimas relacionadas com as emoções positivas. Conhecê-las e identificá-las nos permite tomar consciência das sensações que todos deveríamos promover para desfrutar muito mais da nossa própria existência, do mundo e das relações.

Mulher feliz sorrindo

O ato de chorar: um exercício catártico

Por que choramos? Se fizermos esta pergunta para qualquer pessoa que encontrarmos na rua agora mesmo, provavelmente a resposta seria a seguinte: “Porque estamos tristes ou porque é assim que descarregamos nossas tristezas e sofrimentos internos”. Identificamos e relacionamos o choro com a parte menos amável da nossa vida, com a dor emocional e, é claro, a dor física.

Ainda assim, nossos olhos se enchem de lágrimas de alegria e de brilho cintilante quando algo nos comove intensamente. O ser humano chora porque isso faz parte do que somos e, em geral, choramos mais por felicidade do que por tristeza.

Estudos como os realizados pela Dra. Oriana R. Aragón, da Universidade de Yale, indicam que o ato de chorar não tem outra finalidade além de gerar uma catarse.

As lágrimas tornam determinados momentos da vida mais intensos e atuam como analgésicos naturais. Foi descoberto, por exemplo, que tanto nos choros de tristeza quanto nos choros motivados por alegria, nosso corpo libera encefalina. Este tipo de endorfina tem a função de reduzir a dor e proporcionar uma agradável sensação de bem-estar.

Da mesma forma, também é importante destacar outra interessante teoria sobre as lágrimas de alegria: nós liberamos encefalina porque o cérebro nem sempre reconhece a diferença entre a tristeza e a felicidade. Para ele, ambas as dimensões são estados de elevada intensidade e, por isso, ele ativa o sistema nervoso parassimpático com o objetivo de nos relaxar. Ele faz isso liberando acetilcolina, um tipo de neurotransmissor que ativa nossos lacrimais.

Amigas felizes

Os diferentes tipos de lágrimas de alegria

A verdade é que as pesquisas a respeito deste tema continuam aumentando nos últimos anos. Tanto é assim que um novo estudo realizado pela Universidade de Cornell revela que existem 4 tipos de lágrimas de alegria. Ou seja, há quatro situações que nos fazem chorar influenciados por emoções positivas. São as seguintes.

Lágrimas de afeto

O amor é a emoção que mais nos faz vibrar e sentir. É muito fácil experimentar essa sensação na qual uma palavra, um gesto, um abraço ou um momento compartilhado nos emociona o suficiente para nos fazer chorar.

O mesmo acontece com a ternura, quando seguramos um bebê no colo, quando nosso animal de estimação faz algo que achamos lindo e, quase entre as risadas, acabamos deixando escapar uma lágrima…

A emoção do triunfo, as lágrimas da superação

Ganhar um jogo, se formar na faculdade, superar uma prova esportiva. Alcançar o sucesso, ser aprovado em um concurso, em uma prova difícil, conseguir um emprego após uma entrevista…

As lágrimas de alegria também podem surgir em situações em que, após um determinado tempo de esforços, sonhos e sacrifícios, alcançamos algo. Superar a nós mesmos também nos emociona de forma intensa.

A inspiração, a beleza, chorar por aquilo que nos inspira e embeleza

Um amanhecer no mar. Visões aéreas de um paraíso natural de incrível beleza. Ver nossa obra artística favorita ao vivo. Ir ao teatro e se deliciar com uma peça que acaba nos emocionando sem precedentes…

Ir a um show e curtir bastante as músicas, os artistas ou grupos musicais que tanto gostamos. As lágrimas de alegria também se nutrem do estético, do natural e do cultural.

Lágrimas de alegria nos momentos de risos compartilhados

Há poucos prazes mais satisfatórios que chorar de tanto rir, do que deixar as gargalhadas cumprirem com a sonoridade junto com as pessoas que amamos. Rir até doer a barriga… tem algo melhor?

Com certeza, não! Pois a diversão e os instantes nos quais as emoções positivas fluem em harmonia com o senso de humor constituem a verdadeira felicidade.

Vale a pena refletir: quanto tempo faz desde a última vez em que choramos em situações semelhantes? Amor, humor, inspiração, satisfação pessoal… todas essas dimensões traçam e estabelecem o verdadeiro bem-estar psicológico. Promover momentos assim está ao nosso alcance e vale a pena viver isso diariamente.

  • Aragón, O. R., Clark, M. S., Dyer, R. L., & Bargh, J. A. (2015). Dimorphous Expressions of Positive Emotion: Displays of Both Care and Aggression in Response to Cute Stimuli. Psychological Science26(3), 259–273. https://doi.org/10.1177/0956797614561044
  • Zickfeld, Janis, Beate Seibt, Ljiljana B. Lazarevic, Iris Zezelj, and Ad Vingerhoets. (2020). A Model of Positive Tears. PsyArXiv. November 8. Preprint.