Lavagem cerebral: técnicas de persuasão coercitiva

· fevereiro 23, 2019
Como é feita uma lavagem cerebral? Descubra as técnicas de persuasão coercitiva que permitem mudar as crenças de uma pessoa.

Há vários filmes que falam sobre a lavagem cerebral, como aqueles que mostram como os comunistas a faziam em soldados americanos no Vietnã. No entanto, longe da dramatização desses filmes, a lavagem cerebral pode ser melhor compreendida se a chamarmos de persuasão coercitiva, que consiste em influenciar obrigando.

Esse tipo de persuasão é o mais forte e invasivo, geralmente praticado por seitas, estados totalitários, organizações terroristas e sequestradores, entre outros.

Fazer uma lavagem cerebral em uma pessoa ou, mais corretamente, exercer a persuasão coercitiva, não é fácil. Para que um indivíduo mude todo o seu sistema de crenças, seu modo de pensar, sentir e agir, é preciso utilizar várias técnicas.

Essas técnicas de persuasão coercitiva podem ser divididas em quatro tipos: as técnicas do tipo ambiental, as do tipo emocional, as do tipo cognitivo e as que induzem estados dissociativos.

Técnicas para estabelecer uma lavagem cerebral 

Técnicas para estabelecer uma lavagem cerebral

Técnicas do tipo ambiental

Esse tipo de técnica intervém sobre o entorno ou ambiente do sujeito, controlando-o ou manipulando-o. Sua finalidade é enfraquecer as resistências para facilitar a persuasão. Algumas das técnicas de persuasão coercitiva do tipo ambiental são estas:

  • Isolamento: serve para dar maior eficácia à persuasão e consiste em isolar o sujeito do mundo psíquico, social e físico.
  • Controle da informação: o controle e a manipulação da informação constituem uma forma de isolamento. Com menos informação, a consequência será a redução de alternativas ao escolher e um pensamento menos crítico.
  • Criação de um estado de dependência existencial: consiste em tornar a existência de uma pessoa dependente de outra, geralmente um líder. Sua prática envolve satisfazer as necessidades primárias e secundárias até criar uma dependência total.
  • Enfraquecimento psicofísico: um enfraquecimento físico está associado a um enfraquecimento psicológico que, por sua vez, acarreta um enfraquecimento da capacidade de resistência às técnicas de persuasão.

“Como se trata do supérfluo, recorre-se a mecanismos de propaganda, marketing e persuasão para induzir as pessoas a consumir e fazê-las acreditar que o supérfluo é necessário e uma fonte secreta de felicidade”.
-Leonardo Boff-

Técnicas do tipo emocional

As motivações são condicionadas emocionalmente, por isso, ao conseguir influenciar as emoções, elas influenciarão as motivações e, consequentemente, os comportamentos. A seguir estão duas técnicas de persuasão coercitiva do tipo emocional:

  • Ativação emocional da alegria: consiste em comover agradavelmente. É usada para atrair os seguidores, para cativá-los.
  • Ativação emocional do medo, da culpa e da ansiedade: por meio do uso de recompensas e punições, se estabelecem respostas emocionais de medo, culpa e ansiedade. Essas emoções estimulam a dependência e a submissão.

Técnicas do tipo cognitivo

Este tipo de técnica de persuasão coercitiva é mediado pelas técnicas anteriores. Um sujeito fisicamente debilitado e com sentimento de culpa é perfeito para ser submetido à persuasão cognitiva. Estas são algumas dessas técnicas:

  • Invalidação do pensamento crítico: consiste em mostrar a invalidez de seguir seus próprios pensamentos. Cada vez que eles sofrem, são reprimidos ou desqualificados.
  • Uso da mentira e do engano: consiste em distorcer a realidade e a informação através da ocultação, da mentira ou do engano.
  • Demanda por condescendência: estabelecer o pensamento de grupo ou se conformar com o que o grupo decide é outra estratégia. Em outras palavras, desenvolver um hábito de conformidade e submissão.
  • Identificação com o grupo: a identidade tem que ser coletiva, de modo que cada indivíduo perca sua personalidade e adote a do grupo. Essa pressão pode fazer com que os indivíduos se desindividualizem, percam os fatores identitários que os distinguem.
  • Controle da atenção: manipulando a apresentação de estímulos, pode-se controlar a atenção para os pontos de persuasão.
  • Controle sobre a linguagem: controlando a linguagem pode-se diminuir a liberdade. Suprimindo palavras, pode-se evitar certas perguntas ou avaliações.
  • Alteração das fontes de autoridade: uma vez derrubados todos os princípios de autoridade de uma pessoa, expõe-se uma autoridade total. Esta figura de autoridade assume todo o poder e os demais estão sujeitos a ela.

“Os homens só podem lidar um com o outro de duas maneiras: com armas ou lógica. Com força ou persuasão. Aqueles que sabem que não podem ganhar usando a lógica, sempre acabaram recorrendo às armas”.
-Ayn Rand-

A indução de estados dissociativos é uma técnica de lavagem cerebral

Técnicas de indução de estados dissociativos

A dissociação corresponde a estados de transe que surgem da intensificação de uma experiência. Esses estados levam à perda momentânea da consciência e da identidade, e são mais prováveis ​​em ambientes totalitários.

Além disso, esses estados de consciência transformam os mais vulneráveis em adeptos, por isso, podem ser influenciados limitando as opções possíveis e reduzindo sua capacidade de avaliá-las.

Em suma, a persuasão coercitiva, também conhecida como lavagem cerebral, consiste em manipular o ambiente para enfraquecer os indivíduos. A partir daí, a persuasão cognitiva e emocional mudará seu modo de pensar e sentir para, finalmente, levar a estados de transe nos quais é mais fácil persuadir.

  • Rodríguez-Carballeira, Á. (1992). El lavado de cerebro. Psicología de la persuasión coercitiva. Barcelona: Editorial Boixareu Universitaria.