A lei de Humphrey: quando pensar em uma ação a estraga

A Lei de Humphrey é um princípio curioso que mostra que a atenção plena nem sempre traz benefícios. Nasceu de uma reflexão sobre a maneira como uma centopéia anda.
A lei de Humphrey: quando pensar em uma ação a estraga

Última atualização: 16 Outubro, 2021

A lei de Humphrey, também conhecida como dilema da centopéia ou problema da centopéia, foi proposta exaustivamente e é verificada na prática, mas não está amparada por experimentos ou estudos específicos que a tenham validado.

O autor da Lei de Humphrey foi um psicólogo chamado George Humphrey. A regra ficou consagrada em sua obra The Story of Man’s Mind, e foi declarada da seguinte maneira: “A atenção consciente a uma tarefa normalmente executada automaticamente pode dificultar a sua execução”.

Assim, a lei de Humphrey afirma que, se uma pessoa desenvolveu habilidade suficiente para fazer algo automaticamente, parar para pensar a respeito prejudica o desempenho. O que isso tem a ver com uma centopéia? Veremos a seguir.

O caminho do conhecimento é, de certa forma, uma escada para a inconsciência. Mas também é uma escada a partir da inconsciência. É um processo de Escher ”.
-Cibermitanos-

Homem trabalhando no computador à noite

O dilema da centopéia

Para formular a lei de Humphrey, seu autor inspirou-se em um poema popular que falava de uma centopéia. Em princípio, e a partir do texto, Humphrey levantou a seguinte reflexão: “Nenhum homem hábil em sua profissão precisa de atenção constante no trabalho rotineiro. Se ele a prestasse, o emprego seria desperdiçado”.

O poema, ou melhor, a parte do poema que inspirou a formulação da sua lei, é a seguinte:

“Uma centopéia estava caminhando feliz

Até um sapo zombeteiro

Ele disse: “Diga-me, em que ordem você move as pernas?”

Isso a encheu de dúvidas a tal ponto

Que caiu exausta na estrada

Não sabendo como correr. “

Como você pode ver, a reflexão é, para dizer o mínimo, curiosa. Foi adotada por vários psicólogos e filósofos que corroboram a validade da lei de Humphrey. O psicanalista Theo L. Dorpat, por exemplo, disse que, para uma centopéia, a pergunta “o que está acontecendo com seu trigésimo quarto pé esquerdo?” pode ser fatal.

Lei de Humphrey e o pensamento consciente

A princípio, a lei de Humphrey pode parecer contraditória. Como é possível que prestar mais atenção e, portanto, aumentar o número de recursos mentais que colocamos em uma performance acabe prejudicando nosso desempenho, quando a intuição nos diz que deveria melhorá-lo? A consciência nos ajuda ou nos prejudica? Como isso pode acontecer?

A verdade é que o cérebro humano é um órgão complexo sobre o qual ainda temos muito a aprender. Neste caso particular, a reflexão sobre a centopéia nos permitiu compreender melhor a mente humana.

A lei de Humphrey e o dilema da centopéia são explicados porque, ao contrário do que dita a nossa intuição, as habilidades atingem sua expressão máxima quando ficam inconscientes. Foi proposta a existência de uma pirâmide de competências, que segue esta ordem:

  • Incompetência inconsciente. Corresponde ao ponto em que você não sabe fazer algo e não sabe que não sabe.
  • Incompetência consciente. Refere-se ao ponto em que você descobre que não sabe fazer algo e, portanto, inicia o processo de aprendizagem.
  • Competência consciente. Acontece quando aprendemos a fazer algo e temos consciência de que aprendemos.
  • Competência inconsciente. É o ponto mais alto da pirâmide e o que se poderia chamar de “maestria”, ou seja, a capacidade de fazer algo sem pensar.
Mente com mecanismos

A interrupção

Quando o nível de competência inconsciente foi alcançado, a lei de Humphrey é aplicável. Um exemplo é digitar em um teclado de computador. Muitas pessoas são capazes de fazer isso sem pensar; se forem interrompidas para perguntar onde está uma letra específica, podem ficar hesitantes. Se elas forem solicitadas a digitar exatamente um “p”, por exemplo, seu tempo de resposta provavelmente aumentará e elas podem até cometer um erro.

No topo da pirâmide dos nossos processos psicológicos, a intuição também está presente. Essa competência inconsciente é o resultado de uma habilidade ou de um conhecimento amplamente desenvolvido pelo qual é possível até mesmo antecipar fatos, sem fazer um raciocínio prévio.

De qualquer forma, a interrupção nem sempre é negativa, nem afeta o rendimento em todos os casos. Quando algo foi aprendido incorretamente, chega um ponto em que é necessário interromper a automação e gerar o erro para reiniciar o processo e iniciar um reaprendizado.

Pode interessar a você...
A lei de Illich: o limiar da produtividade negativa 
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
A lei de Illich: o limiar da produtividade negativa 

A lei de Illich diz que, após um determinado número de horas trabalhando, a produtividade começa a cair de forma significativa.



  • Caneda, M. C. (2005). De hormigas y personas: management para la complejidad y el caos organizativo. ESIC Editorial.