Lei do espelho: a regra mágica para resolver nossos problemas com os outros

Lei do espelho: a regra mágica para resolver nossos problemas com os outros

fevereiro 10, 2017 em Psicologia 0 Compartilhados
Lei do espelho: a regra mágica para resolver nossos problemas com os outros

A lei do espelho nos mostra que a origem dos nossos sentimentos negativos em relação a alguém está dentro do nosso coração, e não na outra pessoa. Ou seja, o que essa lei nos ensina é que os sentimentos têm sua origem no nosso interior, e por isso somos nós os responsáveis por gerir as crenças, as ideias e os maus pensamentos em relação aos outros.

Porque a irritação, habitualmente, é com a própria pessoa, e não com o próximo. Ou seja, tudo começa e tudo termina em si mesmo, pois é a projeção que brinca com a nossa mente, como se a nossa realidade fosse um espelho que nos devolvesse a imagem que estamos gerando.

Yoshinori Noguchi recria essa lei em seu livro homônimo, uma bela história, emocionante até levar às lágrimas, que nos brinda a possibilidade de assumir e integrar essa ideia na vida cotidiana.

Este autor nos situa diante de um espelho para enfrentarmos o nosso interior que é, definitivamente, o que determina tudo que acontece conosco na vida. Por isso, como diria Jung, “o que negas te submete, e o que aceitas te transforma”.

gif-mulher-espelho

O que nos incomoda nos outros é o que negamos em nós mesmos

Devemos examinar o que nos incomoda nos outros. Por que os comentários do nosso irmão nos incomoda nas refeições em família? Por que não somos capazes de raciocinar quando a nossa cunhada está presente? Por que não podemos aguentar que não nos apoiem quando é o que desejamos?

Para analisar isso, é uma boa ideia fazermos uma lista com todas as coisas que nos incomodam nas pessoas que nos rodeiam. Provavelmente iremos perceber que valores que nós também estamos menosprezando; ou seja, provavelmente iremos perceber que há coisas que nós também fazemos errado.

De alguma forma devemos nos fazer perguntas como: por que não reagimos da mesma forma com todo mundo perante uma situação? Por que um simples e seco “olá” de algumas pessoas nos irrita e não nos provoca reação nenhuma quando é pronunciado por outras pessoas? A resposta é simples: não guardamos o mesmo em relação a uma pessoa e em relação às outras.

homem-espelhos

Por isso, o próximo passo é fazermos uma lista sobre aquilo que temos que agradecer a essas pessoas que sempre nos incomodam (provavelmente ela terá feito algo por nós ou por alguém que amamos).

Saberemos que teremos nos libertado quando o que tanto nos incomoda no outro deixar de nos incomodar e a experiência que nos gerava sofrimento deixar de se repetir.
Compartilhar

Não existem limites temporais para realizar essa lista; temos que levar o tempo que for necessário para examinar quantas dessas características que nos incomodam na outra pessoa estão também em nós. Quando acabarmos, podemos muito bem fazer outra lista expondo aquelas questões pelas quais gostaríamos de pedir perdão.

Pode ser que seja difícil e que, no fim, acreditemos que criamos uma lista forçada de pequenos detalhes sem importância. No entanto, este gesto tão difícil servirá para nos darmos conta de que em alguma ocasião o nosso olhar foi hostil, que outras vezes falamos com a voz alterada ou criticamos pelas costas algo que não fazia sentido.

mulher-narcisista-se-olhando-no-espelho

O último e mais corajoso passo é entrar em contato com essa pessoa através de uma ligação, uma carta ou cara a cara. Teremos que lhe agradecer pelos motivos que anotamos na primeira lista e, em seguida, pedir perdão pelas coisas que estão anotadas na segunda lista.

Este é um passo tão difícil que provavelmente acreditamos ser inviável, principalmente porque sentimos que manter a distância é questão de saúde mental. No entanto, devemos nos perguntar se queremos eliminar essa dor ou se compensa manter o orgulho como forma de vida.
Compartilhar

Se queremos superar isso e dar tudo de nós para curar o rancor, então o contato deve ser direto. No entanto, se essa não for uma opção, uma forma menos radical é escrever uma carta que não será enviada, de forma que isso nos permita liberar o desencontro emocional que levamos na nossa bagagem.

espelho

Seja como for, conhecer a lei do espelho nos ajuda a ser precavidos e a procurar não alimentar o rancor e os sentimentos ruins de agora em diante. Não devemos esquecer que projetamos o que levamos dentro de nós, por isso, cada coisa que virmos nos outros provavelmente dirá mais sobre nós mesmos do que sobre eles.

Recomendados para você