O que é a Medicina do Lobo, segundo os índios americanos

fevereiro 5, 2019

A Medicina do Lobo é uma medicina da alma. Não tem nada a ver com as terapias alternativas, nem com outras práticas parecidas. Ela foi chamada assim, tradicionalmente, porque os índios norte-americanos acreditam que a observação atenta dos lobos e de seu comportamento ajuda a curar o interior das pessoas.

Os índios norte-americanos veem no lobo um animal sagrado, um totem. Através de várias gerações, eles foram acumulando sabedoria sobre o seu comportamento e isso os levou a admirar esse animal. Tanto é assim que eles chegaram à conclusão de que imitar os lobos é um caminho para crescer, curar as feridas e ter a capacidade de seguir adiante, apesar das adversidades.

No Ocidente nós sabemos muito pouco sobre a Medicina do Lobo. Na verdade, em nossa cultura foi feita uma publicidade muito injusta contra esses animais. Eles são os rivais em muitos contos infantis, nos quais são apresentados como seres malvados. Também temos o mito do “homem lobo”, que é feroz e prejudicial.

A seguir, vamos ver que isso não é bem assim, e que poderíamos aprender muito com essa espécie.

“O lobo é o nosso poder e a nossa força, garoto. A licantropia não é uma maldição, mas um dom”.
Laura Gallego García –

O lobo, um animal sagrado para os índios norte-americanos

O lobo é um animal que tem um comportamento bem definido, ou “ritualista”, em diversos aspectos. O primeiro deles é o das hierarquias. Elas são extremamente rígidas entre eles. O macho alfa e a fêmea alfa são os líderes indiscutíveis do grupo. Ao contrário do que acontece em outras espécies, esse líder não é o maior animal, nem o mais briguento, mas o mais inteligente e hábil.

O lobo não é solitário, nem selvagem, como nos levaram a crer. São animais muito sociáveis que sempre andam em grupo. Se eles fazem alguma coisa sozinhos, é em função do seu grupo. Eles combinam de forma equilibrada a sua individualidade com o senso coletivo. Só adotam a violência em casos extremos, e preferem evitar o combate ou terminá-lo o quanto antes. Os lobos não mordem outros lobos no pescoço; em outras palavras, não matam aqueles de sua própria espécie.

Os índios norte-americanos dizem que os três grandes poderes do lobo são a espreita, a invisibilidade e a proteção familiar. Estes animais não fazem ostentação de sua ferocidade, ou de seu poder. Observam, analisam e passam inadvertidos enquanto fazem isso. Eles estudam o terreno, calculam tudo. Seus inimigos não os veem porque eles sabem “desaparecer”. Atacam somente quando é necessário e com um plano estratégico.

Ilustração de lobo colorido

A Medicina do Lobo

Para os índios norte-americanos, o lobo é um guia. Todos levamos algo do lobo dentro de nós, e existem momentos na vida em que esse espírito valente, sagaz e prudente deve acordar. Nisso consiste a Medicina do Lobo: em acudir essa força interior e essa capacidade estratégica para enfrentar os desafios da vida.

Índios com lobo

Os índios acreditam que existem momentos na vida em que o espírito do lobo se transforma em um aliado temporário. São aquelas circunstâncias em que surge o lado ousado, leal, generoso e livre que existe dentro de nós.

O espírito do lobo é insubmisso e valente. Por isso, aparece como um aliado quando nós decidimos fazer algo que nos proibimos, ou nos proibiram, sem uma razão específica.

A Medicina do Lobo está relacionada com cultivar e permitir que surja uma força indomável. Os índios pensam que os lobos e as bruxas sempre estão juntos, e que eles se sentem mais confortáveis no escuro. Isso significa que o nosso lado mais mágico e livre surge quando não estamos expostos aos olhos dos outros.

Nessas condições, nós encontramos a solução para os problemas e descobrimos os caminhos que antes não enxergávamos.

Índio norte-americano

Despertar o lobo que temos em nosso interior

Segundo as tradições, a primeira via para acordar o lobo que temos em nosso interior é estar atentos aos nossos sonhos. A Medicina do Lobo é, principalmente, um reencontro com a força que está em nossa essência.

O lado oculto de cada pessoa se expressa através dos sonhos e, por isso, compreender esse mundo onírico é fundamental para nos conhecermos melhor e recuperarmos a coragem do nosso espírito.

Desse modo, segundo a Medicina do Lobo, é fundamental reservarmos um tempo para nos observar. Tentar nos ver como espectadores de nossos próprios atos. Observarmos a nós mesmos, sem julgamento, mas tentando ver quais são os obstáculos que permanecem escondidos. O que é isso que prende o nosso espírito? Medos? Mandamentos? Experiências do passado?

O que vai ocorrer em seguida é a ação. Se desejamos fazer algo, não temos motivo para esperar que as circunstâncias sejam propícias, ou que as coisas simplesmente aconteçam. Hoje, agora mesmo, podemos começar a trabalhar por aquilo que desejamos, e ir atrás disso com determinação, generosidade e lealdade.

Segundo a Medicina do Lobo, se nós adotarmos essa atitude, o espírito do lobo vai estar presente e nos guiará.

  • López Portillo, P. (2016). Los Postes totémicos de la costa noroeste de América del norte.