Meditação para crianças: cultivando desde pequenos o jardim interior

Meditação para crianças: cultivando desde pequenos o jardim interior

Janeiro 10, 2018 em Psicologia 353 Compartilhados
Meditação para crianças: cultivando desde pequenos o jardim interior

A meditação é uma técnica de saúde e bem-estar que tem grandes repercussões para todos: homens, mulheres, idosos, adultos, jovens… mas há consequências positivas na meditação para crianças? Sim! Não é suficiente cuidar apenas do corpo, também é essencial cuidar da mente. Essa técnica é muito apropriada para isso e pode ser feita por todos desde pequenos.

A meditação tem uma grande influência positiva no crescimento e desenvolvimento integral das crianças. Já está comprovado cientificamente que as crianças que meditam têm um melhor rendimento escolar. E também que essa técnica tem múltiplos benefícios e implicações psicoeducativas e emocionais bastante positivas. Além de contribuir para o bem-estar, a meditação para crianças melhora sua capacidade de concentração, relaxamento, criatividade e resiliência.

“Se mostrarmos para cada criança de 8 anos o mundo a meditação, poderíamos eliminar a violência do mundo em apenas uma geração”.
-Dalai Lama-

Na idade adulta, a meditação nos traz benefícios em diversas áreas da vida, não somente a nível psicológico e emocional, mas também a nível físico. Nas crianças acontece algo semelhante, com o acréscimo de benefícios associados à aprendizagem. No fim das contas, a meditação é um tipo de exercício físico e de treinamento mental, e por meio da sua prática a criança consegue que sua atenção permaneça ágil de modo que vai ser mais fácil para ela, por exemplo, adquirir novos conhecimentos.

Por que a meditação para crianças é tão importante?

Vivemos na era da superestimulação. Televisão, internet, jogos interativos, telefones celulares, aplicativos, ipads, agendas repletas de atividades extracurriculares… O estresse chegou  à vida dos pequenos. Nesse sentido, não podemos nos esquecer de que as crianças têm um sistema nervoso ainda em desenvolvimento, e para elas pode ser ainda mais difícil processar essa quantidade de estímulos exagerada de uma só vez.

As crianças que passarem por superestimulações podem chegar a ter dificuldades sociais, problemas de linguagem e de habilidades motoras, além de problemas de concentração, é claro. Essas questões podem contribuir para gerar dificuldades de aprendizagem ou de comportamento no futuro. Por meio da meditação, é possível neutralizar em alguma medida ou compensar os efeitos negativos dessa superestimulação.

“Há uma necessidade de tranquilidade para compensar o ritmo de vida estressante de hoje em dia”.
-Vicente Simón-

Criança meditando

Tronick e Gianino (1986) descobriram que as crianças nascem com a capacidade de relaxarem sozinhas. De fato, os bebês o fazem várias vezes por minuto. Nesse sentido, a meditação ajudará que não percam e mantenham essa capacidade inerente de relaxamento. Essa conservação é de vital importância para a regulação emocional, tanto no presente como no futuro.

“A aprendizagem escolar é supervalorizada para a infância. Para uma criança, mais do que aprender geografia ou química, é mais importante aprender a ser feliz, aprender a ser otimista, aprender a ser inovador, aprender a meditar e descobrir o poder da gratidão.”
-Ramón Gallegos-

O que é meditar?

Meditar é focar a atenção em algo concreto. Pode ser um pensamento, um objeto, uma imagem, um som, nosso próprio corpo, nossos pensamentos, uma visualização…

“Correr, dançar, nadar, qualquer coisa pode ser uma meditação. Minha definição de meditação é: sempre que seu corpo, sua mente, e sua alma estiverem funcionando juntos e no mesmo ritmo, você está meditando.”
-Osho-

A meditação pode ser colocada em prática de maneira muito simples. Podemos começar focando nossa atenção na postura corporal, na respiração e na nossa atitude. Porque a meditação é colocar plena atenção e consciência em tudo o que somos e o que estamos experimentando nesse momento. Ou seja, é nos darmos conta naquele momento de tudo que esta acontecendo.

“A meditação nos ensina a ignorar as distrações e a focar a nossa atenção no que realmente queremos que ela esteja focada”.
-Goleman-

Menina diante de cachoeira

Podemos encontrar diferentes tipos de atividades e práticas que são muito apropriadas e consideradas meditação para crianças e mentes mais jovens. Todas elas têm como fim focar a atenção, para que a mente se acalme e seja possível entrar em outro estado de consciência.

  • Visualizações criativas (táteis, auditivas, visuais, olfativas, gustativas…).
  • Meditações guiadas.
  • Atividades específicas de atenção plena ou mindfulness.
  • Práticas integrativas de mindfulness na vida cotidiana (aprender a manter a atenção plena nas tarefas que realizamos em nosso dia a dia).
  • Controle da respiração.
  • Práticas de consciência corporal, focalizando a atenção em diferentes partes do corpo.
  • Meditação com mantras (repetições de sons, sílabas, palavras ou frases com o objetivo de melhorar nosso estado psicofísico).
A respiração adequada e consciente é a ferramenta básica e fundamental na prática da meditação, sobretudo para alcançar o estado de atenção profunda e concentração que desejamos.
Compartilhar

Benefícios da meditação na infância

Em forma de lista, podemos enumerar os seguintes benefícios da meditação para crianças, ainda que provavelmente existam muitos mais:

  • Melhora a qualidade do sono fazendo com que este seja reparador.
  • Diminui e ajuda a eliminar a ansiedade e os medos tão comuns nessa idade.
  • Ajuda a lidar com o estresse diário.
  • Fomenta o pensamento criativo.
  • Ajuda a controlar a frustração.
  • Melhora a concentração.
  • Melhora o sistema imunológico.
  • Aumenta a velocidade de processamento sensorial e cognitiva.
  • Contribui para melhorar o conceito de si mesmo e a autoestima.
  • Facilita o controle e suprime dores musculares ou mal-estar físico, às vezes próprio da fase de crescimento.
  • Potencializa a segurança e a confiança em si mesmo.
  • Melhora o autocontrole e a autorregulação física e emocional, ajudando com a impulsividade.
  • Ajuda a gerir adequadamente as emoções.
  • Potencializa o rendimento acadêmico.
  • Ensina a ser mais responsáveis: não só em relação a suas coisas materiais, mas com sua vida e felicidade.
  • Ajuda a conectar-se com seu estado de tranquilidade que promove atitudes não violentas na hora de se relacionar.
  • Ajuda na formação de pessoas mais amorosas, mais conectadas com o entorno e com os demais.
  • Melhora as relações sociais.
  • Potencializa o sentimento de empatia e gratidão.
  • Ajuda a enfrentar as frustrações e as dificuldades diárias. A meditação promove o desenvolvimento da capacidade de aceitação do que acontece.
  • Potencializa as bases do amadurecimento, tornando-as mais sólidas.
  • Ajuda a sentir-se mais feliz, melhorando o estado do ânimo.

“Medite com alegria, não medite com seriedade. Quando entrar na sala de meditação, deixe sua seriedade junto com seus sapatos do lado de fora da porta. Faça da meditação uma diversão.”
-Osho-

Mãe e filha meditando

Um presente para toda a vida…

Ensinar e ajudar uma criança a meditar é uma forma de estabelecer um vínculo muito especial com ela. Um vínculo que essas mesmas crianças, no futuro, poderão estabelecer com outros pequenos, e assim sucessivamente. Nesse sentido, a infância é o momento da aprendizagem, da imaginação… e por meio da meditação a capacidade mental das crianças será muito melhor aproveitada.

Ensinando meditação para crianças criamos as bases para um hábito que será muito útil por toda a vida. Do mesmo modo, podemos considerar que ensinar a meditar é uma forma de contribuir para as gerações futuras, pois as crianças de hoje são os adultos de amanhã, e estes terão uma maior consciência e equilíbrio que influenciarão o seu entorno e o mundo em que vivem.

“A paz vem do interior. Não a busque do lado de fora”.
-Buda-

Recomendados para você