Os 5 melhores musicais da história do cinema

Os musicais seduzem o espectador e o convidam a elevar o seu espírito com canções cativantes cheias de espírito, emoção e entusiasmo. Apresentamos uma lista com os melhores da história do cinema.
Os 5 melhores musicais da história do cinema

Última atualização: 08 novembro, 2022

Na sétima arte existem muitos gêneros que deixaram um legado considerável de filmes significativos e originais. Nesse sentido, a música tem desempenhado um papel muito importante, pois tem sido um complemento para dramatizar as cenas e, por outro lado, também passou a ter um papel singular. Por isso, queremos abordar os melhores musicais da história do cinema.

Este género caracteriza-se por oferecer uma abordagem diferente a outros tipos de filmes. As pausas que acontecem no palco fazem com que o filme se fragmente em episódios que, de forma concisa e com caráter narrativo, são cantados e dançados para sair por um momento da realidade e ir em direção a uma representação fantástica.

Vejamos, portanto, quais foram considerados os que tiveram maior impacto.

1. O Mágico de Oz (1939)

A produtora Metro-Goldwyn-Mayer e o diretor Victor Fleming são os principais responsáveis por O Mágico de Oz. Estamos falando de um dos grandes clássicos do cinema que atualmente é considerado um filme cult, sem esquecer que a princípio se projeta para ser, basicamente, uma fábula cinematográfica infantil. Feito em tecnicolor, um musical é exibido em ambientes fantásticos que despertam a ilusão do espectador.

A protagonista Dorothy Gale, interpretada por Judy Garland, é acompanhada por outros personagens únicos: o Espantalho, o Homem de Lata e o Leão Covarde. Com eles ele vai para a Cidade Esmeralda a fim de conhecer o famoso mago e assim receber os desejos de cada um.

“Corações nunca serão práticos enquanto não forem feitos para não se partirem”

-Frank Morgan-

2. Mary Poppins (1964)

Sob a direção de Robert Stevenson, este musical infantil é composto por momentos de comédia, animação e fantasia. Julie Andrews interpreta o papel de Mary Poppins, algo que lhe dará fama ao longo de sua vida e, claro, o Oscar de melhor atriz. O filme em si também receberá outros prêmios.

A atmosfera de fantasia é refletida na própria história. Mary Poppins desce das nuvens usando um guarda-chuva. Será ela quem começará a pôr ordem na casa de uma família onde os pequenos adquiriram o hábito de impossibilitar a vida das babás.

Tudo muda com Mary e as diferentes aventuras que as esperam, com excelentes canções que dinamizam a cena e fazem deste filme um dos melhores musicais do cinema.

3. Grease (1978)

Grease tem sido referência para muitos diretores, além da produção que lança John Travolta e Olivia Newton-John ao estrelato. Seu diretor, Randal Kleiser, insistiu na importância de transmitir uma aparente energia juvenil acompanhada de músicas cativantes.

Uma história romântica entre Sandy e Danny, um lindo casal que curte um verão juntos. Como as típicas histórias de amor de verão, uma vez terminadas as férias, cada um deve retornar ao seu lugar de origem. No entanto, eles se encontrarão novamente na Rydell High School, mas as coisas nunca mais serão as mesmas.

4. Os Miseráveis (2012)

O diretor Tom Hooper nos apresenta um dos melhores musicais do século 21, cheio de emoção, drama e romance. Atores de relevância internacional, como Hugh Jackman ou Russell Crowe, conferem ao filme grande reconhecimento e qualidade de atuação. Tudo isso é acompanhado pela essência do escritor Victor Hugo e pela atmosfera de pobreza do século XIX.

Um ex-presidiário chamado Jean Valjean cuida de Cosette, a filhinha de Fantine. A partir daí, acontecerão diferentes eventos que prendem o espectador, tanto pela história quanto pela natureza barroca do cenário.

“O amor é um sopro celestial do ar do paraíso.”

-Victor Hugo-

5. La La Land (2016)

Um dos melhores musicais que ganhou grande reconhecimento em sua estreia e que alcançou grande sucesso de bilheteria, sem esquecer que ganhou até 6 Oscars, incluindo o de melhor diretor, Damian Chazelle.

La La Land é uma bela história de amor onde a paixão e o amor como casal são justificados e uma clara exibição de música e dança é feita.

Mia (Emma Stone) e Sebastian (Ryan Gosling) são artistas e levam vidas separadas. Ela aspira a ser uma atriz, enquanto ele é um pianista de jazz. Suas vidas se cruzarão e o amor surgirá entre eles; no entanto, o fato de cada um continuar com sua carreira profissional pode ameaçar a relação amorosa que mantêm.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.


    • Adorno, T. W., & Eisler, H. (1981). El cine y la música (Vol. 64). Editorial Fundamentos.
    • Miret, R., & Balagué, C. (2009). Películas clave del cine musical. Ediciones Robinbook.
    • Radigales Babí, J. (2015). La música en el cine. Editorial UOC.

Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.