Como a menopausa afeta o desejo sexual? 

março 19, 2019

Há indícios de que a menopausa afeta o desejo sexual e a libido. A diminuição dos níveis de estrogênio após a menopausa pode reduzir a excitação e fazer com que as relações sexuais sejam mais dolorosas.

As mulheres na menopausa e na pós-menopausa podem perceber que não se excitam tão facilmente e que perderam um pouco da sensibilidade. Isso pode levar a um menor interesse no sexo.

Além disso, estes níveis mais baixos de estrogênio podem causar uma diminuição no fornecimento de sangue para a vagina. Por sua vez, isso pode diminuir a lubrificação vaginal.

Neste artigo, veremos como a menopausa pode afetar o desejo sexual da mulher e o que pode ser feito para melhorar a libido nestes casos.

Menopausa e libido

Os sintomas da menopausa podem ter um efeito negativo nos relacionamentos amorosos, já que podem causar mudanças físicas e emocionais que afetam a vida da mulher, incluindo sua vida sexual.

Alguns sintomas e efeitos secundários associados com a menopausa incluem ansiedade, problemas de controle da bexiga, diminuição do desejo sexual, depressão, dificuldade para dormir e aumento de peso, entre outros.

Mulher com menopausa preocupada

Isso pode afetar a qualidade de vida e a relação da mulher com o seu parceiro, além da relação consigo mesma, já que podem aparecer problemas de autoestima derivados de todas as outras mudanças.

É importante esclarecer que nem todas as mulheres na pós-menopausa têm problemas de diminuição de libido e de desejo sexual. De fato, uma pequena porcentagem das mulheres experimenta uma melhora na libido.

Isso pode acontecer devido, entre outros fatores, ao fato de existir uma menor ansiedade nas relações sexuais quanto a uma gravidez. Além disso, muitas mulheres na pós-menopausa têm menos responsabilidade de criação de filhos ou netos, o que lhes permite relaxar e aproveitar mais a intimidade com os seus parceiros.

Em todo caso, as mulheres que passam pela menopausa e reportam uma diminuição da libido o fazem por causas diferentes.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Departamento de Obstetrícia e Ginecologia do Centro Médico de Danville em 2012, as taxas informadas de problemas sexuais em mulheres na pós-menopausa estão entre 68% e 86,5%. Essa porcentagem é muito mais alta que em todas as mulheres em geral, que estima-se que seja entre 25% e 63%.

Por que a menopausa afeta o desejo sexual?

A diminuição dos níveis de estrogênio pode reduzir o fluxo sanguíneo para a vagina, o que pode fazer com que os tecidos dessa área, incluindo os lábios, tornem-se mais finos, o que os torna menos sensíveis ao estímulo sexual.

A diminuição do fluxo sanguíneo também afeta a lubrificação vaginal e a excitação em geral. Como resultado, uma mulher pode não desfrutar tanto do sexo e ter dificuldades para alcançar o orgasmo. Além disso, o sexo pode ser incômodo ou até mesmo doloroso.

Os níveis de hormônios flutuantes durante a pré-menopausa e a menopausa também podem afetar a saúde mental da mulher, o que pode causar uma diminuição na libido.

O estresse também pode afetar o desejo após a menopausa. Esta condição costuma coincidir com circunstâncias pessoais e profissionais que “complicam” seu dia a dia, como problemas com filhos adolescentes, cuidado de pessoas idosas, aumento das responsabilidades profissionais, etc.

As mudanças nos níveis hormonais que uma mulher pode experimentar durante a menopausa favorecem a irritabilidade e aumentam o risco de depressão, o que pode fazer com que o estresse do cotidiano seja ainda mais difícil de lidar.

Além disso, segundo um artigo publicado no Journal of Women’s Health, as mulheres que têm efeitos secundários mais intensos associados à menopausa têm uma probabilidade maior de apresentar níveis mais baixos de libido. Alguns exemplos destes efeitos secundários incluem ondas de calor, depressão, ansiedade, problemas para dormir e fadiga.

Outros fatores que fazem com que uma mulher atravesse a menopausa com mais probabilidade de experimentar uma redução no desejo sexual são: a incidência de doenças crônicas, tabagismo ou baixos níveis de atividade física.

Melhorar o desejo sexual após a menopausa

Há várias ações que uma mulher pode tomar para conseguir aumentar sua libido, incluindo tratamentos médicos, mudanças no estilo de vida e alguns remédios caseiros.

Se houver mudanças no tecido vaginal, como afinamento e ressecamento, é possível considerar um tratamento médico à base de estrogênio. Um estudo descobriu que as mulheres que usam terapias hormonais têm níveis mais altos de desejo sexual em comparação com as mulheres que não o fazem. 

Casal feliz na terceira idade

No entanto, o uso de estrogênio não garante o aumento do desejo. Por outro lado, a maioria das mulheres pode se beneficiar do uso de lubrificantes solúveis em água durante as relações sexuais.

Outra opção é recorrer a um terapeuta especializado em disfunção sexual. Com relação a essa possibilidade, é importante destacar que os efeitos deste tipo de terapia costumam melhorar quando o parceiro também participa.

Além disso, o aumento da atividade física diária pode ajudar a reduzir os sintomas relacionados com a menopausa, incluindo a redução do desejo sexual. Manter uma dieta saudável também pode melhorar a sensação geral de bem-estar e beneficiar a libido. 

Também existem no mercado suplementos naturais para tentar aumentar a libido. Entretanto, convém revisar bem estes suplementos e ter certeza de que eles não vão interagir negativamente com outros medicamentos ou tratamentos; ou que eles não têm efeitos secundários e/ou contraindicações.

Por isso, é importante consultar um médico antes de tomar qualquer suplemento, por mais “natural” que este seja (ou prometa ser).