Menos queixas, mais vida – A mente e maravilhosa

Menos queixas, mais vida

setembro 24, 2015 em Psicologia 2 Compartilhados
queixas

A vida, às vezes, nos traz fases difíceis, e desabafar com um amigo próximo ou um membro da família de nossa confiança pode ser algo extremamente saudável. No entanto, parece que reclamar está se convertendo  no nosso passatempo favorito.

Nós nos queixamos porque está frio, mas também porque está calor, porque sim e porque não, até o ponto em que se queixar se torna um hábito que nos empenhamos em desenvolver, como uma marca pessoal que colocamos em nossa existência e que nos acompanha pelo resto de nossos dias.

Queixar-se sempre será fácil, mas como é complicado assumir a responsabilidade diante das queixas. Exemplo: se o problema tem uma solução, simplesmente faça o que precisa ser feito; se não tem, conforme indicado pelo provérbio oriental, por que se queixar? Não faz sentido algum, é inútil nos preocuparmos com algo que está além de nosso controle.

Quando andamos leves pela vida, carregando apenas o indispensável, é mais fácil ser feliz, pois geramos um algo a mais que irá afetar de forma positiva as pessoas que nos rodeiam.

Quando nos queixamos estamos nos colocando na posição de vítimas, e quanto mais alimentarmos este papel, nos sentiremos piores e acabaremos por não resolver nada. Isto nos impede de conhecer e desenvolver todo o nosso potencial ao máximo.

queixas e reclamações

Por nos queixamos?

Em geral, nos queixamos porque sofremos e achamos que não há solução para os nossos problemas. Por exemplo, não estamos satisfeitos com a nossa aparência, não temos o emprego que tanto desejamos, não temos o mesmo carro que o vizinho, ou dinheiro ou os recursos que achamos que precisamos tanto, etc.

Mas se quisermos realmente mudar este ciclo, a primeira coisa que devemos fazer é parar de pensar tanto e, por outro lado, agir mais. No fundo, muito do que nós gostaríamos de ter, na verdade, não satisfaz as nossas verdadeiras necessidades.

Não seria muito mais válido saber “quais são as minhas necessidades reais”? Você comprou muitas coisas no ano passado acreditando que eram essenciais. Já notou que não são? Talvez elas tenham se tornado algo decorativo ou estejam empoeirando em algum lugar da sua casa; por isso quando você for responder a esta pergunta, você deve fazê-lo conscientemente.

Qual é a minha real necessidade? Como as queixas me ajudam? Pergunte-se e reflita sobre isto.

Comece já!

Talvez o que você queira não seja o objeto em si, mas o sentimento associado a ele ou ao bem-estar que ele proporciona.

Também pode ser que o que você anseie seja muito difícil de alcançar. Não desanime. Não existe nada que seja impossível de alcançar; apenas divida o objetivo em várias etapas e vá alcançando cada uma delas até você atingir o seu objetivo.

Por exemplo: você se sente frustrado por não ser capaz de fazer uma viagem pelo país, talvez você pudesse conhecer algumas cidades mais próximas a você agora. Isto você pode se planejar e fazer.

Desta forma, você começará a resolver o problema que está causando as suas queixas, e também irá canalizar a sua energia para algo mais produtivo e frutífero para você.

Pare de se culpar e dê a si mesmo uma nova chance. Comece agora: experimente por duas semanas e você vai se surpreender com os resultados. Ninguém disse que é fácil, mas será melhor para você, então mãos à obra!

Recomendados para você