Meu filho tem medo de dormir sozinho: o que devo fazer?

Seu filho tem medo de dormir sozinho? Se você não sabe o que fazer, fique por aqui e descubra como agir diante dessa situação.
Meu filho tem medo de dormir sozinho: o que devo fazer?

Última atualização: 03 abril, 2022

O medo é uma resposta potencialmente adaptativa que experimentamos diante de estímulos, situações e objetos que podem nos prejudicar, ameaçando assim a nossa sobrevivência. Ou seja, nessa ordem de ideias, o medo permite que crianças (e adultos) reajam diante do perigo e adquiram as habilidades necessárias para enfrentar as situações ameaçadoras.

Assim como qualquer outra emoção, o medo se manifesta em três níveis de resposta: cognitivo, fisiológico e comportamental. No nível cognitivo, distinguem-se pensamentos negativos, sensações subjetivas de perigo e ameaça, bloqueios de pensamento, perda de confiança, sentimento de desamparo (Pérez, 2000). Enquanto isso, no nível fisiológico, identificam-se as alterações corporais (aceleração do ritmo cardíaco e respiratório, transpiração, tremores, etc.). Por fim, no nível comportamental, é possível observar fuga ou evitação, gritos e agitação motora.

O medo durante a infância pode ser descrito em três grupos: 1) medo de ferimentos físicos, 2) medo de desconfortos psicológicos, tais como perplexidade, fracasso escolar ou inadequação social, e 3) medo de perigos naturais e sobrenaturais, tais como raios, trovões, trens, animais, bruxas, fantasmas e afins (Ollendick, 1986).

Como agir quando o seu filho tem medo de dormir sozinho

Muitas crianças têm medo de dormir sozinhas por diversos motivos, sendo o mais comum a percepção de perigos sobrenaturais, tais como fantasmas, bruxas, demônios, etc. Só conseguimos notar esse medo de dormir sozinho quando é hora de ir para a cama e o nosso filho se recusa a isso.

Isso parece familiar para você? O seu filho tem medo de dormir sozinho? A seguir, mostraremos o que você pode fazer.

Garota assustada na cama
É importante conversar com as crianças sobre o que elas temem na hora de dormir.

1. Entender o seu medo de dormir sozinho

Permita que o seu filho expresse o que sente; encoraje-o a falar sobre o que o assusta na hora de dormir. Porém, preste atenção ao que ele diz, ao invés de escutar como quem coloca o rádio em segundo plano enquanto faz outra tarefa.

Tenha empatia e tente se colocar no lugar do seu filho. Evite rotulá-lo de “covarde”. Ao mesmo tempo, fuja também da tentação de minimizar o que ele sente.

Por outro lado, se o seu filho não quiser falar sobre o seu medo, não o force. Não é incomum que as crianças tenham dificuldade para falar sobre as suas emoções. Afinal, os seus cérebros ainda estão se desenvolvendo e, além disso, pode ser que ninguém tenha ensinado como isso deve ser feito.

2. Ajudar a ter bom senso

Se o seu filho protesta porque não quer dormir e o motivo é o medo, ou se ele te acorda durante a noite chorando, tente se conectar com a emoção dele, com o que ele está sentindo. Isso vai permitir que você o ajude a lidar com o medo de uma forma mais eficaz.

Mas como você poderá conseguir essa conexão? Siegel e Bryson (2015) oferecem as seguintes recomendações:

  • Transmitir conforto: colocar-se abaixo do nível dos olhos do seu filho, tocá-lo levemente, acenar com a cabeça ou dar-lhe um olhar empático geralmente acalma rapidamente uma situação tensa.
  • Validar: ainda que você não goste do comportamento, reconheça e até mesmo aceite os sentimentos que o motivaram.
  • Falar menos e escutar mais: se as emoções do seu filho estiverem agitadas, não dê explicações ou sermões, nem tente desviar a atenção dele dos sentimentos. Apenas ouça, procurando o significado e as emoções que o seu filho está expressando.
  • Reproduzir o que você ouvir: quando ele terminar de falar, repita o que ele disse com as suas próprias palavras. Desta forma, você vai se certificar de que o compreendeu.

3. Não reforçar o seu medo

Como pai ou mãe, talvez você possa ter a melhor das intenções, mas, se não tomar cuidado, poderá começar a alimentar o medo dele. Por exemplo, se o seu filho disser que tem medo do monstro no armário, não use uma vassoura para espantar o monstro ou um “spray anti-monstro”.

Essas ações podem fazer o seu filho acreditar que você também acha que aquilo que ele teme realmente existe. Em vez disso, ajude-o a olhar dentro do armário para que ele veja que não há nada de estranho. Diga que, quando ele estiver com medo, ele pode fazer o mesmo e, assim, verá que não há nada. Nesse sentido, também reforce as suas respostas de enfrentamento, e não as de evitação, tais como dormir no sofá.

4. Fornecer segurança

Às vezes, o medo da criança pode ser do escuro (por isso é importante entender o seu medo) e de tudo o que ela imagina que possa acontecer naquele momento. Por isso, é útil que você possa fornecer uma luz noturna ao seu filho, mesmo que ele não tenha medo do escuro. Mas atenção: tenha cuidado, uma vez que a luz não deve interferir no início do sono da criança. Assim, uma luz tênue na hora de dormir pode ser eficaz.

Além disso, deixar a porta aberta para que ele tenha a certeza de que será ouvido se te chamar é outra estratégia que você pode usar para criar uma sensação de conforto, calma e segurança. Por outro lado, não permita que o seu filho seja exposto a programas de televisão ou histórias de terror que possam aumentar o seu medo de dormir sozinho e a sua insegurança.

Menina dormindo com a luz acesa
Deixar uma luz acesa pode ajudar as crianças a não terem medo de dormir sozinhas.

5. Não incentivar o seu filho a sair da cama

O objetivo é que você possa ajudar o seu filho a superar o medo. Portanto, se ele conseguir ficar na cama e sentir que está tudo bem, ele aprenderá a confiar que a cama ou o quarto dele também são um lugar seguro, assim como o seu.

Ao permitir que ele durma no seu quarto ou no quarto de outro membro da família (como um irmão ou irmã), você estará reforçando a ideia de que o quarto dele não é seguro. Lembre-se do que dissemos anteriormente sobre as respostas de evitação.

Assim, se o seu filho está com medo e não tolera ficar sozinho no próprio quarto, você pode acompanhá-lo durante alguns minutos. Porém, tente evitar que isso seja constante. A ideia é que ele mesmo perceba como a sua ansiedade, da mesma forma que aumenta, também diminui, pois, no fim das contas, não há nenhum monstro escondido no quarto dele.

Além disso, se você tem o hábito de contar uma história para ele antes de dormir e há o medo de que estamos falando, tente evitar que haja personagens que possam assustá-lo nessas histórias.

Finalmente, os medos da infância são muito comuns e geralmente desaparecem com a idade. Porém, se o medo do seu filho está causando sérios problemas de sono, é recomendável consultar um profissional de saúde.

Pode interessar a você...
Como agir diante dos medos das crianças?
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Como agir diante dos medos das crianças?

O que fazer diante dos medos das crianças? Como ajudá-las nessa batalha contra monstros imaginários? Vamos falar sobre isso neste artigo.