Meu parceiro me trata mal: o que posso fazer?

Os relacionamentos são complexos, mas existem certos limites que não podem ser cruzados. Se o seu parceiro te trata mal, é importante tomar medidas para que isso não se torne um hábito.
Meu parceiro me trata mal: o que posso fazer?

Última atualização: 07 Maio, 2021

Todos nós já ouvimos ocasionalmente uma pessoa próxima fazer afirmações como “meu parceiro me trata mal”, “ele não leva em conta os meus sentimentos” ou “ele não me trata com respeito, não sei mais o que fazer”. É até possível que nós mesmos tenhamos pronunciado essas palavras diante de uma pessoa de confiança. Nesse sentido, os problemas de comunicação são um dos principais fatores de insatisfação nos relacionamentos amorosos.

Os relacionamentos humanos são complexos e a responsabilidade geralmente não é unilateral. O casal é formado por dois indivíduos que participam de dinâmicas conjuntas, que não poderiam ser mantidas sem a colaboração de um deles.

No entanto, o abuso psicológico ou verbal pode causar tantos danos à autoestima que a vítima se sente incapaz de reconhecer o que está acontecendo ou de agir para remediar a situação. Portanto, se você se encontra nesta situação, queremos oferecer algumas orientações que podem ajudá-lo.

Casal discutindo

Abuso verbal ou problemas de comunicação?

Um primeiro aspecto importante a levar em conta é que a percepção sobre os nossos laços mais íntimos nem sempre é correta. A vulnerabilidade emocional que envolve a conexão em um nível profundo com o outro pode nos levar a nos perceber como vítimas e a rotular o outro como um algoz quando, na realidade, trata-se de um problema de comunicação.

Sánchez-Aragón e Díaz-Loving descreveram seis possíveis padrões de comunicação no casal relacionados à satisfação experimentada por ambos os membros. Alguns desses estilos de comunicação (como o negativo ou violento) são claramente prejudiciais e envolvem desprezo, humilhação e desrespeito. Já outros, como o reservado ou evitativo, caracterizam-se por uma comunicação fria e seca que pode causar danos ao casal, mas que, por si só, não implica agressão.

Isso é especialmente relevante quando os estilos de comunicação e enfrentamento de ambos os membros do casal são diametralmente opostos. Se uma das pessoas precisa dialogar e se expressar emocionalmente e a outra opta pela evitação e prefere ficar sozinha, o conflito está instalado.

Muitas vezes, nessas situações, a pressão da pessoa mais aberta pode fazer a outra tentar se afastar e fugir. Por isso, é fundamental conhecer o nosso estilo comunicativo e o do parceiro para encontrar um equilíbrio.

Por que o meu parceiro me trata mal?

Em outros casos, a agressão verbal e o desrespeito são evidentes. Quando uma pessoa insulta, grita, despreza ou zomba da outra, não há justificativa possível. No entanto, pode ser útil entender de onde vêm esses comportamentos. As seguintes situações são algumas possibilidades:

  • A pessoa está passando por uma situação pessoal complicada ou estressante e a sua incapacidade de controlar as emoções a leva a reagir de forma inadequada com o outro.
  • O casal está imerso em uma dinâmica de comunicação negativa da qual ambos participam. O desrespeito é mútuo e o processo vai se intensificando.
  • A pessoa apresenta um padrão de personalidade marcado pela agressividade, dominação ou falta de empatia que se mantém ao longo do tempo. Isso pode ser devido a um trauma anterior e requer um trabalho psicológico pessoal.

O que fazer se o meu parceiro me trata mal?

Quaisquer que sejam os motivos subjacentes, a agressão verbal e o desrespeito não são toleráveis ​​em um relacionamento. Portanto, se você se encontrar nesta situação, pode tomar algumas das seguintes medidas:

  • Reconheça e aceite o que está acontecendo. Este é um primeiro passo fundamental: você deve parar de justificar ou minimizar a seriedade dos comportamentos do seu parceiro. Encarar a realidade é doloroso, mas as consequências emocionais de continuar a permitir o abuso podem ser ainda mais dolorosas.
  • Expresse-se de forma assertiva. Diga para a outra pessoa que tipos de atitudes e comportamentos o magoam e o que você espera do relacionamento.
  • Estabeleça limites. Todos nós podemos ter um dia ruim ou nos sentirmos mais estressados ​​ou irritados em determinados momentos. No entanto, existem certas linhas vermelhas que não podem ser cruzadas em nenhuma circunstância.
  • Tome decisões. Quando estabelecemos limites, devemos saber que eles têm consequências. Se o seu parceiro continuar a desrespeitá-lo, afaste-se dessa situação e termine o relacionamento.

Mulher decepcionada

Escolha a si mesmo

Se você chegou ao ponto de afirmar “meu parceiro me trata mal, me desrespeita e me magoa emocionalmente”, não pode mais buscar atalhos ou continuar evitando a situação. Você está em um momento-chave em que precisa escolher e ter a certeza de que esta é a escolha certa.

Terminar um relacionamento é doloroso: o medo da solidão e a sensação de fracasso podem ser paralisantes, e desistir dos sonhos e expectativas construídos juntos não é fácil. No entanto, manter um vínculo prejudicial pode ser devastador a nível psicológico e emocional. Por isso, opte por amar a si mesmo, se cuidar e se respeitar. Não continue ao lado de alguém que não o valoriza.

Pode interessar a você...
Meu conceito de casal é baseado em somar, não em cumprir
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
Meu conceito de casal é baseado em somar, não em cumprir

Meu conceito de casal não está baseado em cumprir expectativas sociais, e sim em somar, crescer tanto em dupla quanto individualmente.



  • Sánchez Aragón, R., & Díaz- Loving, R. (2003). Patrones y estilos de comunicación de la pareja: diseño de un inventario. Anales De Psicología / Annals of Psychology19(2), 257-277. Recuperado a partir de https://revistas.um.es/analesps/article/view/27741
  • Otálvaro, L. E. O. (2015). Autoestima y adaptación en víctimas de maltrato psicológico por parte de la pareja. Psicología desde el Caribe32(1), 145-168.