Nada é definitivo: a chave para não desistir

Nos momentos difíceis, a tristeza, o medo e a desesperança podem nos levar a desistir. Nessas ocasiões, lembrar que a adversidade não é permanente, que a vida é feita de mudanças, pode nos trazer a esperança que parece perdida.
Nada é definitivo: a chave para não desistir

Última atualização: 05 abril, 2022

Neste momento, existem milhares de pessoas enfrentando adversidades que testam a sua força de vontade e seus recursos. Para elas, a dor se torna insuportável, enquanto a esperança foi perdida. Todas as tentativas de melhorar a situação pessoal foram infrutíferas e, dessa forma, jogar a toalha parece ser a única saída.

Qualquer um de nós pode se tornar essa pessoa. Por isso, nesses momentos, é bom lembrar que nada é definitivo. Essa é a chave para não desistir.

A face mais cruel desse desespero é o momento em que tirar a própria vida parece ser a única saída. Estima-se que, a cada ano, cerca de 700.000 pessoas cometem suicídio e vários estudos descobriram que entre 10% e 35% dos jovens já experimentaram a ideação suicida. Por esta razão, é essencial contar com estratégias para administrar essas emoções que, ao que parece, nunca nos deixarão.

Nada é definitivo: lembre-se disso quando sentir a tentação de desistir

Em muitos casos, as tentativas de suicídio e o suicídio em si ocorrem porque a pessoa está tão imersa no sofrimento que não consegue ver uma saída. Assim, o problema não está tanto em suportar a dor presente, mas sim em pensar que ela nunca vai terminar.

Todos nós já caímos nessa armadilha da mente. Embora para quem vê do lado de fora seja claro que a situação vai melhorar mais cedo ou mais tarde, o medo, a angústia e a tristeza podem nos fazer perder a perspectiva e nos convencer de que nunca mais ficaremos bem. E é justamente essa desesperança quanto ao futuro que mais nos prejudica.

Exatamente por isso é bom lembrar que nada é definitivo, que tudo passa, que tudo muda, que o sol voltará a nascer. Porém, realizar este exercício diante de situações adversas pode ser bastante complicado. É por isso que vamos dar algumas sugestões para que você possa conseguir.

Mulher triste com as mãos no rosto
Pensar que tudo permanecerá igual, que nada vai melhorar, é uma armadilha da mente.

Tenha atenção aos seus vieses cognitivos

Os vieses cognitivos são interpretações equivocadas que fazemos da realidade em uma determinada direção. Lembre-se de que a forma como você se sente não é o resultado direto do que acontece com você, mas sim da forma como você percebe, analisa e dá significado aos fatos. Assim, as suas ideias em relação à sua situação particular podem ampliá-la e fazer com que ela pareça insuperável ou, pelo contrário, podem ajudar a enfrentar a tempestade.

Um dos vieses cognitivos que com mais frequência nos leva ao desespero e nos faz esquecer que nada é permanente é a supergeneralização. Nesse caso, extrapolamos o que nos acontece em um determinado momento para outras áreas que não estão relacionadas.

Por exemplo, podemos pensar que “tudo dá errado para nós” e que “nunca nos sentiremos felizes novamente”. Na verdade, nem tudo dá errado para nós (há coisas positivas em nossas vidas apesar dessa adversidade) e não temos nenhuma prova de que o futuro será negativo.

Assim, é importante que, quando você se perceber pensando dessa maneira, você pare e examine essas crenças. Elas são verdadeiras? Quais são os fatos que confirmam o que a sua mente está afirmando? Você perceberá como é você mesmo que está sabotando o seu estado emocional por meio desse diálogo interno.

Lembre-se de que você é resiliente

Um exercício que pode ser muito útil ao passar por momentos em que queremos desistir é nos lembrarmos de todas as vezes no passado em que pensávamos que não iríamos mais aguentar, mas aguentamos. Ou seja, lembrar desses desafios que pareciam intransponíveis, mas que enfrentamos com sucesso. Conscientizar-se de que, embora você tivesse pensado que nada melhoraria, na verdade, as coisas melhoraram.

Dessa forma, você poderá identificar e valorizar a sua resiliência, uma capacidade que você já possui e que pode usar nesse momento. Trata-se da capacidade de enfrentar as adversidades sem ser devastado, conseguindo até mesmo extrair algum aprendizado. Certamente, você já fez isso várias vezes no passado e, portanto, também pode fazer agora. Não se subestime, não desista, você é capaz de seguir adiante.

Use o poder da visualização

Por fim, você pode usar a visualização para enxergar além desse momento presente que te angustia e se projetar para um futuro mais próspero e agradável. Ficar constantemente ruminando na sua mente sobre esta dolorosa realidade ao seu redor só vai aumentar o seu desconforto. Então, não faça isso com você mesmo. Ao invés disso, tenha a certeza de que o futuro será melhor e se concentre nessa imagem.

A visualização consiste em imaginar, da forma mais vívida possível, uma cena agradável criada voluntariamente. Assim, crie uma imagem de você mesmo no futuro, tendo superado esse problema, impregnando-se do que sentiria nesse momento: felicidade, tranquilidade, gratidão, alívio…

Repita essa visualização todos os dias e você verá mudanças importantes. Em primeiro lugar, o seu humor vai melhorar gradualmente porque, pelo menos durante um tempo a cada dia, você estará tirando o foco dessa dor presente que te sufoca e se concentrando em sensações agradáveis.

Em segundo lugar, você estará mais próximo desse futuro promissor, uma vez que a visualização vai te dar a motivação de que você precisa para trabalhar por ele.

Mulher de olhos fechados
A visualização pode nos ajudar a nos projetar para um futuro mais próspero e agradável.

Sua situação atual não é o seu resultado final; nada é definitivo

Em suma, lembre-se de que, por mais dolorosa que seja a sua realidade atualmente, a situação sempre pode mudar. Talvez hoje você se sinta sozinho, fracassado, impotente ou sem esperança. Porém, isso não significa que amanhã você vai sentir da mesma forma. Se você soubesse que tudo iria melhorar, que tudo seria diferente mais adiante, você não desistiria.

Imagine que você está assistindo a um filme do qual você já sabe o final. Você não se incomodaria com as reviravoltas na história, até mesmo com aquelas em que tudo parece dar errado, porque você já sabe como vai terminar. O mesmo pode se aplicar à sua vida: este é apenas um capítulo, não desista. Lembre-se de que nada é definitivo.

This might interest you...
Na vida há tempo para tudo, menos para desistir
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Na vida há tempo para tudo, menos para desistir

Pode haver dias calmos e ensolarados, mas também chuvas e tempestades. Apesar de tudo isso, não desista; na vida há tempo para tudo, menos para des...



  • Cañón Buitrago, S. C., & Carmona Parra, J. A. (2018). Ideación y conductas suicidas en adolescentes y jóvenes. Pediatría Atención Primaria20(80), 387-397.
  • Toro-Tobar, R. A., Grajales-Giraldo, F. L., & Sarmiento-López, J. C. (2016). Riesgo suicida según la tríada cognitiva negativa, ideación, desesperanza y depresión. Aquichan16(4), 473-486.