Não peça à sorte o que apenas o esforço pode dar

Não peça à sorte o que apenas o esforço pode dar

março 17, 2016 em Psicologia 3 Compartilhados
A importância do esforço

É de conhecimento geral que para conseguir algo que desejamos com todas as nossas forças, o primeiro passo é sempre tomar a iniciativa e entender que vamos ter que nos esforçar para isso. A sorte pode influenciar as nossas conquistas, pois estamos rodeados de condições e consequências de outros atos, mas o esforço será sempre o fator principal.

A vontade que nós adicionamos à nossa inteligência, criatividade ou trabalho, por exemplo, vai fazer com que o que propomos esteja um pouco mais perto de nós, que sejamos capazes de realizar os projetos que mais almejamos. Confiar na sorte pode ajudar, mas só se estivermos dispostos a aproveitar sua chegada.

A atitude é a melhor amiga do esforço

Predispor a sua mente a pensar que se nos esforçarmos vamos ter sucesso é uma ideia tão errada quanto a de pensar que a sorte por si só fará o nosso trabalho. Ou seja, é muito mais benéfico aceitar desde o início que podemos ter um fracasso atrás do outro apesar de nos esforçarmos mais do que qualquer outra pessoa.

“Se você tem uma atitude positiva e se esforça constantemente para dar o seu melhor, com o tempo você vai superar os seus problemas imediatos e descobrir que está pronto para problemas maiores.”
-Pat Riley-

Menina com pássaros

A realidade é que os nossos resultados nem sempre são os merecidos e, além disso, temos que ter consciência de que não podemos conseguir tudo o que desejamos nem com todo o esforço do mundo. Nós temos os nossos limites pessoais e sociais: o esforço é uma grande parte, mas não é tudo.

Por esta razão, principalmente, a atitude com que encaramos as coisas que realizamos é a melhor amiga do esforço: uma atitude positiva perante o que somos capazes de alcançar nos ajudará a reconhecer as nossas metas e nos aproximará muito mais delas.

Não acreditar no esforço nos conduz ao conformismo

Hoje em dia somos cada vez mais propensos a pensar que “o outro” consegue as coisas sem esforço, por “pura sorte”; e que, por isso, temos que nos contentar com o que a vida quer nos dar. O conformismo chega quando alguém aceita que a sorte é mais importante do que o esforço e o quando o fracasso é positivo, já que não esperava ter sucesso.

 “A nossa recompensa está no esforço e não no resultado. Um esforço total é uma vitória completa.”
-M. Gandhi-

Precisamente, bem como Gandhi conseguia ver, a nossa maior vitória deveria ser estar cientes do esforço que colocamos em um projeto e o que podemos dar de nós mesmos. O resultado é importante, mas o nosso desenvolvimento pessoal também é.

Não acreditar no esforço e no que fazemos todos os dias para realizar os sonhos que temos em mente só nos leva a nos conformarmos com um tipo de pessoa que realmente não queremos ser, que não atingiu o feito que queria.

Menina voando sobre pena

A disciplina e a educação das crianças: chaves para dar valor ao esforço

Uma das bases dessas noções está no ensino e na forma de incutir uma disciplina para trabalhar nas crianças. Estas são chaves primordiais para o crescimento individual e coletivo da sociedade: educar uma criança com os princípios do esforço lhe dará as ferramentas suficientes para ela não deixar de superar a si mesmo como adulto.

“Todos nós temos sonhos. Mas para converter os sonhos em realidade, é necessário uma grande quantidade de determinação, dedicação, autodisciplina e esforço.”
-Jesse Owens-

O exemplo é sempre uma das formas mais úteis de ensino, pois se acreditarmos mais no poder do esforço do que na sorte quando somos adultos, então seremos capazes de transmitir isso às crianças. Assim elas aprenderão a lidar com as suas dificuldades, a ser menos mimadas e mais constantes, a entender o valor da vontade de superação, etc.

Recomendados para você